Ruas largas, carros e ônibus passando rápido, pessoas olhando para o celular, conversando entre si e atrasadas para o serviço. A rotina da vida urbana nos cega para a história que vivemos diariamente. Contudo, o âmago de Bauru, os lugares onde as primeiras pessoas pisaram, lá nas primeiras quadras do Centro, se mantém em pé, sem serem percebidos.

Os ferros enferrujam, as madeiras apodrecem e os tijolos caem. O descaso com a nossa história faz com que construções e objetos antigos se deteriorem com o tempo. Mas, basta um olhar para cima para que tudo seja transformado.

coletivo lã bauru
Registrado como Hotel Estoril, a construção da quadra 02 foi tombada em 2003

Aqui em Bauru, um grupo de artistas locais tiveram o cuidado de olhar para a história que nos rodeia e tomaram a iniciativa de mudar o que estava destruído. Esse é o CLÃ (Coletivo Livre de Arte).

O Clã

Artistas de Bauru, das mais diversas áreas (música, teatro, artes visuais), se uniram para movimentar o meio artístico da cidade, além de trazer mudanças para o cenário urbano. O coletivo conta, em média, com 30 integrantes, mas a ideia do CLÃ já está se espalhando por diversas pessoas.

Daniel Marques é músico e escritor. Possui seis livros escritos e toca há vinte anos. Já viajou o mundo e vive exclusivamente da arte. Com a ajuda de Ivo Fernandes (sambista), Paulo Eduardo Tonon (cineasta) e diversos nomes de Bauru, ele tive a ideia: por que não montar um espaço para unir a arte na cidade?

coletivo clã bauru

Decididos, o CLÃ começou a buscar por um local que acomodasse a todos. Depois de receberem indicação de uma casa de época, com 107 anos, que se encontra na quadra 2 da Rodrigues Alves, eles sabiam que aquele lugar tinha muita história para contar.

Afinal, história e arte se unem para criar a cultura de uma cidade.

Um casarão histórico

O casarão da quadra 02, desde seus primórdios, em 1912, viu Bauru se desenvolver como um hotel. Passou por períodos de auge e de decadência, até chegar ao esquecimento.

Em nome da Beneficência Portuguesa, o coração da casa volta a bater após o surgimento do CLÃ e do acordo de comodato que fizeram com a associação hospitalar.

coletivo clã bauru
Nos últimos cinco anos, a casa passou por um intenso processo de abandono

“Bauru tem 122 anos, então essa casa viu muito da história da cidade. Nesta construção, por exemplo, o piso do prédio é feito de ferro, pedra e açúcar mascavo!”, contam Daniel e Paulo.

O local estava um verdadeiro lixão e foi limpo pelas próprias mãos dos artistas do coletivo. Engenheiros e arquitetos inspecionaram a construção e deram o aval: mesmo com 107 anos, a casa se mantém sólida e o problema mais sério é o telhado.

coletivo clã bauru

Nas palavras de Daniel, “nosso objetivo é dar uma destinação para essa casa. Muitos já nos disseram que a iniciativa foi o pontapé para a revitalização do centro”.

Arte é vida

Além de transformar a casa da quadra 02 em um marco da história de Bauru, revitalizando-a, o CLÃ tem outros planos para esse monumento, tombado em 2003.

“Um outro objetivo do CLÃ é mexer com a cena artística e trazer o protagonismo para os artistas da cidade e da região. Além disso, sabemos que essa área do Centro tem estado mal frequentada e um pouco largada, fazendo essa movimentação, com toda certeza, isso vai mudar!”, comentam Ivan e Paulo.

hotel estoril bauru
Das janelas da casa é possível ver a Estação Ferroviária e a Avenida Rodrigues Alves

Mesmo ainda não institucionalizado, o coletivo tem grandes planos para a casa da quadra 02. Para unir artistas e população bauruenses, o CLÃ planeja criar oficinas, aulas de músicas e teatro, apresentações, lançamentos de livros e exposições de artes. “Nossas ideias são grandes!”, afirma Daniel.

Arraiá solidário

Para dar o pontapé inicial aos projetos, o CLÃ precisa de ajuda para a reforma da casa. Para isso, estão realizando o 1º Arraiá Cultural, no dia 30 de junho, das 10h às 19h. O evento acontece na Praça Machado de Mello.

Além de conseguir os primeiros fundos para a reforma da casa, a festa também tem o objetivo de colocar a população bauruenses em contato com o CLÃ.

hotel estoril bauru

Para concertar o telhado da construção serão necessários 5 mil reais. E esse é o objetivo do coletivo com o arraiá. Para isso, no dia, os bauruenses poderão aproveitar a praça de alimentação com comidas típicas, playground para as crianças, feira de artesanato e de produtos orgânicos.

E como a gente está falando de arte, o arraiá conta com 20 apresentações de musicais, com músicas e bandas de Bauru e região.

hotel estoril bauru

“Temos uma expectativa muito boa para o evento. Além disso, a sociedade está recebendo a gente de braços abertos e isso é muito bom!”, finalizam Ivan, Paulo e Daniel.

Serviço

1º Arraiá Cultural

Data: 30 de junho
Local: Praça Machado de Mello
Horário: das 10 às 19h
Entrada franca
Mais informações: www.facebook.com/coletivolivredearte

Compartilhe!
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Museu virtual e independente abre chamada para artistas de Bauru e região

Estão abertas as inscrições para participar do Museu Bioma, museu virtual destinado à arte…