Lívia Campanholi Pimentel é uma bauruense de apenas oito anos de idade. Segundo os pais, ela sempre foi uma criança saudável, nunca havia sido internada. Até que um dia, Lívia acordou com dor de cabeça.

Se esse tipo de dor já não é comum entre crianças, o diagnóstico da causa é ainda mais raro, um cisto no cérebro com um nódulo mural. Esse cisto sangrou, por isso Lívia apresentou sintomas como dor de cabeça intensa, vômitos e perda dos movimentos do lado esquerdo do corpo.

O diagnóstico foi dado aqui em Bauru e, logo, ela foi para o centro cirúrgico. Após 20 dias da cirurgia ser realizada,  foi feita uma ressonância magnética. O resultado do exame concluiu que o tumor havia voltado com um tamanho bem maior e o novo diagnóstico era um tumor maligno de alto grau.

“Indagamos sobre o laudo final da biópsia (Imuno Histoquímica) e a médica nos disse que o Laboratório em Bauru não havia conseguido fechar um diagnóstico. Também nos afirmou que a lâmina seria enviada para São Paulo para ser analisada por outro laboratório”, conta Allison Pimentel, pai de Lívia.

Porém, a lâmina não chegou em São Paulo. Após 30 dias da primeira cirurgia, não foi mais possível fazer uma análise, “ficamos sem saber o nome e o sobrenome desse tumor”, diz Allison.

Com a ajuda de um amigo, que entrou em contato com um médico de São Paulo, Lívia foi até a capital para ser consultada. O resultado foi uma cirurgia de 13 horas e um gasto de 200 mil reais.

“Ela fez a segunda cirurgia em São Paulo, porque só lá tem uma máquina específica para esse tipo de cirurgia. Em Bauru não tinha essa tecnologia”, explica Fernanda Campanholi Pimentel, mãe de Lívia.

O tratamento

Nesse momento, a família precisa de dinheiro para iniciar um tratamento oncológico. Antes disso, Lívia precisou passar por um exame no valor de R$25 mil reais, pago com dinheiro arrecadado de doações.

Agora, eles precisam de R$50 mil reais para iniciar o tratamento específico, pois é um câncer raro em crianças. A família está entrando em acordo amigavelmente com o plano de saúde para cobrir parte ou a totalidade dos gastos.

“A Lívia está bem e vai começar o tratamento de radioterapia na próxima quarta-feira, em São Paulo. Ela conseguiu os medicamentos para a quimioterapia, são comprimidos que ela vai tomar por 42 dias. Mas a radioterapia tem que ser feita em São Paulo”, diz Fernanda.

Como o tumor é de um grau alto, ele pode voltar rapidamente. Por isso, é imprescindível que os tratamentos comecem o mais rápido possível.

Ação beneficente em prol da Lívia

Para ajudar a pequena bauruense, a população está organizando um evento beneficente. O objetivo é arrecadar o valor necessário para a menina começar o tratamento de radioterapia.

Portanto, a ação beneficente será realizada neste sábado, dia 06 de abril, a partir das 19h.

O evento será realizado no Brahma Esporte Clube em Agudos. Além de bebidas e porções, a ação contará com um bingo com venda de cartelas no local.

Depois do tratamento, os planos da família são: “o que ficou na conta dela, de arrecadação, nós iremos nos juntar e escolher uma entidade séria de Bauru para fazer a doação”, finaliza Allisson.

Serviço
Ação beneficente em prol da Lívia
Data: 06/04, a partir das 19h
Local: Brahma Esporte Clube em Agudos – R. José Salmem, 730

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Duas quermesses para aproveitar nesse final de semana em Bauru

As quermesses, tradicionais festas religiosas estão chegando em Bauru! Só neste final de s…