unespiano-topo

Neste sábado (30), a Unesp completa 40 anos e, para comemorar, o Social Bauru conversou com alguns bixos, formandos e ex-alunos do campus de Bauru para saber, na opinião deles, quais as situações que todo unespiano já passou na vida: desde a carona solidária até a família que se forma entre os alunos. Confira a lista:

1 – Ficou ansioso pelo resultado do vestibular
“Eu lembro que, quando eu passei no vestibular, em 2010, o resultado saía pela manhã. Então, eu dormi bem tarde um dia antes para acordar quando já tivesse saído o resultado. Lembro que minha irmã – que era aluna do curso de engenharia civil em Bauru – me acordou cantando as músicas da bateria e já tinha tinta na mão. Quando eu vi meu nome na lista dos aprovado em jornalismo eu não acreditava! (risos). Achava que era um erro do sistema. Essa emoção de ter passado é algo que eu nunca esqueço” – Daniele Seridório

2 – Já pegou carona solidária
“Entrei na Unesp em 2008 e, nesta época, os universitários não tinham desconto no passe do ônibus; e como a Unesp ainda fica longe de onde mora a maioria dos estudantes, a carona solidária era muito praticada. O que mais me chamou a atenção era o ponto de carona que realmente funcionava! Acho isso fantástico! Não só estudantes com carro paravam, mas também bauruenses e professores da Unesp. Cada carona era diferente, você conhecia pessoas novas e ainda chegava mais rápido e sem pagar. Também rolava a carona fixa, que daí as pessoas colaboravam com um valor para o dono do carro, mas mesmo assim compensava muito! Um jeito bacana de fazer amizades e ainda ajudar o meio ambiente” – Natália Negretti.

“Como a faculdade é bem distante do centro da cidade e do shopping, onde se encontra a maioria dos estudantes, foi desenvolvido um esquema de caronas. Em pontos específicos, fazia-se uma fila para esperar quem estivesse indo ou voltando da faculdade de carro. Além da grande economia de não ter que pagar ônibus, todo dia conhecíamos uma pessoa diferente, de cursos que quase não tínhamos contato, além de professores, pais, visitantes, enfim, qualquer pessoa com um espírito solidário que estava indo para o mesmo lugar que nós. Era solução colaborativa que até hoje funciona muito bem” – Thomas Musmann.

3 – Já fez um ‘pós-festa’ no Flipper
“Acho que todo mundo na Unesp de Bauru tem um carinho especial pela região do Bauru Shopping e com certeza já fez, ao menos, uma gloriosa pós-festa comendo ainda bêbado no inigualável Flipper. Eu lembro de uma vez em que eu e duas amigas de sala fizemos isso e os três não se deram conta alguma que esquecerem cada um a sua caneca de bebida na mesa!” – Henrique Valente Tobias.

4 – Já foi ao Ubaiano
“Acho que todo mundo que já estudou na Unesp já saiu da aula e foi beber ou jogar no Ubaiano, que é praticamente uma extensão da própria Unesp. Lá, conheci muita gente, fiz amizades, aprendi a jogar sinuca, matei umas aulinhas… dizem que, quando a Unesp ainda era a antiga Fundação e ficava nas proximidades da Vila Falcão, o Ubaiano já existia. E quando a Unesp mudou pro lugar que é hoje, o bar veio junto. Meu pai já frequentava o Ubaiano na época de universitário há mais de 30 anos! – Vanessa Abe

5 – Se assustou com a distância da universidade
“Lembro da primeira impressão que tive da Unesp, quando cheguei para fazer matrícula, em fevereiro de 1993: uma fazenda. Achei que estava vindo estudar no campo! (risos). Meus pais logo ficaram preocupados e foram procurar se informar se passava ônibus ali para levar os estudantes para a ‘cidade’. Ainda não existia essa bela avenida de duas pistas entre a Nações Unidas e o campus. Era apenas uma via simples e mal-iluminada, mas o primeiro dia de aula mostrou que o clima bucólico era só imaginação minha. Muito agito, estudantes para todo lado, burburinho, trote, festas e efervescência. Fiz amigos para a vida toda. Nossa turma se reúne uma vez por ano para contar causos e relembrar os bons momentos vividos lá nos idos dos anos 90. Tempo riquíssimo em aprendizado e alegria!” – Rose Araújo.

6 – Se encantou pelos gatos espalhados pelo campus
“Mesmo nem todos os estudantes frequentem as mesmas salas e os mesmos lugares da Unesp, algo pelo qual todo mundo já deve ter passado é: sentar em um banco e ver um gatinho ronronando ao seu lado. Eles estão espalhados por todo o campus, tomando seu ‘banhinho’ de sol” – Paula Alves.

7 – Já enfrentou greve
“Tenho tantas histórias na Unesp que foi complicado escolher uma situação apenas. Mas, acredito que todo mundo que estudou na Unesp, ou pelo menos a grande maioria, já pegou aquele famoso período de greve. Eu, por exemplo, peguei greve no meu último ano da faculdade e lembro que foram três meses” – Paola Patriarca.

8 – Passou pelo famoso Bosque
“O Bosque da Unesp é palco pra inúmeras circunstâncias. Os trabalhos de fim de semestre do professor Bulhões, saraus, reuniões descontraídas de amigos… Mas o Bosque sempre teve minha afeição por ser um lugar onde eu podia me encontrar comigo mesma. Muitas vezes, foi ali que tomei as decisões mais acertadas durante o período universitário. Creio que o Bosque seja um símbolo marcante pra qualquer ‘unespiano'” – Helena Schiavoni

9 – Ficou perdido para fazer a matrícula
“Uma situação que a maioria já passou é, no dia da matrícula (e na primeira semana de aula), ficar totalmente perdido na faculdade. A Unesp é muito bonita, mas os prédios são bem parecidos, e o campus é enorme. Então, pra quem nunca entrou lá, a primeira vez é bem difícil” – Lucas Guanaes

10 – E continuou perdido até achar as salas…
“Os ‘unespianos’ se referem às salas de aulas, que são agrupadas em blocos, por cinquentas, sessentas… Essa denominação é por causa da numeração das salas, que já dividem os cursos existentes no campus. Mas essa nomeação não é tão simples para quem é novato na universidade. Falavam para mim: ‘Sua aula é no mundo perdido’. Anh? E onde é que fica? Respondiam: ‘Na frente das oitentas’. De fato, me perdia e chegava atrasada no mundo perdido!” – Bruna Sig

11 – Mas aproveitou para colocar o papo em dia
“A UNESP é uma universidade bem grande. A gente tem salas que se encontram ao redor de todo o Campus. Às vezes, no mesmo dia, um aluno da Unesp pode percorrer muitos metros pra chegar de um lugar pro outro! O legal, entretanto, é que isso rende muitos papos! Sempre estamos em grupo e nos divertimos durante o caminho que, em algumas vezes, duram mais de dez minutos! – Fernanda Pires

12 – Passou horas estudando em alguma rep
“Na véspera daquela prova que é muito difícil a turma toda fica em desespero e passamos o dia todo estudando nas repúblicas, às vezes até virando a noite sem dormir” – Pedro Alves Nunes

13 – Enfrentou a aula de sábado de ressaca
“Algo que todo mundo já passou é ter que ir para a aula sábado de manhã porque já estourou de faltas, ou pior, ter que fazer uma prova de ressaca ou bêbado. Quase todo unespiano que tem aula no fim de semana já passou por isso. A gente até tenta, mas é difícil resistir à todas as festas que rolam de sexta-feira, e isso acaba acontecendo uma hora ou outra. Vou falar, não é nada fácil prestar atenção, pensar ou viver com aquela sensação de ‘queria estar morta’!” – Marina Formaglio

14 – Se sentiu ’em casa’ ao ouvir a bateria
“Não consigo falar de Unesp me recorrendo à apenas uma memória. Recordo-me da época frenética de estudos que perduravam a noite inteira que antecedia uma prova; a emoção compartilhada após mais um Interunesp; as caronas oferecidas à pessoas, às vezes brasileiras, às vezes colombianas, francesas, que contavam um pouco de suas vidas nos 5 ou 10 minutos de trajeto e, claro, as amizades ali construídas. E, algo que também me remete muito a época de faculdade, com certeza, era chegar para alguma aula e ser recepcionado pelo som da bateria! Esse som era praticamente a certeza de ‘estar em casa’ – Lucas Santana

15 – Já perdeu o ônibus Campus/CTI
“Todo mundo já passou pela experiência de ver o Campus/CTI passando e não dar tempo de pegar. São dez passos que nunca pareceram tao longos! E aí vem a dor de saber que vai ter que esperar mais horas e horas porque os ônibus em Bauru, infelizmente, nunca cumprem o horário programado” – Soraia Alves

16 – Participou de eventos inesquecíveis
“A Unesp sempre promoveu eventos incríveis, que são marcantes para todo mundo. Um dos eventos que eu achei mais interessantes e divertidos foi o UNESPLAY. Eram realizadas atividades como campeonatos de videogame e mesas de RPG. Um evento muito bom para relaxar e se divertir” – Pedro Hori

17 – Foi ‘batizado’ com algum apelido
“O desejo de entrar na Unesp nos faz permanecer até mesmo anos em salas de cursinho buscando um lugarzinho dentro da universidade e, muitas vezes, esse lugarzinho vem no último segundo, na lista de espera, como foi o meu caso, ou até mesmo na última gota de esperança chamada ‘disque bixo’. Depois de toda essa espera, vem finalmente a matrícula e o primeiro dia de aula, que decretam que sim, agora você é um unespiano. É o dia em que você tem a chance de gerar a primeira impressão, em que recebe o apelido que será sua nova identificação e vai te acompanhar pra sempre. Se você diz a alguém que você fez ou faz Unesp, com certeza, a pergunta sobre o seu apelido surgirá na conversa” – Ana Heloiza Pessotto.

18 – Já passou por perrengue por causa de algum trabalho
“Uma vez, no terceiro ano, ficamos atrasados com a edição de uma grande reportagem, trabalho final de uma disciplina que precisava ser entregue no dia seguinte. A solução foi passarmos a noite em uma salinha da Unesp, na árdua tarefa de terminar o projeto. Estávamos em quatro! Conseguimos terminar às 3:30 da madrugada! Pra ir embora, resolvemos pular a cerca, porque a guarita ficava mto longe! E voltamos em 4 mototáxis pra casa! Era uma noite fria, estávamos exaustos, com fome, com sono, mas, até hoje, morrermos de rir quando relembramos os detalhes dessa história!” – Thais Coimbra

19 – Sentiu orgulho de ser unespiano
“Estudar na Unesp, para mim, foi sinônimo de conhecer uma outra realidade e de ter os melhores quatro anos da minha vida. Sem contar que, só quem é da Unesp entende os motivos do orgulho que o adjetivo ‘Unespiano’ carrega” – Alana Gomes

20 – Se sentiu acolhido
“Olha, acho que uma situação que todo mundo que estuda na unesp passou é ter a sensação de acolhimento. Apesar das dificuldades, a universidade está de portas abertas pra te receber, demonstrando isso por meio das pessoas que estão lá: os professores, os alunos e os funcionários. E até mesmo os animaizinhos que ficam andando pelos campi são simpáticos. E isso vale para qualquer curso. Então, todo unespiano, com certeza, pode dizer com orgulho que é dessa grande família Unesp. – Ana Lígia Correa

21 – Percebeu o quanto o mundo é grande
“A Unesp proporcionou momentos inesquecíveis e um deles foi aprender que pessoas com as características mais diferentes do mundo podem ser amigas. Não importava o sotaque, os costumes, as manias e muito menos as orientações sexuais, todo mundo fazia parte de uma mesma família: a unespiana. A parceria era para as festas, os trabalhos, as provas e qualquer outra situação que aparecesse. A Unesp é isso; curtir a intensidade que essa mistura de pessoas causava, aprendendo mais com o dia a dia do que com qualquer aula em laboratórios ou salas – Larissa Tomazini

22 – Fez grandes amigos
“A Unesp é muito mais do que uma faculdade, um campus. Logo que entrei, um amigo que já havia passado por lá me disse que o mais importante dali eram as pessoas. É isso. Você passa quatro anos incríveis e aquelas pessoas se tornam parte de você, provavelmente, por toda a vida. Colegas, professores, funcionários, a tia da cantina, o Baiano (dono do bar)… Parabéns, Unesp Bauru. Orgulho fazer parte dessa história” – Wiliam Olivato

23 – Percebeu que a Unesp é uma escola da vida
“Gente do Brasil inteiro está na Unesp. Estudantes de outros lugares do mundo também. São diferentes classes sociais, diferentes raças e etnias. A diversidade de ideias e de culturas dessa gente toda é o que torna a Unesp uma universidade tão significativa na vida de quem passou por ela. Aprender juntos e perceber que é justamente nas nossas diferenças que está o que nos torna iguais, nos transforma profundamente. A Unesp foi uma escola para a vida pra mim” – Lilian Martins

24 – E sentiu saudade quando tudo acabou
“Todo estudante da Unesp se orgulhou muito de passar numa das universidades mais respeitadas do país. Também se divertiu durante as festas da faculdade, sendo a mais emocionante delas a de formatura – reconhecimento de todo seu esforço. Esforço esse que envolveu anos de estudo, trabalhos, eventos acadêmicos, projetos de extensão, estágios, greves, TCC, burocracia e gastos com xerox. Enfim, estudar na Unesp é uma jornada que vale muito a pena e que deixa saudades!” – Karen Meneghetti

Compartilhe!
Carregar mais em Comportamento
...

Verifique também

Um resort, três experiências: jornalistas relatam viagem ao Hot Beach, a 200km de Bauru

Entre os dias 24 e 26 de junho de 2022, os jornalistas do Social Bauru receberam uma missã…