O livro Palavras de concreto armado: vozes periféricas na literatura, produzido em Bauru, ficou em 3º lugar na categoria Design Editorial no 13º Prêmio Brasileiro de Design (BDA). O projeto gráfico premiado foi assinado pelo Coletivo Boitatá.

A premiação ocorreu no começo de dezembro e contemplou trabalhos que mostram a essência do design brasileiro, suas origens, sua variedade e seu futuro, tema desta edição.

Segundo Thomas Musmann, sócio-proprietário e diretor criativo do Coletivo Boitatá, “esse prêmio é essencial na cena do design brasileiro, pois indica um ganho de valor e mostra a importância e o potencial de criação de projetos incríveis que, num país continental, rompem fronteiras e alcançam cada vez mais pessoas”. 

Para Carol Gomes, também designer do Coletivo Boitatá, o livro, por reunir autores de uma periferia do interior de São Paulo, e não de uma grande capital, lança luz sobre a diversidade de uma realidade pouco olhada. “Essa conquista torna o conteúdo do livro ainda mais simbólico, uma vez que coloca o projeto em pé de igualdade com outros, realizados por grandes empresas das capitais”. 

A premiação enche de orgulho todos os que participaram da produção do livro e abre portas para que mais projetos como esse sejam reconhecidos e movimentem o mercado editorial brasileiro, mostrando que há espaço para todos. Vale lembrar que o livro foi contemplado também com o Prêmio da Cultura Popular Bauruense, em evento realizado em janeiro de 2023. A iniciativa busca reconhecer, fomentar e valorizar iniciativas da cena cultural local. 

Sobre o “Palavras de concreto armado”

“Palavras de concreto armado” é um projeto totalmente bauruense. Foi idealizado pela Editora Mireveja e realizado em parceria com o Instituto Indisce, com apoio do Programa de Estímulo à Cultura de Bauru (PEC). Além do projeto gráfico do Coletivo Boitatá, teve organização de Carolina Guerra e Tiago Rosa. Fazem parte da obra os autores Agnes Analua, Amanda Helena Gimeno, Anália Souza, Ariane Souza, Daiana Terra – SubVersiva, Diogo

Cardoso (D. Gordão), Dom Black, Estrofe MC, Everaldo Luiz, Gabriel Lagrotta, Gael Gramaccio, Guilherme Afonso Ramiro da Silva, Igor Fernandes, Jessica Bayo, Kahena Bizzotto, Karol Lombardi, Mari Monteiro, Lôly, Paulo Boasorte, Poexistindo Marginal, Rafael Prado, Renato Bueno, Sujera, Tetê Oliveira, Wander Florêncio, Carolina Guerra, Talini A. Santos e Tiago Rosa. É possível saber mais sobre a produção nesta matéria.

Compartilhe!
Carregar mais em Geral

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Acadêmicos da Cartola é a campeã do Carnaval de Bauru em 2024

A Prefeitura de Bauru, através da Secretaria de Cultura, realizou nesta quarta-feira (14) …