Por ser uma cidade universitária, Bauru recebe pessoas de outros lugares o tempo todo. Mas não são apenas os estudantes que vêm iniciar uma nova vida por aqui – o potencial econômico da região também atrai os empreendedores.

Foi o caso do paulistano Jader Guimarães, que chegou na cidade lanche em 2012 para abrir uma franquia de escola de idiomas.

No início, Jader se viu perdido. Ele não conhecia ninguém e, segundo ele, não sabia nem quais eram as principais avenidas de Bauru. “Como eu ia contratar um contador, um pedreiro ou um pintor? Eu precisava ir no vizinho e ficar tocando a campainha para perguntar se ele conhecia alguém bom”, lembra.

Para aumentar sua gama de contatos, Jader procurou por grupos de empresários da cidade. Foi aí que ele encontrou um movimento de pessoas que queriam realizar reuniões de networking.

Ele começou a participar dos grupos e, algum tempo depois, assumiu a frente do movimento. “Em 2017, nós criamos o Meepe Networking, um local onde nos reunimos para divulgar nossas empresas”, conta.

Reuniões semanais

As reuniões do Meepe acontecem às sextas-feiras a partir das 6h30 da manhã. Esse horário foi escolhido para não atrapalhar as atividades dos participantes em seus negócios.

Eles chegam, tomam um café da manhã reforçado e podem conversar entre si. Uma das estratégias do diretor é, nesse momento, aproximar profissionais que tenham o mesmo público-alvo. Assim, os serviços podem até se complementar.

Às 7h, todos se sentam e cada um deles tem 40 segundos para fazer a apresentação da própria empresa. Dois membros têm direito a falar por oito minutos. Na semana seguinte, outros dois podem apresentar com mais detalhes, até que todos o tenham feito.

“Esse pouco tempo já os ensina a serem objetivos. Quando pessoas novas entram, nós damos um treinamento para que elas entendam como ter sucesso em um grupo de networking, apontando quais virtudes devem ser reforçadas e quais comportamentos devem ser evitados”, explica Jader.

Critérios de admissão

Para serem aceitos no Meepe, todos os participantes passam por uma avaliação criteriosa. Isso porque uma das premissas do grupo é ter apenas um profissional de cada segmento além de, claro, selecionar profissionais de extrema confiança.

“Prezamos por harmonia e ética. Todos precisam ter compromisso e seriedade, devem entrar no grupo e entender o que estão fazendo aqui”, completa. Para manter esse engajamento, os membros têm um limite de cinco faltas. Caso ultrapassem esse número, são desligados.

O networking tem o objetivo de ir além de conseguir novos clientes dentro do grupo. Os empresários buscam capacitar uns aos outros como se fossem seus funcionários. Dessa forma, eles sabem identificar quando alguém precisa de um serviço e também a melhor forma de indicar a empresa dos outros membros.

Além disso, Jader explica que o convívio gera um crescimento pessoal e profissional dos participantes. “Você sobe o seu padrão de qualidade se espelhando nesses grandes empresários. Nós temos essa troca e ninguém é concorrente de ninguém”, completa.

Adaptação à pandemia

Com a chegada da pandemia no ano passado, o Meepe precisou adaptar as atividades para o formato online. Com isso, empresários de outros estados chegaram a solicitar a participação no grupo.

Jader conta que permitiu a entrada, mas deixou claro para todos que o grupo foi idealizado para acontecer de forma presencial. Dessa forma, a participação a distância não seria possível com o retorno das atividades.

Coworking para membros

Outra ideia que surgiu durante o período de pandemia, para fortalecer ainda mais o contato entre os participantes, foi a criação de um coworking para a utilização dos membros do Meepe.

“Os membros do grupo têm livre acesso ao nosso coworking. Muitos empresários não precisam e não têm um espaço físico. Por isso precisavam utilizar os cafés da cidade para fazer reuniões, por exemplo”, comenta o diretor.

Muito além da meta

Os resultados positivos da interação entre empresários são visíveis e mensuráveis. Quando o primeiro grupo do Meepe tinha metade do número de membros, os negócios realizados entre eles superaram a marca de R$1 milhão.

Em 2021, com mais participantes, a meta inicial (proposta em janeiro) era de R$2 milhões. Para a surpresa de todos, o grupo está fechando o ano com quase R$5 milhões em negócios.

Retorno às atividades

Em outubro de 2021, com o avanço da vacinação na cidade e a queda no número de casos do vírus, o Meepe decidiu voltar às atividades presenciais. O primeiro encontro aconteceu no dia 22.

Jader comemora que, mesmo a distância, o grupo ficou ainda mais forte. Atualmente, já existem dois grupos de networking e a ideia é que, até o fim de 2022, haja mais um.

Para isso, o diretor reforça a procura por empresários que queiram ampliar sua rede de contatos. Segundo ele, há uma dificuldade maior em encontrar donos de empresas que atuam na área de mecânica e outros setores industriais.

Outra ideia do Meepe para este retorno é oferecer para a cidade a possibilidade de entrar em contato com o grupo para buscar profissionais e serviços de confiança. “Somos um espaço para alavancar os negócios, conhecer pessoas novas, trocar experiências e alinhar mentes”, completa.

publieditorial

Serviço
Meepe Networking
Endereço: Av. Rodrigues Alves, 17-05 – Vila Bonfim (Coworking) e Espaço Zuplex – Av. Duque de Caxias, 5-54 (Reuniões)
Contato: (14) 99167 2747
Site: meepe.com.br
Instagram: @meepenetworking
Facebook: /meepenetworking

Compartilhe!
Carregar mais em Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Vieiras e vinho da rainha compõem o cardápio do novo Monte Serrat Bistrô

As mesas ganham toalhas brancas, a iluminação muda e os copos dão lugares às taças. É assi…