Até o próximo domingo, dia 1º de maio, o Sesc Bauru realiza o projeto ‘O que te tira dos centros?’, inspirado nos temas Artes Periféricas, Ancestralidade e Decolonialidade e Artes Transgressoras.

A ação faz parte do projeto ‘Diversos 22’, do Sesc no estado, em celebração ao centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 e ao Bicentenário da Independência do Brasil em 1822. Durante o primeiro semestre, várias atividades foram realizadas em cidades paulistas.

A programação aqui em Bauru envolve a articulação de artistas e iniciativas locais em atividades como saraus, bate-papos, apresentações e intervenções artísticas, além de uma feira literária.

O projeto local começou oficialmente com a oficina online Cem Anos de Arte Moderna, no dia 6 de abril. Além desse evento, a semana já teve o bate-papo ‘Semana de 1922, modernismo e artistas indígenas contemporâneos’ e o espetáculo ‘Sarau 2.2: TMJ 100 anos depois’, na noite de ontem (22).

Para ver os detalhes da programação, informações sobre ingresso e local das atividades, confira o site do evento. Confira as sinopses das atividades divulgada pelo Sesc.

23/4 a 28/4 – Intervenção: Atualizações traumáticas 2019-2022

A partir das 9h30 (dias 23 e 24) e das 13h (dias 25 a 28). Quais imagens queremos deixar nos arquivos futuros? As litogravuras e aquarelas do Brasil colonial e imperial permitiram o registro da população negra e indígena através da missão francesa, documentando imagens de corpos domesticados e açoitados para servir à população branca. Ge Viana revisita esse banco de imagens para remixar/atualizar/roubar essas narrativas, num desejo de criar ficções de felicidade. Gratuito. 

23/4 – Espetáculo: Traga-me a cabeça de Lima Barreto

Espetáculo ‘Traga-me a cabeça de Lima Barreto’ (foto: Valmyr Ferreira/Divulgação)

A partir das 19h30. Após a morte do escritor, eugenistas exigem a exumação do seu cadáver para uma autópsia a fim de esclarecer “como um cérebro inferior poderia ter produzido tantas obras literárias se o privilégio da arte nobre e da boa escrita é das raças superiores?”. A partir desse embate, o espetáculo mostra as várias facetas da personalidade e da genialidade de Lima Barreto. Consulte os valores do ingresso.

23/4 e 24/4 – Feira Literária no Sesc

O sebo Clepsidra é um dos participantes do evento (foto: Social Bauru) 

Início às 14h. A partir de uma curadoria compartilhada entre a equipe Sesc e iniciativas Sarau do Viaduto, RPretas, Araci Cultura Indígena e Fuzuê014, propõe-se uma feira literária educativa, com a presença de escritores independentes, grupos de literatura e escritores, quadrinistas, editoras e sebos da cidade e região, com a proposta de fortalecer a cena literária. Discotecagem com DJ Dasmo durante a realização da feira. Gratuito.

24/4 – Intervenção: Gigante Tarsila

Intervenção será no SescIntervenção já passou pela capital (foto: Divulgação)

A partir das 15h. A intervenção é inspirada livremente na obra da artista plástica Tarsila do Amaral e estendida a Di Cavalcanti. Infláveis gigantes e bonecos manipuláveis formam uma exposição performática que envolve teatro, manipulação de bonecos, dança e artes plásticas. Gratuito.

26/4 – Bate-papo: Artes transgressoras

A partir das 19h30. Com Erica Malunguinho, educadora, ativista cultural e primeira deputada estadual trans eleita no Brasil, Vitória Galhardo, pesquisadora e produtora audiovisual, mestra e doutoranda em Comunicação Midiática (UNESP- Bauru). Mediação de Hugo Possolo, palhaço, ator, autor e diretor, e fundador do grupo Parlapatões. Exibição do curta-metragem ‘História do Olho’ (2015), de Vitória Galhardo. Gratuito.

27/4 – Bate-papo: Artes periféricas

A partir das 19h30. Com Sérgio Vaz, poeta, cronista e produtor cultural e Mari Monteiro, artista LGBTQIA+ e grafiteira. Mediação de Hugo Possolo, palhaço, ator, autor e diretor, e fundador do grupo Parlapatões. Intervenções poéticas de Sérgio Vaz. Gratuito. 

27/4  e 29/4 – Narração de história: Pelos trilhos de Bauru, uma estação de história

A partir das 14h. Com simpatia e muito carisma, o casal caipira Dulce e Tião revivem memórias, trazendo para os espectadores as histórias da formação da cidade de Bauru relembrando o tempo de quando eram jovens e viviam nas lavouras de café. Uma boa dose de prosa. Veja os locais da ação externa: Quarta (27), na Biblioteca Ramal Ouro Verde, na Rua Gabriel Morales, 1-24. Sexta (29), na Biblioteca Ramal ‘Maria Raquel Zanni Arruda’ Falcão, na Rua Domingos Bertoni, 7-50, Vila Industrial. Gratuito.

28/4 – Bate-papo: Ancestralidade e Decolonialidade

A partir das 19h30. Com Daiana Terra (ou SubVersiva), artista visual, comunicadora e escritora, Ge Viana, artista visual indígena e Gael Gramaccio, ator, performer e artista visual. Mediação de Hugo Possolo, palhaço, ator, autor e diretor, e fundador do grupo Parlapatões. Performance ‘Violência’, de Gael Gramaccio. Gratuito. 

28/4 – Bate-papo: Conversa com bibliotecários e bibliotecárias

A partir das 10h. Partindo de sua prática no fomento à leitura em bibliotecas comunitárias com crianças, jovens e adultos, Bel Santos Mayer aborda conceitos de mediação de leitura e formas de acolhimento literário. De forma dialogada, os (as) participantes serão convidados a compartilhar suas experiências como leitores e mediadores. A roda de conversa busca refletir sobre o lugar da leitura literária e da escrita na reabertura das bibliotecas e espaços culturais. Gratuito. Ação externa na Biblioteca Rodrigues de Abreu, na Av. Nações Unidas, 8-9. 

28/4 a 1/5 – Subversos Antropofágicos

A partir das 13h (dias 28 e 29) e das 9h30 (dias 30 e 1/5). Com Daiana Terra (ou SubVersiva), artista visual, comunicadora e escritora e Gael Gramaccio, ator, performer e artista visual. Na intervenção, a arte periférica ganha corpo, forma e colagem, se entrelaçando ao que outrora fora vanguarda, rasgando e rebentando um outro olhar para as artes que emergem das margens. Propõe-se assim um painel com ‘lambe-lambes’ e outras técnicas artísticas inspirado nos diálogos entre literatura e artes visuais. Gratuito. 

30/4 e 1/5 – Oficina: Literatura na mesa – vivência do conto Peru de Natal de Mário de Andrade

A partir das 15h. Com Patrícia Lima, graduada em Letras, escritora e coordenadora de eventos literários, e Chef Fernandinho. Por ocasião das comemorações do centenário da Semana de Arte Moderna de 22, a vivência traz a experiência de leitura do conto ‘Peru de Natal’ de Mário de Andrade, um dos principais nomes no movimento modernista brasileiro. Com o intuito de gerar uma experiência sensorial e afetiva, as emoções e reflexões despertadas pelo conto são discutidas com o acompanhamento de releituras de alguns pratos citados no texto. Inscrições online (vagas limitadas). Gratuito. 

30/4 – Kaê Guajajara e Bia Ferreira

A partir das 20h. Show Congregação Descolonizadora do Brasil Kaê Guajajara, engajadora da MPO (Música Popular Originária), e Bia Ferreira, que conceitua sua arte como MMP (Música de Mulher Preta), unem cantos e sonoridades com o intuito de educar, conscientizar e informar pessoas sobre demandas da luta antirracista no Brasil, bem como questões ligadas ao movimento LGBTQIA+, resistência e manifestação contra o silenciamento dos povos originários imposto pelos colonizadores, perpetuado até hoje pelos seus descendentes. Consulte os valores do ingresso.

1/5 – Crianças: Crianceiras – Poesia de Mário Quintana musicadas por Márcio de Camillo

Show no SescShow de Márcio de Camillo (foto: Amanda Areias/Divulgação)

A partir das 16h. Após o trabalho com a obra de Manoel de Barros, o cantor e compositor Márcio de Camillo apresenta a nova versão do show musical Crianceiras, desta vez com poesias de Mário Quintana. O espetáculo mistura literatura, teatro de papel e música, com ritmos que se alternam entre valsa, forró, jazz, rock, entre outros.

Com informações da Assessoria de Imprensa do Sesc Bauru.

Compartilhe!
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Paisagismo abstrato: conheça a arte da bauruense Sophia Bortoletto

“A arte traz a vontade da gente querer permanecer naquele espaço”, afirma a artista plásti…