Há 20 anos, os Dentistas do Bem selecionam jovens de baixa renda para receber tratamento odontológico gratuito. Até hoje, mais de 81 mil adolescentes já foram atendidos por profissionais que atuam de forma voluntária levando saúde bucal para todo o Brasil, 12 países da América Latina e Portugal.

Para participar da triagem, o jovem deve ter entre 11 e 17 anos e realizar um pré-cadastro no site. A Turma do Bem entrará em contato por WhatsApp no número informado na inscrição, solicitando mais informações para marcar uma avaliação.

Este ano, a expectativa é que mais de 5 mil jovens sejam encaminhados para atendimento em todo o Brasil. Aqui em Bauru, 83 dentistas são voluntários ativos e farão parte da ação.

A triagem

O objetivo da ONG é identificar adolescentes de baixa renda que necessitam de tratamento odontológico e proporcionar a eles qualidade de vida por meio do acesso à saúde bucal.

“Quem sente dor e não possui dentes saudáveis não estuda, não brinca, não consegue um bom emprego, não se relaciona afetivamente e se afasta dos amigos. O acesso à saúde bucal de qualidade faz com que esses jovens façam parte mais ativamente da sociedade”, comenta o dentista Fábio Bibancos, presidente voluntário da Turma do Bem.

A seleção é feita por meio da aplicação de um índice de prioridade, que beneficia os jovens menos favorecidos e com problemas bucais mais graves. Cada selecionado recebe uma carta com o nome e o endereço do dentista voluntário que será responsável pelo seu tratamento.

Os dentistas voluntários atendem em seus próprios consultórios até o adolescente completar 18 anos. O tratamento é gratuito e completo, incluindo, se necessário, radiografias, ortodontia, próteses e implantes.

Dentistas do Bem em Bauru

A Dra. Patrícia Morales é dentista voluntária em Bauru há mais de 10 anos. Em 2018, aceitou assumir a coordenação do projeto aqui na cidade. Antes da pandemia, ela ia até as escolas para fazer a triagem dos alunos. Agora, o cadastro é feito de forma online.

“Muitas vezes essas pessoas ficam desconfiadas e não acreditam que o tratamento é gratuito, mas é sim. Antes ou depois, todos os que precisam serão atendidos, completa a dentista. O tratamento é feito independente do grau complexidade.

Segundo ela, os principais procedimentos que são feitos nos adolescentes são a remoção de cáries, tratamento de canal, extração e o tratamento ortodôntico com aparelho para correção. “A má oclusão dentária, quando o dente fica torto, pode deixar aquele jovem mal pela estética mas também causa dor na articulação, dificuldade na respiração, fala e mastigação”, explica a Dra. Patrícia.

Sobre a Turma do Bem

A Turma do Bem conta com mais de 18 mil dentistas atuando em 12 países e oferece tratamentos odontológicos gratuitos. Além dos adolescentes, a ONG também atende mulheres vítimas de violência doméstica no projeto Apolônias do Bem.

 

Atualmente, a Dra. Patrícia faz o acompanhamento de uma dessas mulheres. “Acaba sendo um acompanhamento não só odontológico, mas também emocional, porque essas mulheres têm um trauma muito grande. A gente percebe que a autoestima, mesmo depois de reabilitada, é muito baixa, então é uma pessoa que faz acompanhamento sempre”, comenta a profissional.

Em 20 anos de existência, foram impactados quase 81 mil jovens e 1100 mulheres. O fundador e presidente voluntário da TdB, Dr. Fábio Bibancos, é reconhecido internacionalmente como Empreendedor Social pela Schwab Foundation e pela Ashoka por seu trabalho à frente da organização.

Em 2011, a organização foi laureada com o Prêmio Saúde Oral, na categoria Solidariedade Social, e em 2015 foi selecionada entre 1.400 organizações sociais de todo o mundo para integrar o primeiro portfólio da Epic Foundation de instituições que investem em alto impacto social. Em 2018, ganhou o prêmio pela Fundación Mapfre de melhor ação social na Espanha.

Sobre o Dentistas do Bem

Dentista do Bem é o principal programa da Turma do Bem e conta com o trabalho voluntário de 18.400 cirurgiões-dentistas que atendem em seus próprios consultórios. Está presente em 1.500 municípios do Brasil, 12 países da América Latina (Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Equador, México, Panamá, Paraguai, República Dominicana, Uruguai, Peru e Venezuela) e Portugal.

“O meu sentimento de participar é de muita gratidão e felicidade. Não adianta melhorar sozinho, é preciso ajudar o maior número de pessoas que não tem condições para que melhorem a saúde e se desenvolvam também na profissão, nos relacionamentos e em todos os sentidos da vida”, finaliza a Dra. Patrícia.

Serviço
ONG Turma do Bem
Site: turmadobem.org.br
Instagram: @ongturmadobem
Telefone: (11) 5084-7276
E-mail: [email protected]
Horário de atendimento: segunda a sexta das 13hrs até 21hrs

Compartilhe!
Carregar mais em Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Projeto da Unesp-Bauru que oferece atividade física gratuita para pessoas com Parkinson abre inscrições

O projeto multidisciplinar Ativa Parkinson, executado pelo Laboratório de Pesquisa em Movi…