Você já ouviu falar no grupo Rede de Apoio Anjo Azul? A iniciativa, que surgiu em setembro de 2019, reúne mães de autistas que buscam trazer conhecimento e acolhimento às famílias que estão em processo de aceitação do diagnóstico de autismo ou ainda investigação diagnóstica.

Com isso, a instituição realiza nesta terça (18), às 19h, uma palestra gratuita com o tema “Autismo e Saúde”. Nela, será abordada a questão da saúde mental e física das famílias e cuidadores de autistas. 

Dessa forma, contará com convidados como o psiquiatra do CAPS de Agudos, Dr. Evandro Pampani, para palestrar sobre esta temática e com a educadora física da Academia Saúde e Cia, Marcelle Graeff, para falar de autocuidados na saúde física. 

A ocasião terá a presença de estudantes do curso de Enfermagem da Etec, que estarão aferindo a pressão dos visitantes. O evento será realizado na Casa do Médico, localizada na Rua Amadeu San Giovanni, 4-47 – Jd. Paulista, Bauru.

Necessidade de um grupo de apoio

Apesar de formado oficialmente em setembro do ano passado, o grupo surgiu inicialmente após os pais de Thomaz Ferreguti descobrirem que que ele estava dentro do espectro autista. Seu principal objetivo era trazer o assunto para a realidade das pessoas, esclarecer dúvidas e também trocar experiências com outros pais.

“Ninguém dos meus amigos e parentes mais próximos sabiam algo sobre autismo, e conforme o tempo ia passando eu sentia a necessidade de falar sobre o assunto. Foi aí que criei a página ‘Somos UM’ nas redes sociais com a finalidade de informá-los sobre o que e como era o autismo”, explica Renata Ferreguti, mãe de Thomaz e fundadora do grupo. 

Ela, que também não sabia muito sobre o assunto, buscou o apoio de profissionais e, a partir disso surgiu uma grande ideia: criar um material para divulgar mais sobre o autismo na escola de Thomaz. 

Porém, a ideia deu tão certo que expandiu-se e o material foi divulgado em outras escolas de Bauru. “Depois disso, comecei a analisar que todas as outras mães se sentiam sozinhas e perdidas, com poucas informações. Foi aí que surgiu a ideia de criar uma rede de apoio, que teria encontros, a princípio, mensais”, detalha Renata. 

Com isso, aconteceu em setembro do ano passado a primeira reunião, que contou com a presença da Pediatra Cátia Caputo, na época, da diretoria da Associação dos Familiares, Amigos e Pais (Afapab) – única associação de autista em Bauru – e da psicóloga Lindsay Paulo.

Na ocasião, foram discutidos os primeiros sinais de autismo na infância e o resultado foi muito positivo. “Todos que foram gostaram e me perguntavam quais seriam os próximos temas, e assim nasceu a rede de Apoio Anjo Azul”, relembra a fundadora do grupo.

Atuação reconhecida 

Além de fundar a rede de apoio, Renata também foi reconhecida pela Secretaria Municipal de Educação de Bauru pela ação que realizou na escola de seu filho. Com isso, foi convidada para palestrar, também em setembro de 2019, na Semana Municipal de Prevenção às Deficiências, falando sobre seu olhar de mãe em relação ao assunto. 

Ademais, sua atuação também rende um feedback positivo de inúmeras pessoas, como pais, educadores e até profissionais da área. Quando perguntada sobre qual retorno mais lhe emocionou, Renata relembra: 

Um dos casos que foi bem importante para mim foi de uma mãe que conseguiu levar o marido pela primeira vez em uma palestra. Ele estava meio fechado para a possibilidade do seu filho ser autista, porém, após uma palestra, ela me mandou uma mensagem contando que o marido chorou e que tinha se aberto para o autismo. Ela me agradeceu por montar o grupo e ter a coragem de me expor. Foi aí que eu, que estava pensando até em desistir do grupo porque achava que não estava ajudando ninguém, tive a certeza que esta era  minha nova missão de vida”.

Conscientização em Bauru 

Dessa forma, a fundadora da organização reconhece que, hoje, é importante esse tipo de iniciativa já que, devido ao tamanha da cidade, a cada dia mais caso de autismo está sendo diagnosticado e são poucas as instituições que atendem a esse grupo de pessoas. 

“Temos apenas a Afapab, a Apae e a Sorri, mas sabemos da carência de recursos. O nosso grupo dá apoio para quem cuida, afinal, o cuidador precisa deste cuidado. Assim, é um lugar onde podemos encontrar apoio, informação de qualidade e muita troca de experiência”, ressalta Renata. 

Além disso, ela já pensa inúmeras ideias de ações para este ano! No entanto, há dificuldade para encontrar quem as financie ou apadrinhe, já que não são uma ONG constituída e realizam apenas eventos gratuitos.

“Meu maior sonho é criar um centro de referência em autismo, oferecer atendimento com profissionais que cedam parte do  seu tempo de forma voluntária para estes atendimentos. Criar neste local um espaço recreativo e ensinar outras mães a cuidarem de autista”, almeja a fundadora para o futuro do grupo.  

Por fim, Renata reflete sobre como tem sido compartilhar conhecimentos e experiência com outras mães e/ou familiares de pessoas com o espectro aqui em Bauru: 

“A palavra é gratificante, acho que criei a rede de apoio anjo azul para mim mesma, eu estava como em um oceano e sentia que se eu não fizesse algo eu ia me afogar, queria um suporte pra minha dor, e aí descobri que curando minha dor eu estava ajudando outras mães a se curarem da delas, então todas nós descobrimos que não estamos sozinhas, pra mim está sendo como um apoio pra permanecer firme  de pé”, finaliza. 

Serviço 

Palestra “Autismo e Saúde” – Rede de Apoio Anjo Azul
Data:18 de fevereiro, às 19h
Local: Casa do Médico (Rua Amadeu San Giovanni, 4-47 – Jd. Paulista)
Facebook: www.facebook.com/SomosUmAzul
Instagram: @somosumazul

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Paula Borim
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Microempreendedor de Bauru: conheça dois cursos gratuitos com inscrições abertas

Começar um novo negócio tem sido uma alternativa para muitos bauruenses durante a pandemia…