Todas as pessoas enfrentam batalhas e desafios pessoais durante a vida. Quando os superamos, ficamos com a sensação de alívio e dever cumprido. Alguns são mais difíceis que outros e podem deixar até marcas físicas.

“É o que eu digo: você venceu, mas não precisa ficar com as lembranças da luta se não quiser”, comenta a tatuadora Cintia Cavalcanti, especialista na cobertura de cicatrizes e outras marcas na pele.

Primeiros passos

Cintia se formou em design gráfico e fez carreira desenvolvendo produtos para o público feminino. A partir dos 49 anos, em uma transição de profissão, começou a tatuar focada no público que sempre atendeu – as mulheres. Ela fez um curso de PMU (reconstrução de aréola) e começou a estudar sobre as anomalias da pele.

Com a expertise da tatuagem e a arte que sempre foi presente em sua vida, ela começou a fazer cobertura de cicatrizes, estrias, marcas de nascença, entre outras.

Ela conta que uma das suas primeiras clientes foi, justamente, uma amiga que tinha uma cicatriz de abdominoplastia – cirurgia feita para retirar gordura da região do abdômen.

A cicatriz interferiu em sua autoestima e surgiu a ideia de fazer uma tatuagem para cobrir o local. Cintia fez flores de cerejeira e a cliente amou.

Conforme ela divulgou seu trabalho de coberturas, clientes de todo o estado passaram a agendar reuniões e fechar as tatuagens. “Me lembro de uma das primeiras, de Santo André, que veio para cobrir a cicatriz de um câncer que teve no ombro. Ela se recuperou da doença e restaurou a autoestima”, lembra.

Atenção redobrada

Tatuagens feitas em cicatrizes, estrias, manchas ou marcas exigem cuidado redobrado. Por isso, antes de iniciar o trabalho, Cintia faz uma anamnese detalhada com suas clientes e exige um atestado médico que permita o procedimento. No documento, o profissional responsável deve indicar que a pessoa está apta a tatuar o local.

O acompanhamento médico determinará se o desenho pode agravar o quadro ou pode ser aplicado de uma forma saudável.

Outra exigência é que o local esteja cicatrizado há pelo menos um ano.

A tatuadora explica que uma sessão de tatuagem como essa pode durar até mais do que o convencional, já que exige muita atenção. Além de estar trabalhando em áreas mais sensíveis do corpo – o que pode piorar a dor –, a tinta ainda pode se espalhar e formar manchas na área, se não aplicada corretamente.

Após a tattoo, Cintia entrega um kit de cuidados com pomada para tatuagem, sabonete antisséptico e um chocolate como mimo. Ela também envia um arquivo com todos os cuidados que devem ser tomados nos primeiros dias e os que devem ser permanentes. A tatuadora acompanha de perto a primeira semana de cicatrização da tatuagem.

Ambiente de afeto

O cuidado de Cica, como é conhecida por suas clientes (uma junção de seu nome e sobrenome), pode ser percebido até mesmo no ambiente do estúdio. É um local reservado, intimista, com algumas de suas obras na decoração e uma música ambiente que reflete o seu estilo – os flashbacks. O espaço foi todo pensado para que as mulheres se sintam à vontade.

Ela quer se sentir próxima de suas clientes e passar confiança sobre seu trabalho. Para ela, isso é muito importante, já que atende mulheres que preferem essa exclusividade. Muitas nem mesmo têm outras tattoos.

“Tatuagem não é massagem. Eu não garanto que não vai doer, mas eu garanto o máximo de conforto dentro da técnica que eu uso”, esclarece. Para tatuar, Cintia criou uma técnica semelhante a que ela usa para pintar seus quadros.

Arte natural

Uma das características do trabalho da tatuadora não é simplesmente cobrir a cicatriz, mas integrar a tatuagem ao corpo para que ela fique o mais natural e orgânica possível. Cintia usa sua expertise como designer há 30 anos para estudar as áreas do corpo e criar designs que camuflem as marcas das cicatrizes e estrias.

Para uma das clientes, Renata, a marca na perna virou parte da sombra e da textura de uma flor. “Eu sempre senti restrições por conta da cicatriz, como em vestir um biquíni. Com a tatuagem, me senti liberta e hoje me olho no espelho e vejo que a Cintia transformou a cicatriz em arte no meu corpo”, comenta.

Para Janine, que cobriu uma mancha despigmentada chamada “nevo”, o trabalho foi surpreendente. “Há pelo menos cinco anos eu decidi que queria fazer uma arte que cobrisse essa marca. Ficou lindo, melhor do que eu tinha imaginado!”, conta.

Trabalho de realização

Cintia destaca que uma das melhores recompensas do seu trabalho é ver as mulheres emocionadas e lindas após a sessão. Para comemorar, a tatuadora e a filha – que é videomaker – fazem uma sessão de fotos com as clientes.

“Depois do trabalho finalizado, eu me senti a pessoa mais feliz do mundo”, conta Andreia Marinho, que fez uma tatuagem para cobrir uma cicatriz de mastectomia.

“Uma característica muito forte no meu trabalho é a dedicação, o cuidado e a preocupação com o outro. Sempre. Eu me doo muito para o projeto”, comenta Cintia, que diz que já está sendo procurada até mesmo para dar cursos sobre seu estilo de tatuagem.

Ela destaca que encontrou nessa profissão um propósito. “Eu quero contribuir para que essas mulheres sejam felizes e saber que elas estão continuando suas vidas com liberdade”, finaliza.

publieditorial

Serviço
Ci Cavalcanti Tattoo
Contato: (14) 99603- 7238
Instagram: @cicavalcantitattoo
Site: cicavalcantitattoo.com.br

Cobertura de cicatriz de abdominoplastia (Fotos: arquivo pessoal)

Compartilhe!
Carregar mais em Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Vieiras e vinho da rainha compõem o cardápio do novo Monte Serrat Bistrô

As mesas ganham toalhas brancas, a iluminação muda e os copos dão lugares às taças. É assi…