Vai receber uma visita de última hora em casa e não sabe o que preparar? Fica tranquilo, porque separamos dicas de como fazer um jantar ou almoço completo!

Não necessariamente sua refeição precisa ter entrada, salada, prato principal e sobremesa. Mas se quiser impressionar os convidados e caprichar na apresentação, você está lendo a matéria certa!

Com receitas simples, podemos fazer um jantar 10/10!

A entrada é muito comum e servida em restaurantes e em jantares ‘mais elaborados’. Buscamos de onde vem a importância da entrada e descobrimos que ela é responsável por causar a primeira impressão do jantar.

Portanto, a entrada pode ser servida em várias ocasiões, desde que respeite o tipo de serviço, o prato principal e o público. Quem nos ensinou tudo isso foi o chef Jeff Previero.

Ele explica que a entrada pode ser servida em qualquer jantar desde os mais simples até os mais sofisticados. Além disso, a entrada precisa harmonizar de forma sutil com o prato principal!

O ideal é evitar a ingestão de grandes quantidades para dar preferência ao prato principal, procurando servir pratos leves como saladas, sopas quentes ou frias dependendo da estação do ano”, explica o cheff.

As opções são: saladas, carpaccio, bruschetas, canapés, queijos, caldos e sopas.

Salada, saladinha

A salada tem grande importância em um jantar! Sendo assim, ela se torna um estágio preparatório, o antepasto, em que, muitas vezes, não precisa ter um alto teor nutritivo, mas sim excitar nosso paladar, ajudando e aguçando o apetite.

Quem nos dá dicas sobre como servir saladas é o Chef Felipe Cunha. Para ele, a salada não precisa estar presente em todos os jantares, mas se tratando de um jantar completo, ela se torna um passo importante. “Quanto mais sabores e nutrientes diversificados, melhor! Salada boa é salada colorida!”, comenta o chef.

 

Estrela do jantar

Vamos falar agora de prato principal! Ele é o ponto alto do jantar e o mais esperado.

Segundo a chef Mariana Lopes, o prato principal simboliza ‘o melhor’ que o anfitrião tem a oferecer aos seus convidados. Porém, não significa que deve usar o ingrediente mais caro, mas sim o ingrediente escolhido na sua melhor versão.

A melhor forma de apresentar um prato é sempre destacar o elemento principal, seja ele uma carne ou um vegetal. Qualquer outro elemento deve vir como um complemento para ressaltá-lo, tanto em termos visuais quanto em sabor”, completa Mariana.

É importante balancear a quantidade para que os convidados saiam satisfeitos na medida e não passando mal por tanta comida. A chef ainda explica que esse é o lance do bom jantar: o equilíbrio! Assim, os convidados são bem servidos, saem sem fome, com boas lembranças e aquele gostinho de quero mais.

Brincar com texturas

Olha que interessante! Segundo a chef, existem muitos estudos científicos, inclusive, sobre como as diferentes texturas, temperaturas e sabores dentro de um mesmo prato estimulam o nosso cérebro em maior número de áreas e registram essas sensações de maneira mais efetiva, arquivando aquele prato de forma mais duradoura na sua memória. São, esses, os pratos inesquecíveis!

Tudo isso, mantendo a sensatez! “Especialmente sobre as texturas, a minha dica são usar três tipos. É bem interessante para a parte sensorial, sem ser a mais ou a menos”, explica.

Exemplo: Uma carne (textura rígida), um purê ou molho ou os dois (textura pastosa ou líquida) e uns legumes grelhados ou uma farofa (textura crocante).

Receita: Mariana Lopes / Canva: Vivian

O lado doce do jantar

Para uns, a melhor hora do jantar é a sobremesa! É o momento de avisar seu corpo que a experiência está acabando, mas ainda tem mais.

Você sabia que as sobremesas podem ser harmonizada com bebidas? O chef Thiago Araújo explicou que as opções são as mais variadas e deliciosas. Vinhos do Porto, vinhos de colheita tardia, licores, cognacs e até a nossa cachacinha vão muito bem para o desfecho da experiência gastronômica.

Sobre a apresentação do prato: a forma como montar e apresentar a sobremesa é livre. Thiago explica que as sobremesas caseiras, como pudins, manjares e bolos já vêm propriamente apresentados, de forma rústica, raramente empratados.

Nos restaurantes, são apresentados acompanhada de caldas, crumbles, uma espuminha aqui, umas castanhas ali. Sempre buscando apresentações harmônicas”, completa.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Vivian Messias
Carregar mais em Gastronomia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Bauru ganha restaurante com mais de 10 receitas exclusivas de churrasco no espeto

As noites em Bauru não serão mais as mesmas se depender do Poiá Espeto Gourmet. Diretament…