repousam-as-rosas-topo

“Enquanto repousam as rosas” traz a arte contemporânea para o observador, que segundo o artista Ailton Ribeiro é diferente da exposição de pintura clássica. “Meu trabalho é muito atual, ele conta com a participação do observador, diferente de quando alguém olha para uma pintura neoclássica e fica como passivo, apenas olha e pronto. No meu caso, o observador completa o trabalho, mentalmente, ele está participando de alguma forma. Meus trabalhos tem aspecto de inacabado até mesmo na pintura e o observador participa nisso também, no arranjo e na pintura, ambos tem o observador participando, isso é uma grande característica da pintura contemporânea”, detalha o artista.

O título “Enquanto repousam as rosas” provoca questionamentos trazidos pelo artista como: o que acontece enquanto as rosas repousam? O que se passa ao redor? Enquanto elas estão repousando, o que acontece? É a questão do tempo e da transformação que são colocadas para fazer refletir o observador.

É uma exposição inovadora, que não traz só pinturas, mas também mobílias e outras surpresas, além de mostrar os processos de criação do artista. O observador será conduzido pelos espaços e cada um lançará o seu olhar subjetivo para a exposição.

A abertura da exposição “Enquanto repousam as rosas”, do artista Ailton Ribeiro, será na sexta-feira, 28/10, às 20h30, na Pinacoteca Municipal e Casa Ponce Paz. A exposição é uma realização da Secretaria Municipal de Cultura, a partir do Departamento de Proteção ao Patrimônio Cultural, e segue até o dia 09/12, de segunda à sexta, das 9h às 17h.

O tema natureza-morta

A natureza-morta é um gênero das artes visuais que tem como tema central os objetos inanimados, com o intuito de valorizar as qualidades de suas formas, cores, composições e texturas. Na arte contemporânea são utilizados ainda outros suportes como as esculturas, instalações ou videoarte destas representações de objetos inanimados, como referências à história da arte e como novas formas de representação.

A exposição “Enquanto repousam as rosas” traz como tema a tradicional natureza-morta, porém com a visão particular e contemporânea do artista Ailton Ribeiro. Para Ailton “a natureza-morta nunca está do mesmo modo, ela tem uma relação com o tempo, ou seja, está em constante transformação”. Um exemplo são as rosas – elemento marcante para o artista desde a infância.

Na exposição, cada objeto conta uma história individual e juntos eles contam outra. A natureza-morta de Ailton é viva e está em processo de construção: “É o caos em equilíbrio, uma desordem, não tudo arrumado e ajeitado como acontece na pintura clássica. A sensação é a de que acabou de colocar e não arrumou, está em processo. É o antes e o depois, uma ideia de tempo e continuidade”, finaliza o artista.

Serviço
Local: Pinacoteca Municipal e Casa Ponce Paz, Rua Antônio Alves, 9-10, Centro
Abertura: 28/10, sexta-feira, às 20h30
Período de visitação: de 31/10 a 09/12, segunda a sexta, das 9h às 17h
Mais informações: (14) 3232-1552
Realização: Secretaria Municipal de Cultura, Pinacoteca Municipal espaço Casa Ponce Paz

Compartilhe!
Carregar mais em Cultura
...

Verifique também

20ª Semana Nacional de Museus em Bauru tem programação gratuita

Em comemoração ao Dia Nacional dos Museus, 18 de maio, a Secretaria de Cultura, por meio d…