Esse ano será um prato cheio para os bauruenses que gostam de observar o céu e contemplar eventos astronômicos!

Serão mais de 10 datas em que poderemos admirar diversos fenômenos como: chuva de meteoros, eclipses, superluas, conjunções planetárias, entre outros.

E o mais legal é que o Observatório de Astronomia da Unesp de Bauru realizará eventos na maioria dessas datas, para que os bauruenses possam contemplar os fenômenos utilizando os instrumentos adequados, que possibilitam uma melhor observação.

Então, se você não quer perder nada do que acontecerá no céu bauruense em 2020, fique ligado nas datas dos eventos astronômicos!

Conjunções Planetárias

Segundo o Prof. Dr. Rodolfo Langhi, coordenador do Observatório de Astronomia da Unesp, uma conjunção planetária acontece quando astros posicionam-se em pontos muito próximos entre si, em relação a um observador na Terra.

Assim, para nós que estamos observando daqui, os astros parecem estar alinhados, ou “formando uma fila” no céu.

Uma conjunção entre Lua, Marte, Júpiter e Saturno ocorrerá entre os dias 18 a 20 de fevereiro e poderá ser contemplada um pouco antes do amanhecer, se o bauruense olhar para a direção horizonte Leste.

Como o fenômeno ocorrerá no final da madrugada e muita gente estará dormindo ainda, o Observatório não abrirá para o público na ocasião.


Exemplo de uma conjunção astronômica entre Lua, Marte e Saturno/ Foto: Veja

Superlua

Conhecido como superlua, o fenômeno é nomeado cientificamente como “Lua Cheia de Perigeu” e ocorre quando a Lua Cheia passa pelo ponto mais próximo da Terra ao longo de sua órbita. Dessa forma, a Lua aparenta estar um pouco maior e mais brilhante.

A primeira superlua de 2020 será no dia 9 de março. Nesta data o Observatório pretende abrir ao público.

Um observador casual não conseguiria distinguir uma lua maior e mais brilhante do que a média sem instrumentos adequados, pois estes aumentos são extremamente sutis e imperceptíveis. Por isso, pretendemos abrir o Observatório nesta noite para ministrar uma palestra esclarecendo este fenômeno ao público e para mostrar a Lua pelos telescópios”, comenta o professor Rodolfo Langhi.

Além dessa, outra superlua poderá ser observada no dia 7 de abril!

Chuvas de meteoro

Este ano também será marcado por muitas chuvas de meteoros, conhecidas popularmente como “estrelas cadentes”. Esse fenômeno geralmente pode ser observado a olho nu, mas o professor Rodolfo salienta:

A observação depende da intensidade de luz urbana que está sendo jogada para o céu por causa da iluminação pública, a qual ofusca o brilho das estrelas e atrapalha as observações astronômicas. Também dependemos das condições atmosféricas, ou seja, da presença de nuvens que podem encobrir o céu e impedir as observações”.

Por conta disso, vale a pena observar o céu em um local mais distante da cidade, para que a iluminação urbana não atrapalhe o espetáculo astronômico!

As datas em que ocorrerão picos de chuva de meteoros serão:

  • 22 de abril (pico da chuva de meteoros chama Lirídeos)
  • 21 de outubro (Orionídeos)
  • 17 de novembro (Leonídeos)
  • 14 de dezembro (Geminídeos)

Eclipses

Eclipses são eventos astronômicos que consistem no escurecimento total ou parcial de um astro, porque um outro corpo celeste passa na frente dele.

Existem dois tipos de eclipse: solar (quando a Lua fica entre a Terra e o Sol) e lunar (quando a Lua é ocultada totalmente ou parcialmente pela sombra da Terra).

Na madrugada de 4 a 5 de julho ocorrerá um Eclipse Penumbral da Lua (da 00h07 às 2h52), assim como na noite de 30 de novembro (das 4h32 às 8h53).

Neste tipo de eclipse, a Lua Cheia não entra na região da sombra da Terra e sim em uma região de penumbra (um ponto de transição entre a luz e a sombra).

Por conta disso, segundo o professor Rodolfo, é bem difícil observar um eclipse penumbral, já que a Lua não fica suficientemente escurecida para que possamos enxergar a olho nu.


Eclipse penumbral da Lua/ Foto: Fred Espenak

Eclipse solar total

No dia 14 de dezembro, outro tipo de eclipse acontecerá: um Eclipse Solar Total, que será visível como parcial em boa parte do Brasil, do 12h40 às 15h09.

Aqui em Bauru veremos a Lua cobrir apenas cerca de 27% do disco solar, já que estamos distantes da faixa por onde a sombra da Lua passará sobre a superfície da Terra.

A faixa de sombra lunar, durante o dia, é estreita e mede cerca de 100 km de largura. Nesse eclipse solar de dezembro, esta faixa passará por algumas cidades da Argentina e do Chile, que poderão observar o eclipse total do sol. Assim, quanto mais perto a pessoa estiver da faixa da sombra, isto é, quanto mais perto do Chile e da Argentina, mais encoberto o sol ficará pela Lua. Para nós do Brasil, apenas a penumbra da Lua passará – e não em todo o território nacional, por isso não veremos o eclipse total”, explica Rodolfo.

Eclipse solar visto como parcial/ Foto: Público

A situação seria diferente se estivéssemos falando de um eclipse total da Lua, já que todas as pessoas que estivessem no hemisfério onde é noite em nosso planeta poderiam visualizar a Lua Cheia entrando na sombra da Terra. Nesse caso, não haveria uma faixa ou local privilegiado.

Lua Azul

No dia 31 de outubro acontecerá a “Lua Azul”, que não é um fenômeno que deixa a coloração da Lua azul, como muitos podem pensar. Desta forma, este é apenas um nome popular que usamos para remeter à segunda Lua Cheia de um mês.

Este nome pegou e ficou até hoje, mas não passa de uma simples situação quando ocorrem duas luas cheias em um mesmo mês”, explica Rodolfo.

Marte marcando presença

Marte também não poderia ficar de fora desse ano cheio de fenômenos astronômicos!

Em 9 de agosto, um pouco antes do amanhecer, o planeta será ocultado pela Lua que passará bem em frente a ele. Dessa forma, veremos Marte ficar “escondido” atrás da Lua por cerca de uma hora em um evento que poderá ser observado a olho nu.

No dia 5 de setembro o mesmo evento se repetirá, mas dessa vez será por volta de meia noite.

Já na noite de 2 de outubro, Marte ficará bem perto da Lua, formando uma conjunção. A proximidade máxima entre os dois astros será alcançada por volta da meia noite.

Outro acontecimento interessante envolvendo o planeta, é que esse ano ele atingirá seu ponto mais próximo da Terra no mês de outubro. Esse fenômeno acontece aproximadamente a cada dois anos e, por causa dele, Marte ficará bem mais brilhante no céu e com uma coloração avermelhada.

Planetas

Para fechar a lista, vamos falar agora de outros planetas que também nos agraciarão com a sua presença nos eventos astronômicos desse ano.

No mês de julho acontecerá a máxima aproximação da Terra com os dois maiores planetas do Sistema Solar: Júpiter e Saturno, fazendo com que a observação destes astros pelo telescópio seja favorecida. Para que o público possa contemplar o fenômeno, o Observatório pretende realizar um evento no dia 25 de julho.

Para completar, nesse mesmo mês, todos os sete planetas ficarão visíveis simultaneamente durante o amanhecer dos dias 9 à 25 de julho.

Serviço
Observatório Astronômico
Local: Estrada, Av. Mun. José Sandrin, s/n – Chácaras Baurenses
Telefone: (14) 3103-6030
Site: www2.fc.unesp.br/#!/observatorio
Facebook: www.facebook.com/obsbauru/

 

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Anne Hernandes
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

MCs de Bauru lançam clipe da cypher “Fênix” sobre união e esperança em meio ao caos

Com um beat de peso, a cypher – quando MCs se juntam para fazer rimas inéditas ̵…