A família do Juliano Augusto ‘levou flores’ para a Av. Getúlio Vargas “quando era apenas uma área residencial”, relembra o empresário. “Não tinha agências bancárias, lojas e nem via duplicada”.

Foi em 1998, quando os pais dele abriram a segunda unidade da loja Mult Flores, em uma esquina da avenida perto do Aeroclube.

“Foi uma aposta acertada dos meus pais. Eles sentiram que o comércio na zona sul de Bauru ia crescer”, comenta Juliano, que assumiu a unidade dois anos depois da inauguração.

Flores

No início, justamente por ainda não ser uma área de comércio, eles enfrentaram algumas dificuldades. Entretanto, mais de 20 anos depois, não só estão na história como uma das primeiras lojas do local, como também se tornaram um ponto de referência, ainda mais após a reforma feita neste ano, assinada pelo arquiteto Márcio Cortopassi.

Isso porque, segundo Juliano, as pessoas citam “aquela esquina da loja de flores na Getúlio” para indicar um caminho. Faz sentido, considerando que o tempo por lá reforça a ligação entre a rua e a loja. “O crescimento da Av. Getúlio Vargas e dessa área da cidade também foi o nosso crescimento”, conclui.

Encantar e surpreender com flores

Para isso, a proposta deles é apostar no “encantamento”, desde um simples botão de rosa ao buquê. “Aquela coisa do romance e de demonstrar amor, do casal que está começando a se apaixonar àqueles que estão casados há muito tempo”, resume Juliano.

Floricultura

O empresário conta como a Mult Flores acompanha a evolução das preferências dos clientes e das formas de montar os arranjos. Ainda assim, a intenção sempre será expressar carinho pela beleza das flores e cestas.

“O importante é a lembrança que a pessoa vai ter em uma data especial… ou até mesmo sem um dia especial! Um detalhe que as pessoas têm valorizado bastante hoje é o envio sem uma data específica, pois a pessoa não está esperando e se admira com a surpresa”, acredita o empresário.

Acompanhados das flores, vão os cartões, que contam as histórias de amor que passam pela loja. Tem quem use para consertar algum erro, outros compram apenas para uma conquista. 

Mult Flores (foto: Acervo Pessoal)

E segundo Juliano, a maioria das histórias são felizes, incluindo pessoas que chegam a agradecer pelas indicações que levaram a uma conquista ou ao carinho de quem recebeu e adorou o presente.

Nesse sentido, a loja tem clientes dos quais eles participaram desde a conquista, passaram por namoro e noivado e foram até convidados para a festa de casamento. “Nós participamos de toda a trajetória do casal. Acompanhamos todos os momentos importantes deles”, conclui Juliano.

Legado da família

A unidade da Av. Getúlio Vargas continua uma tradição da família de Juliano que começou em 1982. Foi há quase 40 anos que os pais dele, Osni e Áurea, abriram uma loja de flores na esquina da Praça Rui Barbosa, também um ponto tradicional de Bauru. 

Ana Flávia (filha), Osni, Áurea e Tatiana (foto: Acervo Pessoal)

Na época, o Juliano e a irmã Ana Flávia eram crianças. “Passamos a nossa infância e adolescência em meio às flores da loja”, relembra o empresário. “Meus pais trabalhavam muito e ficávamos por lá com eles depois da escola. Nosso aprendizado foi acompanhando eles na prática, tanto de administração, quanto do manuseio”.

Após a aposentadoria dos pais, ele continuou à frente da unidade da Av. Getúlio Vargas, enquanto a irmã e a esposa Tatiana assumiram a loja do Centro.

FloresMult Flores (foto: Acervo Pessoal)

Para ambos, a principal meta é seguir o legado da família. Ao mesmo tempo que se adaptam às mudanças na sociedade – como o aumento do público LGBTQIA+, que hoje se sentem mais livres para compartilhar flores e que, para Juliano, demostram o amor “de forma sensacional” – eles mantêm a proposta de compartilhar amor.

“Eu tenho muito orgulho de continuar o legado de uma família perseverante”, diz o empresário, “e também de reforçar a tradição da floricultura. O que mais aprendemos com nossos pais e mantemos até hoje é conseguir entregar uma experiência maravilhosa pelo impacto visual”.

Flores, vasos, cestas, pelúcias e artesanato

O principal produto da loja são as flores de corte, como a rosa e girassol, que podem ser combinadas entre diferentes espécies. Além disso, podem ser compradas a pronta-entrega ou encomendadas. “Já entregamos rosas de todas as cores, desde vermelha até azul e preto”, conta Juliano.

As cestas são outra linha de produtos da Mult Flores, com opções prontas ou abertas para o cliente escolher os produtos.

Ademais, a loja também vende acessórios, como chocolates, pelúcias e itens de artesanato da Mimos do Coração, opções de bonecas feitas a mão, criada por Gesiane, esposa do Juliano.

Juliano e Gesiane proprietária da marca Mimos do Coração (foto: Acervo Pessoal)

Uma forma de estar juntos

O símbolo das flores ficaram ainda mais notáveis para Juliano durante a pandemia. O empresário percebeu como elas também são usadas para reforçar a conexão entre as pessoas.

Com as lojas fechadas e as pessoas distantes, a Mult Flores foi uma das opções escolhidas para quem buscava proximidade.

Flores

“A pandemia começou e logo veio o Dia das Mães e o Dia dos Namorados. Com o atendimento online, muita gente nos procurou e funcionamos como uma forma de aproximação das pessoas, diz Juliano. 

“E do Brasil inteiro! Pessoas que moram de cada canto do país e de fora do país, com familiares aqui, compraram aqui na loja. Não podia estar com os pais, mas enviaram as flores. Foi um produto quase essencial na pandemia”, diz o empresário. “Além de ser um presente, as flores foram um jeito de se fazer presente”.

Flores

publieditorial

Serviço
Mult Flores
Endereço: Av. Getúlio Vargas, 9-10. Praca Rui Barbosa, 1-85
Horário de funcionamento: De segunda a sexta, das 8h30 às 18h. Sábados, das 8h30 às 16h. (Faz entregas no domingo)
Contato: (14) 3227-7777 (14) 99722-5343
Instagram: @multfloresbauru
Facebook:/multfloresgetuliovargas

Compartilhe!
Carregar mais em Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Joalheria no centro de Bauru guarda história de família há 40 anos no ramo

Algumas histórias de Bauru não começam aqui. A da Amily Joalheria e Ótica, por exemplo, co…