A Organização Mundial de Saúde mostra a obesidade como um dos maiores problemas de saúde pública no mundo. No Brasil, o Ministério da Saúde alerta que 25,5% dos adolescentes de 12 a 17 anos estão com excesso de peso e 8,4 % estão obesos. Entre os mais jovens, a obesidade aumentou 110% entre 2007 e 2017.

A Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (Abeso) alerta para o tempo que as crianças têm estado em frente a dispositivos eletrônicos como celulares, tablets e também televisão e computadores.

“Estes hábitos, cada vez mais frequentes no mundo inteiro, estão tornando as crianças mais sedentárias, e o comportamento sedentário está diretamente ligado ao excesso de peso e à obesidade, especialmente em crianças e jovens”, alerta a Associação.

A obesidade é uma doença crônica, caracterizada pelo excesso de gordura corporal, o que causa prejuízos à saúde. Existem diversas maneiras de classificar e diagnosticar a obesidade. A avaliação da massa corporal em crianças e adolescentes é feita por meio de tabelas que relacionam idade, peso e altura.

Já o Índice de Massa Corporal (IMC) é recomendado para avaliar o peso dos adultos em relação à sua altura. Para calcular, basta dividir seu peso, em quilos, por sua altura ao quadrado. Por exemplo, se o seu peso é 70kg e sua altura é 1,65m, a fórmula para calcular o IMC ficará assim: 70 ÷ por 1,65 x 1,65, que é igual a 25.73. O IMC de 25 a 29.9 indica que a pessoa está acima do peso e a partir de 30 caracteriza obesidade.

Aquelas aulas de Educação Física
As causas da obesidade podem estar relacionadas a diferentes fatores, como doenças de origem hormonal, maior consumo de alimentos (calorias) em relação a um menor gasto de energia e pouca atividade física.

A educação ou reeducação alimentar, orientação nutricional e atividade física são aliadas da boa saúde. Para o Ministério da Saúde, não é considerada sedentária a pessoa que pratica alguma atividade física moderada por ao menos 150 minutos semanais – 30 minutos/dia por cinco dias na semana.

A prática de atividade física é fundamental em qualquer idade, mas na adolescência ela é ainda mais importante, porque neste período o jovem passa por diversas mudanças corporais emocionais e comportamentais.

Neste contexto, vale ressaltar a importância do professor de Educação Física e daquelas aulas que muitas vezes são vistas como tempo livre pelos estudantes do Ensino Fundamental e Médio. “A obesidade é uma epidemia e se tornou um dos maiores problemas de saúde pública, alerta o professor de Educação Física Edson Walter Lopes, da escola estadual Joaquim Rodrigues Madureira. “Nossa missão, como professor de Educação Física, é despertar e oportunizar a prática de diferentes formas de exercício físico de modo prazeroso e crítico, trabalhando com princípios da inclusão e diversidade, dando oportunidades a todos e respeitando suas capacidades”, explica o professor.

Gilson Viana Sobral é aluno do 3° ano do Ensino Médio da escola estadual Ayrton Bush. Sobre a disciplina de Educação Física o jovem avalia: “ Eu gosto muito das aulas, até estou prestando vestibular nessa área. Acho importante que os alunos saibam o quanto é bom pra nossa saúde a prática de diversos esportes e alimentação correta”, destaca Gilson. “Essa matéria também nos apresenta diversas formas de danças, esportes, lutas e culturas diferentes, acho isso muito interessante para nossa formação”, complementa o estudante.

Sobre o aumento da obesidade e do sobrepeso entre os adolescentes brasileiros, o professor Edson,-que também ministra aulas na escola Guedes de Azevedo- alerta que estamos nos equiparando aos números dos Estados Unidos. “Por isso, o professor deve oportunizar a prática prazeroso de exercício físico nas escolas. Mas também fundamentar criticamente o “porquê” fazer, trabalhando dentro de três princípios o saber, o fazer e o ser.

Educação física em Bauru
As Faculdades Integradas de Bauru (FIB) estão com inscrições abertas para o vestibular agendado em Educação Física e para outros 18 cursos.

A instituição oferece o curso, avaliado com nota 4 pelo MEC, na modalidade licenciatura e bacharelado. A licenciatura permite que o profissional atue na área de educação, como professor de educação física no infantil, no ensino fundamental e médio. Já o bacharel vai trabalhar nos diferentes ambientes onde se desenvolvem atividades físicas, como academias, clubes, spas, escolinhas esportivas, clínicas.

O principal destaque do processo seletivo 2019 da FIB é oferecer aos candidatos a opção de um parcelamento de até 70% do valor da mensalidade. Neste caso, o aluno pagaria 30% do valor da mensalidade e os 70% restantes após o término do curso. O Parcelamento Estudantil FIB (PEF) é realizado diretamente na faculdade.

Além disso, disponibiliza bolsas pelo Programa Universidade Para Todos (Prouni), Programa Escola da Família e conta com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

O candidato classificado no vestibular poderá efetivar a matrícula na instituição mediante o pagamento de R$100,00. O restante da 1ª mensalidade poderá ser parcelado em até 3 vezes.

Outras informações sobre o vestibular da FIB estão disponíveis no site da instituição ou pelos telefones (14) 2109 62 06 ou (14) 9 99822-3829 (WhatsApp).

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Voluntários realizam ações em comunidades carentes de Bauru

O TETO é uma instituição sem fins lucrativos que atua em 19 países da América Latina. Aqui…