Esse ano, pela primeira vez na história do Festival de Artes Cênicas de Bauru (FACE), o público poderá assistir as apresentações de casa, com transmissões pelo YouTube. O evento será realizado de 1º a 15 de novembro com 19 apresentações gratuitas.

Quem não quer perder os espetáculos poderá se cadastrar no site do evento para receber um aviso pelo WhatsApp meia hora antes das apresentações – que não ficarão disponíveis após o fim da programação.

Para quem sente falta da sensação de ir ao teatro, a organização do evento se prepara para receber uma quantidade limitada de espectadores em algumas apresentações. Essa oportunidade só será confirmada na semana do evento, e depende do estado da pandemia no município.

“A presença do público é importante para a fruição dos espetáculos de artes cênicas. Tanto o público quanto os artistas sentem falta das apresentações presenciais e queremos muito recebê-los, mas temos a saúde dos artistas, profissionais e do público como prioridade. Estamos respeitando as indicações de protocolo de segurança”, assegura Andressa Francelino, diretora geral do FACE.

Andressa reforça que a programação completa será transmitida pelo YouTube, independente da presença do público.

Grupos nacionais e internacionais participam do 9º FACE

Grupos de seis estados brasileiros compõem esta edição: Ceará, Goiás, Paraná, Rio Grande do Sul, Rio Grande do Norte e São Paulo, além de duas atrações internacionais, de Portugal e da Noruega. A partir do tema do festival, Lugar Manifesto, a curadoria do diretor artístico Fábio Valério busca propor reflexões acerca das múltiplas crises que atravessam a atualidade.

“Os artistas e grupos que compõem a programação formam um conjunto de diferentes visões que se complementam, contrastam e ampliam horizontes, fazendo do festival um espaço de crítica e de catarse”, comenta Fábio.

Abre a programação de espetáculos do festival, o Cabaret Scènesonore – espetáculo de variedades inspirado nos antigos cabarés europeus, produzido pelo grupo Protótipo Tópico. No Cabaret, artistas da cidade de Bauru apresentam cenas de teatro, dança, performance, música, artes visuais, leitura de poesias, textos e crônicas.

Desmontagem e espetáculo online interativo

Duas apresentações se destacam na programação com propostas que fogem ao modelo tradicional. Tânia Farias, do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz, traz para o festival a Desmontagem Evocando os Mortos – Poéticas da Experiência. O intuito é provocar uma reflexão sobre o fazer e a pesquisa teatral, suas implicações e atravessamentos com a vida da artista.

Tânia Farias revela a artista por trás da obra e, com ela, o tecido político e social que a envolve. A desmontagem, conceito recente difundido pela atriz, refaz o caminho da criação de personagens emblemáticos da dramaturgia contemporânea, constituindo um olhar sobre as discussões de gênero, e abordando a violência contra a mulher.

Destacamos ainda o espetáculo binaural interativo Nuvem, do Agrupamento Núcleo 2, de São José do Rio Preto. O público deve se inscrever no formulário no site do evento para participar. O espetáculo totalmente interativo começa com uma mensagem que o espectador recebe pelo aplicativo WhatsApp, a partir dela o próprio público escolhe que caminho seguir na narrativa.

Espetáculo “Nuvem” (Foto: Jef Telles)

Dirigida por Jef Telles, que é também o protagonista da história, Nuvem é construída como uma autoficção, uma narrativa que mistura informações reais com ficção. O trabalho alia performance, videoinstalação e o mecanismo binaural – um som em três dimensões que reproduz o ouvido humano, transmitido no espetáculo por fones de ouvido.

Performing Project: mostra audiovisual

Nesta edição, o FACE incorpora a mostra audiovisual Performing Project, uma iniciativa experimental de videoperformances publicadas no Instagram, que partiu da sensação de incerteza causada pela pandemia de Covid-19 e o distanciamento social. O projeto foi idealizado em abril deste ano por Andressa Francelino, diretora geral do FACE, e tomou forma com a incorporação dos trabalhos de diversos artistas.

“É sobre descobrir possibilidades artísticas e imagens poéticas dentro da nossa própria casa. É sobre não temer as nossas fragilidades mentais-emocionais-tecnológicas e compartilhar nossas inquietações através de performances virtuais assumindo este tempo de incertezas”, pontua Andressa.

No FACE, a mostra terá exibição de obras produzidas por 11 artistas durante o festival a partir da proposta “Lugar Manifesto: O que te sobra de poesia e manifesto nas esquinas da cidade?”. Após a exibição será realizado um debate com profissionais das artes cênicas e do cinema para discutir as intersecções entre os campos, o intercâmbio de narrativas, discursos e outros aspectos técnico-formais. Participam do debate os cineastas Rogério Borges, Kit Menezes e Liene Saddi, além dos artistas que integram o projeto.

Programação completa de espetáculos

  • 01/11 | 20h | Youtube/Facebauru e Espaço Protótipo

Cabaret Scènesonore – Especial: Abertura do 9º Festival de Artes Cênicas de Bauru

Para celebrar os nove anos de (r)existência do Festival de Artes Cênicas de Bauru, o evento traz o
Cabaret ScèneSonore – um espetáculo de variedades – em sua abertura. Cenas de teatro, dança,
performance, música, artes visuais e leituras de poesias, textos e crônicas, sucedem-se compondo o
espetáculo. O elenco reúne, sem distinções, estudantes, poetas emergentes e/ou aspirantes, novos
artistas e artistas experientes de Bauru, reconhecendo o talento de cada participante.

Convidados: Raxi Figueiredo, Andressa Francelino, Giovanni Alberti, Juliana Ramos, Mari Boico, João Folcato, Luciane Zapater e Victoria Rangel.
Classificação: Livre

  • 02/11 | 20h | Youtube/Facebauru

Espetáculo: Titiksha

Foto: Estellita M’Lamou

Titiksha, no sânscrito, é um termo semelhante à Resiliência. O espetáculo pretende abordar este conceito, partindo do contexto histórico da humanidade, onde vários povos foram, e ainda são, forçados a abandonarem suas origens. O solo faz uma tentativa de personificar este conceito, vislumbrando uma espécie de guerreira mística em movimento.

Nalini Cia De Dança (Goiânia-GO)
Classificação: 10 Anos

  • 03/11 | 20h | Youtube/Facebauru

Espetáculo: Mil Besos

Como se dança um exagero? A partir de um material autoficcional e estudos sobre exagero e monstruosidade, Mil Besos é uma performance solo do artista brasileiro Gabriel Machado. Um corpo que tenta manter-se em pé com 5kg de papel craft na cabeça. Low-tech e high-tech em busca do grotesco, do inumano, do super humano. Este projeto recebeu apoio do Programa Iberescena de Criação Coreográfica em Residência, Funarte – Fundação Nacional da Artes, Programa de Apoio e Incentivo a Cultura da Fundação Cultural de Curitiba e Programa Estadual de Fomento e Incentivo a Cultura do Paraná, Profice da Secretaria de Comunicação Social e da Cultura, Governo do Estado do Paraná.

Selvática Ações Artísticas (Curitiba-PR)
Classificação: Livre

  • 04/11 | 20h | Youtube/Facebauru e Teatro Municipal

Espetáculos: Grand Pas De Deux De Carnaval Em Veneza; Grand Pas De Deux De Esmeralda; Aparições

Espetáculo “Aparições” (Foto: Fernanda Kimayr)

Grand Pas de Deux de Carnaval em Veneza: Criada originalmente sob inspiração de temas da peça Carnavale di Venezia (Op. 10), de Niccolò Paganini, essa obra integra o repertório clássico de grandes companhias. O Grand Pas de Deux de Carnaval em Veneza traz para a cena um duo clássico vibrante e virtuoso, que remete aos bailes de máscaras da Europa do século XVII.

Grand Pas de Deux de Esmeralda: Inspirado em Notre-Dame de Paris (conhecido como O Corcunda de Notre Dame), de Victor Hugo. Apresentada pela primeira vez em 1844 por Jules Perrot. Conta a história da cigana que se apaixona por Phoebus, oficial da guarda na Paris do século XV. Entre as dificuldades do casal está a noiva do oficial, da alta sociedade. A criação da SPCD contempla um grand pas de deux da obra original, onde Esmeralda e Phoebus comemoram a possibilidade de viver o amor.

Aparições: Criação da coreógrafa contemporânea Ana Catarina Vieira para a SPCD, Aparições se inspira nas obras de Portinari, César Guerra-Peixe e nas danças populares do nordeste. Os figurinos e elementos cênicos de Marco Lima ampliam o gesto no espaço. A luz de Wagner Freire dialoga com os elementos e contribui para a dramaturgia. Seguindo o protocolo de distanciamento social, o elenco é formado por bailarinos que já convivem pessoalmente em seu cotidiano. Após a apresentação, haverá um bate-papo com Inês Bogea.

São Paulo Cia De Dança (São Paulo-SP) – Criada e mantida pelo Governo do Estado de São Paulo,
dirigida por Inês Bogéa.

Abertura: Cia Estável De Dança – Morte E Vida Severina

Espetáculo “Morte e Vida Severina” da Cia Estável (Foto: Loriza Lacerda)

Classificação: Livre

  • 05/11 | 19h | Youtube/Facebauru

Samara Azevedo E Daniel Moutinho (Lisboa, Portugal)
Performances: Ato Xi – Ailton Krenak; A Galinha Dos Óvulos De Ouro; Anatomia De Um Afecto; A Fila Para O Pão

ATO XI – Ailton Krenak, Samara Azevedo: Em 1987, durante a Assembleia Constituinte, para defender artigos que tratavam da garantia de direitos para os povos originários, Ailton Krenak subiu na tribuna da Câmara dos Deputados. Num gesto inesperado, pintou o rosto de preto. Conseguiu silêncio e atenção, quase impossíveis no tocante à realidade das sessões no Congresso Brasileiro.

Samara Azevedo reencena este gesto, que se transformou em um dos 17 Atos que performou a partir da investigação do Relatório Final da Comissão Nacional da Verdade de 2016. A Galinha dos Óvulos de Ouro, Samara Azevedo: A quem pertence um útero? Quem tem direitos sobre a escolha reprodutiva de uma sociedade? Quais os limites coletivos nas decisões sobre os corpos? Uma interrupção de uma gravidez é um crime ou um direito?

Anatomia de um Afecto, Daniel Moutinho: Um vídeo documental performativo feito com imagens de Outra Lição de Anatomia. Um diálogo com as imagens de um evento passado. Uma inscrição como uma forma de estar perante as imagens. Uma conversa com elas, de quem fala de um lugar de intimidade sobre a morte, sobre a vida (o trabalho, o tempo, a solidão, as memórias, a arte).

A Fila para o Pão, Daniel Moutinho: A Fila para o Pão é uma subversão da figura do Super-Homem. A Fila para o Pão é um filme sobre as lutas do dia-a-dia. A luta humana, a do Clark Kent, ser inseguro, trapalhão mas alter-ego de um Super-Homem. Na dissonância entre a narração e o filme emerge o mundano de ser pessoa, entre a realidade, a da espera, das tentativas de sobrevivência (de prevalecer), e as impossibilidades extraordinárias de um Super-Homem.

Classificação: 16 Anos

  • 06/11| 20h | Youtube/Facebauru

Desmontagem Evocando Os Mortos – Poéticas Da Experiência

A Desmontagem refaz o caminho do ator na criação de personagens emblemáticos da dramaturgia contemporânea. Constitui um olhar sobre as discussões de Gênero, abordando a violência contra a mulher em suas variantes, questões que passaram a ocupar centralmente o trabalho de criação do grupo Ói Nóis Aqui Traveiz.

Tribo De Atuadores Ói Nóis Aqui Traveiz (Porto Alegre-RS)
Classificação: 16 Anos

  • 06/11 | 22h | Youtube/Facebauru

Espetáculo: Nada Escapa Ao Vazio

A janela, a parede, a cadeira e o Hábito. O tempo é como um livro, chuva, vidraça, acender e apagar de luzes, o dia, o tédio e a noite. NOVAMENTE. De funerais em funerais presos entre a parede vazia e persiana fechada, sem fotografias. Acrescente mais 30 segundos na sua história de existência. NOVAMENTE. Quantas noites viveu até hoje? Já é tempo de parar. NASCER A janela, a parede, a cadeira e o Hábito. O tempo é como um livro, chuva, vidraça, acender e apagar de luzes, o dia, o tédio e a noite. NOVAMENTE. De funerais em funerais presos entre a parede vazia e persiana fechada, sem fotografias. Acrescente mais 30 segundos na sua história de existência. NOVAMENTE. Quantas noites viveu até hoje? Já é tempo de parar. NASCER.

Protótipo Tópico (Bauru-SP)
Classificação: 14 Anos

  • 07/11 | 16h | Youtube/Facebauru

Espetáculo: Stemmestammen

StemmeStammen é uma palavra norueguesa criada na qual «stemme» significa voz e «stammen» significa o tronco de uma árvore ou estar situado no meio de uma tribo, e explorará voz e o movimento com um grupo de 4 performers experientes em canto, dança e teatro.

Karstein Solli Productions (Noruega)
Classificação: Livre

  • 07/11 | 20h | Youtube/Facebauru E Teatro Municipal

Espetáculo: Poesia E Melodia (Work In Progress)

Poesia e Melodia é um retrato artístico-social do grito de amor extraído das gargantas de corpos negros contemporâneos. O público acompanhará a trajetória amorosa de um personagem cuja dramaturgia é composta por um compilado de poesias vindas de afrodescendentes do Brasil inteiro, como Regina Luz, Jonathan Raimundo, dentre outros.

Não Cia De Teatro (São Paulo-SP)
Classificação: 14 Anos

  • 08/11 | 16h | Youtube/Facebauru

Espetáculo: A Dança Da Ema – Kohixoti Kipaé

Após ampla pesquisa na Aldeia Kopenoti em Avaí com a família Sebastião e assessoria do Terena Irineu Nje’a, A Cia Mariza Basso Formas Animadas estreia “A Dança da Ema – Kohixoti Kipaé” em junho de 2019.

Mariza Basso Formas Animadas (Bauru-SP)
Classificação: 10 Anos

  • 08/11 | 20h | Youtube/Facebauru e Teatro Municipal

Espetáculo: Inner Space

“INNER SPACE” é um espetáculo de dança contemporânea que trabalha com o conceito de tempo e espaço e a relação afetiva com o nosso “eu” interno e o externo.

Sigma Cia De Dança (Bauru-SP)
Classificação: Livre

  • 09/11 | 20h | Youtube/Facebauru

Espetáculo: A Tragédia Mais Insignificante Do Mundo

Foto: Carol Macedo

Em três atos, uma perita criminal se depara com uma cena de crime. Três cabras foram assassinadas e a personagem precisa compreender o fato. Através de análises, interrogatórios e até um jantar com o suspeito, a figura busca entender como uma criatura se torna capaz de matar outras criaturas. Uma dissecação teatral sobre o tema da violência.

Teatro Das Cabras (Natal-RN)
Classificação: 14 Anos

  • 10/11 | 20h | Youtube/Facebauru

Espetáculo: Napoleão

Foto: Luiz Alves

Napoleão é um menino tímido e cheio de futuro. Seu sonho é cantar e sua maior aventura é tentar entender o mundo ao seu redor. Ele é um herói escondido dentro de nós. A peça fala da infância contemporânea e os desafios que ela traz à família e à educação. O texto e a direção são de Marcelo Romagnoli (SP) e teve pré-estreia na 9º edição do TIC – Festival Internacional de Teatro Infantil do Ceará.

Pavilhão Da Magnólia (Fortaleza-CE)
Classificação: 10 Anos

  • 11/11 | 20h | Youtube/Facebauru e Espaço Protótipo

Espetáculo: Jogada Final

O grupo InérCia apresenta o espetáculo “Jogada Final”, que retrata um cenário pós-apocalíptico onde os últimos sobreviventes da humanidade, mutilados e sozinhos, encontram-se num galpão vazio, apenas na companhia um do outro, dedicando o resto de seus dias à um jogo de conversas desconexas.

Inércia (Bauru-SP)
Classificação: 12 Anos

  • 12/11 | 20h | Youtube/Facebauru e Espaço Protótipo

Espetáculo: Limbo

O encontro após a morte. Olhar pro passado para conseguir encarar o caminho da evolução espiritual. Um corpo, um povo, um país: como é cair no esquecimento de Deus?

Núcleo Solar De Teatro (Bauru-SP)
Classificação: 16 Anos

  • 13/11 | 19h | Youtube/Facebauru

Espetáculo interativo: Nuvem

Nuvem é uma obra online interativa. Teriam as nossas palavras e ações um destino sombrio? Jef Telles caiu nessa armadilha sem volta, desse labirinto infinito. Passado e futuro se confundem numa senzala de vaidades e atrocidades naturais. O caminho é solitário, onde você faz as suas próprias escolhas.

Agrupamento Núcleo 2 (São José Do Rio Preto-SP)
Classificação: 14 Anos
*É necessário fazer inscrição no site do evento para assistir.

  • 14/11 | 16h | Youtube/Facebauru

Mostra Audiovisual

Mostra Audiovisual que conecta diferentes vídeos de diferentes artistas a partir da proposta “Lugar Manifesto: O que te sobra de poesia e manifesto nas esquinas da cidade?”. Após a exibição, haverá um debate pelo Google Meet com a presença dos participantes da Mostra: Andressa Francelino, Fábio Valério, Mariana Boico, Giovanni Alberti, Juliana Ramos, Fabíola Gonçales, Daiane Baumgartner, Álvaro Canholi, Gabriel Duarte, Gael Gramaccio, Caroline Gomes e com os profissionais do audiovisual Rogério Borges, Liene Saddi e Kit Menezes.

Performing Project (Bauru-SP)
Classificação: Livre

  • 14/11 | 20h | Youtube/Facebauru e Espaço Protótipo

Espetáculo: Máfia

A partir do atrito entre a realidade nacional e a indústria hollywoodiana a peça atualiza o conceito clássico de Máfia. Em meio lembranças e fake news o público assiste à construção de um novo Poderoso Chefão: não mais aos moldes clássicos de Don Corleone, mas a partir de uma referência mais atual, tropical e boçal.

Cia Para Pessoas Solitárias (São José Do Rio Preto-SP)
Classificação: 14 Anos

  • 15/11 | 20h | Youtube/Facebauru e Espaço Protótipo

Espetáculo: Talvez Isso Não Seja Totalmente Preciso, Mas Aqui Está

Foto: Helder Borges

A morte brutal de uma menina de nove anos, Mara Lúcia Vieira, em 1970, na cidade de Bauru, é o disparador para uma sequência de cenas poético documentais que buscam tentar entender a brutalidade de ontem que persiste no hoje. As lembranças de uma amiga de Mara, fragmentos do texto memórias do subsolo de F. Dostoiévski, reportagens sobre o fato e o próprio assombro dos artistas envolvidos se misturam na construção em cena de uma memória fabricada.

Protótipo Tópico (Bauru-SP)
Classificação: 16 Anos

Sobre o festival

O FACE é uma mostra não-competitiva que preza e foca as pesquisas cênicas contemporâneas trazendo para a cidade de Bauru uma programação completamente gratuita. Após cada espetáculo, haverá um bate-papo com os artistas, mediado pelos diretores do festival e por Aguinaldo de Souza.

Além dos espetáculos, o festival sempre conta com atividades de formação, entre oficinas, palestras e bate-papos, com o objetivo de possibilitar o intercâmbio entre artistas, estudantes das artes cênicas e público. As atividades formativas começaram no dia 20 de outubro e vão até 14 de novembro. É possível se inscrever até 24 horas antes da atividade pelo site do evento: facebauru.art.br.

A edição de 2020 do festival possui a direção geral de Andressa Francelino, direção artística de Fábio Valério e coordenação de José Vinagre. Ainda integram a equipe os produtores João Folcato e Mariana Vita, que também atua na comunicação do evento, ao lado do jornalista Gabriel Duarte.

Assim como nas edições anteriores, o Coletivo Boitatá é o responsável pela identidade visual. O 9º FACE é, ainda, uma realização do Programa de Ação Cultural (ProAC), da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Se inscreva no canal do YouTube e acompanhe o festival pelas redes sociais: @facebauru.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Sesc Bauru lança documentário sobre iniciativas socioculturais na região

Nesta segunda (30), o Sesc Bauru promove a estreia do documentário “Cartografias Possíveis…