Nos meses de outubro e novembro, membros da Unesp/Bauru, do Centro Universitário Sagrado Coração (Unisagrado) e do Lar Escola Santa Luzia para Cegos (LESL) promovem palestras e oficinas sobre a acessibilidade na comunicação e na cultura.

O conjunto de atividades contará com workshops de verificação de acessibilidade web e mobile, além de aulas práticas de produção de mídia sonora acessível e audiodescrição, recurso de acessibilidade que permite que pessoas com deficiência visual possam ouvir o que pode ser visto.

As atividades são gratuitas e ocorrem de forma remota e outras presenciais na Unesp. Algumas oficinas são destinadas a membros internos dos projetos, entretanto, há atividades abertas ao público geral. Portanto, para participar basta se inscrever por meio de formulário disponibilizado aqui.

Peça de teatro com audiodescrição em Bauru

Além das oficinas e palestras, o evento contará com o espetáculo teatral “Uma Lição de Vida”, realizado por alunos e alunas com deficiência visual do grupo teatral “Nova Vida” do LESL.

Ensaio da peça “Uma Lição de Vida” (divulgação/Lar Escola Santa Luzia para Cegos)

A apresentação narra o encontro de duas famílias diferentes que são vizinhas. De um lado, há um pai atencioso com uma filha com deficiência visual e que é adotiva. Do outro, uma mãe vaidosa e pouco atenta aos filhos.

A peça é gratuita, está marcada para às 15h de 3 de novembro no Auditório João Paulo no Unisagrado e ainda terá audiodescrição pelos integrantes do TradUSC, projeto de extensão do Unisagrado.

Ensaio da peça “Uma Lição de Vida” (divulgação/Lar Escola Santa Luzia para Cegos)

Acessibilidade é para todos

No Brasil, 18,6% da população possui algum tipo de deficiência visual. Os dados são do Censo 2010 realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Nesse montante, 6,5 milhões apresentam deficiência visual severa, sendo que 506 mil têm perda total da visão e 6 milhões, grande dificuldade para enxergar.

A deficiência pode ser congênita, ou seja, presente desde o nascimento, ou pode ser adquirida ao longo da vida. Aqui, ninguém está isento de tornar-se uma pessoa com deficiência. Exatamente por isso, promover a discussão sobre a acessibilidade a fim de tornar o mundo mais acessível, seja na forma física ou virtual, é de extrema importância. Quem fala mais sobre o tema é Suely Maciel, 53, professora da Unesp/Bauru e coordenadora do Laboratório de Pesquisa e Extensão em Comunicação e Acessibilidade “Biblioteca Falada”, um dos organizadores do evento.

“Promover eventos como esse é importante porque traz para o âmbito da comunidade acadêmica, e até da comunidade em geral, uma discussão premente, que é a da garantia da acessibilidade para todos e em todos os âmbitos da vida cotidiana. Falamos da acessibilidade na arquitetura, no comércio, na prestação de serviços, na saúde, na tecnologia, mas também na comunicação”, informa.

De acordo com Suely, o evento busca contribuir para a discussão acadêmica e difusão do tema, que precisa ser discutido em sociedade e efetivado no desenvolvimento acessível de produtos, serviços, produções simbólicas e etc. “Essa é uma discussão que deve ser feita e deve se reverter em mudança na forma como as coisas são produzidas e compartilhadas”, complementa.

TradUsc e Biblioteca Falada, o vínculo entre faculdades bauruenses

O Projeto de Extensão do Unisagrado “TradUSC” segue a mesma linha do Biblioteca Falada: promover a acessibilidade na comunicação e cultura. Por conta disso, a iniciativa disponibiliza a audiodescrição e a legenda para surdos e ensurdecidos para outras instituições.

“Recentemente, começamos a desenvolver parcerias em algumas atividades com o TradUSC. Eu conheci a coordenadora do projeto, que trabalha com audiodescrição no âmbito audiovisual e com legendagem, e percebemos a possibilidade de realizarmos trabalhos em conjunto. É uma parceria nova e que está sendo muito legal, juntando projetos que se esforçam na mesma área – a da acessibilidade”, afirma Suely.

Para mais informações, siga @ciclobauruacessivel ou envie um email para [email protected].

Confira a programação completa do Ciclo de Acessibilidade na Comunicação e na Cultura

Oficina de roteiro radiofônico

17 e 19/10 das 17h às 18h
Local: Online (exclusiva para membros do Biblioteca Falada e TraduSC)

Oficina Roteiro de audiodescrição para o SIGA

25/10 das 17h às 19h
Local: Online (exclusiva para membros do Biblioteca Falada)

Oficina de locução

27/10 das 17h às 19h
Local: Sala 71, FAAC, Unesp Bauru (Av. Eng. Luís Edmundo Carrijo Coube, 14-01, Jardim Colonial)

Palestra sobre Audiodescrição e Consultoria com o audiodescritor Felipe Mianes

01/11 das 17h às 19h
Local: Online

Espetáculo teatral “Uma lição de vida” com audiodescrição

03/11 das 15h às 17h
Local: Auditório do Centro Universitário Sagrado Coração (R. Irmã Arminda, 10-50 – Jardim Brasil)

Palestra WEB sem Barreiras: Como eliminar os obstáculos da acessibilidade Digital, com Amanda Marques, do CEWEB

03/11 das 19h às 21h
Local: Anfiteatro Antônio Manuel dos Santos (Sala 1), Unesp Bauru (Av. Eng. Luís Edmundo Carrijo Coube, 14-01, Jardim Colonial)

Oficina de Verificação de Acessibilidade Web, com Reinaldo Ferraz, W3C

04/11 das 12h às 14h
Local: Online

Oficina de Edição de Áudio

7 e 9/11 das 17h às 19h
Local: Online (exclusiva para membros do Biblioteca Falada e TraduSC)

Oficina sobre acessibilidade mobile para pessoas com deficiência visual, com Meiriellen Godoi Santana (Lar Escola Santa Luzia para Cegos de Bauru)

21/11 das 17h às 19h
Local: Sala 71, FAAC, Unesp Bauru (Av. Eng. Luís Edmundo Carrijo Coube, 14-01, Jardim Colonial)

Compartilhe!
Carregar mais em Geral

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Acadêmicos da Cartola é a campeã do Carnaval de Bauru em 2024

A Prefeitura de Bauru, através da Secretaria de Cultura, realizou nesta quarta-feira (14) …