Três projetos diferentes estão à disposição para os bauruenses conhecerem e votarem. Eles foram pensados com o intuito de trazer modernidade para a área central da cidade. Assim, a Prefeitura de Bauru abriu, em fevereiro, uma licitação para seleção do melhor projeto executivo de engenharia e arquitetura para a remodelação do Calçadão da Rua Batista de Carvalho, em suas sete quadras.

Três escritórios de arquitetura apresentaram propostas de projetos para o local, sendo a abertura dos envelopes feita pela Comissão Julgadora, composta por servidores das secretarias municipais de Planejamento, Obras e Desenvolvimento Econômico, além da sociedade civil.

As propostas agora seguem para voto popular, para participar, acesse o site da Prefeitura. A votação segue até o dia 30 de setembro.

Conheça os projetos para a remodelação da Batista

  • Projeto 1

Eliminação ou, na impossibilidade, minimização dos pontos negativos, tais como: pouca iluminação, poucas áreas de descanso, pisos irregulares entre os arcos e as lojas, inexistência de bicicletários, inexistência de pontos de hidratação, dificuldade de acessibilidade e mobilidade de pessoas com deficiência nos cruzamentos das vias transversais, poucas áreas verdes, falta de espaço destinado à crianças, falta de espaço destinado a manifestações culturais e artísticas; e até um reconhecimento do poder público sobre a importância da Esquina da Resistência como espaço histórico de reivindicações sociais.

Melhoria e ampliação dos pontos reconhecidamente considerados positivos pelos usuários, tais como: permanência dos arcos metálicos, por já terem se tornado parte da identidade do calçadão de Bauru; a substituição das telhas de cobertura dos arcos, por proporcionarem abrigo ao sol e à chuva; o aumento de áreas verdes e permeáveis com vegetação e paisagismo, pontos para hidratação, maior número de bancos, entre outros.

Utilização do conhecimento adquirido no exercício da profissão de Arquitetos, Urbanistas e Engenheiro Civil, contribuindo com soluções e proposições criativas, sustentáveis, econômicas e tecnológicas no sentido de trazer uma experiência segura e agradável aos usuários, tornando o espaço em questão mais atrativo, belo, confortável, inclusivo e seguro.

  • Projeto 2

Como marca registrada, os arcos ao longo da via são inconfundíveis para qualquer visitante da cidade. Para manter essa marca e, ao mesmo tempo, ampliar visualmente o espaço, o projeto propõe a retirada dos conjuntos dos arcos das extremidades das quadras mantendo apenas o conjunto dos arcos centrais que serão restaurados com nova aplicação de pintura na cor branca, cobertura com chapas de policarbonato na cor bronze e uma iluminação decorativa. O piso sob os arcos será diferenciado com tabuleiro de jogos em cada quadra (xadrez, amarelinha, pula-pula, caracol) Garantindo uma faixa livre em cada lado junto às lojas e uma faixa livre central de serviço, os demais espaços serão tratados como mini-praças, gazebos fixos ( no total de quatro por quadra) – estrutura metálica na cor branca com cobertura em chapa de policarbonato na cor bronze – garantirão áreas de sombra com bancos, ladeados por floreiras no piso com palmeiras e plantas decorativas, conjuntos de bancos e floreiras altas, conjuntos de mesas com tabuleiros e bancos e floreiras altas. Estas mini-praças serão delimitadas pelo piso diferenciadona quadra. Completam o mobiliário espalhados pelas quadras, suporte para bicicleta, lixeira simples, lixeiras duplas para lixo orgânico e reciclável, bebedouros duplos para pessoas e cães, pequenos palcos com iluminação especial para pequenas apresentações artísticas e placas de sinalização. Na quadra 2 propõe-se a instalação de um totem decorativo consistindo de um coração e a inscrição “Bauru”, sugestivo para fotos.

Nas extremidades das quadras serão instaladas floreiras altas para conduzir o fluxo de pedestres para as faixas elevadas de pedestres, inclusive a ligação para a praça Rui Barbosa, garantindo piso contínuo entre as quadras.

Tendo em vista a existência de 3 construções tombadas pelo patrimônio histórico municipal, serão instalados totens com placas informativas com foto e texto com a história da edificação (impresso e em braile) . Completam a comunicação visual, placas com os nomes das ruas transversais, placas indicativas de pontos de interesse próximos, bebedouros e bicicletários.

Garantindo fácil deslocamento de pessoas com deficiência visual, piso tátil será instalado nas faixas livres junto às lojas e direcionando-os para as faixas de travessia de pedestres, bebedouros e totens informativos do patrimônio histórico.

A retirada dos postes de concreto e instalação de cabos subterrâneos garantirá a ampliação visual do espaço, diminuindo a poluição visual causada pela fiação aérea. A iluminação do espaço será fornecida por lâmpadas de led instaladas em postes ao longo de cada quadra.

Propõe-se a retirada do painel existente na quadra 7 com um mapa da cidade e sua realocação na Praça Rui Barbosa. Sugere-se também que a administração municipal ou uma associação de lojistas criem regras para os serviços de alimentação a fim de padronizar mesas e cadeiras, carrinhos, ombrelones de uso próprio garantindo assim, uma padronização visual para o calçadão.

  • Projeto 3

Para os elementos que representam o ano de 1920 – a ferrovia e os rios que banham a cidade – teremos o que chamamos de faixas de serviço, Serão duas faixas paralelas em tom azul royal, de 60cm de largura cada, que seguirão continuamente o Calçadão desde a sua quadra 1 até a quadra 7 sem interrupções – inclusive nos cruzamentos . Elas partem do chão subindo para fornecer atrativos podendo interligar com mais outra função ou descendo novamente até o chão. Nestas faixas teremos mesas, bancos, escorregadores, bebedouros, lixeiras, áreas verdes e floreiras, todas com design que permite ao pedestre passante entender sua lógica intuitivamente.

Nos elementos que representam o ano de 1992, estão a chave da identificação do bauruense com o calçadão atual. O calçamento de piso de concreto intertravado que possui muitas vantagens como – trazer aspectos de sustentabilidade, permitir manutenção sem perda material ( são módulos reaproveitáveis), permitir reduzir escoamentos superficiais (com filtragem no terreno), facilidade no manejo de forma manual e outros, possibilitará ao morador se identificar com outros calçamentos já existentes na cidade,a possibilidade de reaplicar seu desenho e material em outros locais públicos do município.

Os ombrelones serão a representação do reuso de um elemento famoso na cidade e que não pode ser apagado de nossa memória – os famosos arcos azuis do Calçadão.

Quanto aos elementos relacionados à contemporaneidade do projeto relacionado ao ano de 2020, os Postes Eco-Eficientes de luz solar representam um dos melhores exemplos de utilização das novas tecnologias para redução do consumo de energia. O piso de material de concreto intertravado tem várias vantagens, como resistir, distribuir ao subleito os esforços aplicados sobre eles, além de melhorar as condições de rolamento e segurança, o benefício da sustentabilidade.

Por último, enfatizamos ainda, o uso das passagens elevadas e a paleta de cores utilizada. Todos os cruzamentos contarão com passagens elevadas, ou passagens de nível, que darão modernidade ao projeto, trarão equilíbrio e respeito ao pedestre no trânsito local, e e baseado no conceito de influência das cores no psicológico humano, o projeto tem como objetivo fazer com que os usuários se sintam acolhidos e queiram fazer parte desse espaço. Para isso, a paleta de cores usadas foi o azul royal, cinza em tons escuros e claros e o branco.O azul é capaz de produzir segurança, nas crianças e trazer a questão da reflexão à tona, o branco a a mensagem de sentimento de paz e tranquilidade necessárias às tensões do dia a dia.

Fiação subterrânea

O Calçadão não recebe melhorias significativas desde a sua criação em 1992. O concurso compreende a apresentação de projetos executivos no valor máximo de implementação de R$2.000.000,00. O projeto vencedor receberá R$ 50.000,00.

Estão entre as melhorias previstas no novo Calçadão está o enterramento da fiação elétrica. Praticado em diversas cidades do mundo e também no Brasil, o intuito é trazer embelezamento às regiões centrais, privilegiando as fachadas históricas e minimizando a poluição visual desses locais.

Para essa implantação a Prefeitura recebeu a doação do projeto executivo que foi desenvolvido pela CPFL.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

UNISAGRADO lança música que inspira esperança em um futuro melhor

Investir em uma graduação pode ser, além da realização de um sonho, sinônimo de novas opor…