Você já percebeu que atitudes ecologicamente corretas estão, cada vez mais, sendo cobradas por diferentes esferas da sociedade? Seja no trabalho, na mídia, em casa ou entre amigos, mudanças na forma como consumimos, de forma a impactar menos no planeta, já estão sendo percebidas. 

Para muito além de uma “tendência”, essas medidas são essenciais para que nossa espécie, e as demais, possam coexistir de forma saudável e equilibrada. No momento, porém, não é isso que está acontecendo. 

Consumo e poluição 

O aumento exponencial da população do planeta não foi acompanhado pelos recursos naturais. Assim, vemos grande parte dos resíduos gerados pela produção de tudo o que consumimos – desde comida, até roupas e eletrônicos – sendo descartados de maneira indevida. 

Essa prática é gradualmente insustentável para o planeta, assim como seus impactos na sociedade são iminentes. Inclusive, a poluição foi definida como uma das maiores ameaças atuais à humanidade de acordo com um estudo publicado pela GAHP (Aliança Global de Saúde e Poluição). 

Discutir sobre o assunto e buscar ações plausíveis são medidas urgentes. Entre as alternativas para a diminuição do problema, está a redução do nosso consumo. 

Nesse caso, é interessante evitar, principalmente, produtos e materiais que afetam diretamente no sistema ecológico, como o plástico. 

Pegada Ecológica 

Ficou em dúvida se você está vivendo de forma sustentável? Pois bem, existe uma forma de medir o seu impacto no planeta. A Pegada Ecológica é uma ferramenta que mede a quantidade de recursos naturais renováveis necessários para manter nosso estilo de vida. 

De acordo com ela podemos avaliar se estamos vivendo de forma sustentável ou não. Você pode fazer o teste aqui para verificar quantos planetas Terra seriam necessários para suprir as suas necessidades. 

Consequências 

Entre as consequências diretas de hábitos insustentáveis, estão a poluição da fauna, flora e consequente desequilíbrio biológico. 

Além disso, os seres humanos também já são diretamente afetados pelas consequências causadas à natureza. Principalmente em casos de desastres naturais, como enchentes, tsunamis, furacões, etc., que são potencializados pela poluição. 

Dessa forma, caso alguns hábitos não sejam alterados, o futuro do planeta pode estar em risco. O Brasil têm se movimentado nesse sentido, e itens como o canudinho e as sacolas plásticas já foram proibidos em algumas capitais do país. 

Mas e você, já têm atitudes com o propósito de reduzir a sua pegada ecológica?

Se a resposta é não, pode ficar tranquilo, nós sabemos que é tudo parte de um processo diário. Por isso mesmo, aqui vão cinco dicas de pequenas mudanças na rotina para os bauruenses contribuírem para a redução da poluição do planeta.

1. Aposte em reutilizáveis

Para além do canudinho, crie o hábito de andar com copos e garrafas reutilizáveis, além de uma sacola de tecido para o mercado.  De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, no Brasil, cerca de 1,5 milhão de sacolinhas são distribuídas por hora! 

Além disso, uma pesquisa feita a pedido do jornal britânico The Guardian, revelou que um milhão de garrafas plásticas são vendidas a cada MINUTO no mundo. 

Também estima-se que são consumidos, no Brasil, cerca de 720 milhões de copos descartáveis por dia. Isso corresponde a 1500 toneladas de resíduos diariamente, segundo a Associação Brasileira de Empresas de Limpeza Pública e Resíduos (ABRELPE).

2. Reduza seu consumo de carne

Você sabia que a pecuária bovina é responsável pela emissão de 50% dos gases estufa? Além disso, de acordo com a ONG internacional WWF, referência em causas ambientais, são necessários cerca de cem mil litros de água para produzir um quilo de carne bovina.

Claro que isso não significa que você PRECISA abolir a carne da sua dieta. A redução do consumo, abdicando da carne apenas em um dia da semana, já gera um grande impacto positivo.

O movimento Segunda Sem Carne, por exemplo, economiza por semana 1,9 bilhão de litros de água. A iniciativa também diminui 280 mil toneladas de emissão de Carbono por ano, apenas no Estado de São Paulo, de acordo com dados da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB).

3. Reaproveite a água

A quantidade de água potável disponível no planeta é extremamente insuficiente para as necessidades da população mundial. Apesar de possuirmos vastos oceanos, a água doce apropriada para o consumo corresponde a apenas 2,5% do total, e menos de 0,5% está em depósitos acessíveis ao homem.

Segundo dados do Banco Mundial, até 2050, mais de um bilhão de pessoas viverão em cidades sem a quantidade necessária de água. 

Dessa forma, uma alternativa para economizar água potável é reaproveitá-la. Após lavar as frutas, lavar roupas e até tomar banho, tente captar a água utilizada para utilizá-la posteriormente.

4. Fique atento ao seu consumo de roupas

Sim, as nossas roupas também causam um impacto negativo no planeta. A indústria têxtil polui diretamente a atmosfera, o solo e a água. E mais, para produzir apenas um quilo de fibra de algodão, são consumidos de sete mil a 29 mil litros de água na irrigação!  

O fato é preocupante, principalmente por estarmos consumindo peças de roupas numa velocidade cada vez maior. Se antes usávamos uma blusa por três anos, agora descartamos com menos de seis meses de uso e compramos uma nova. 

Como alternativa, é interessante buscar empresas de moda sustentáveis que evitam o desperdício de recursos naturais. Além disso, consertar algumas peças e frequentar brechós também são formas de evitar o consumo desnecessário de roupas e calçados.

5. Fique de olho na composição dos produtos que você consome 

A poluição química é decorrente do descarte incorreto de produtos químicos. Nesse caso, a poluição também decorre das reações químicas resultantes de misturas entre diversos compostos. 

O surpreendente é que essas substâncias podem estar presentes em itens comuns que temos em casa. Entre eles, produtos de limpeza e de higiene, como detergentes, sabão em pó, amaciantes, sabonetes, shampoos, desinfetantes, água sanitária, entre outros.   

Dessa forma, é ideal trocar itens tradicionais por sustentáveis, adotando produtos ecológicos ou biodegradáveis. Nesse caso, existem duas alternativas: você pode fazer o seu próprio produto de limpeza com compostos naturais ou adquiri-los por meio de algumas marcas, que estão inovando o setor.

A exemplo, existe atualmente no mercado a POSITIV.A, empresa que possui uma linha de produtos de limpeza biodegradáveis e veganos. Uma outra opção é o UM, capaz de substituir 20 produtos de limpeza convencionais, e que conta exclusivamente com componentes biodegradáveis.

Os produtos biodegradáveis se decompõem com maior facilidade na natureza e também evitam a contaminação do meio ambiente.

O importante é refletir 

Muitas dessas dicas, além de colaborarem com o meio ambiente, também ajudam a poupar dinheiro. Porém, o mais importante de tudo é adotar um olhar crítico sobre o que consumimos. 

Adotar o hábito de consumir produtos ecologicamente corretos e também cobrar um posicionamento dos governantes são medidas urgentes. Até porque, se não cuidarmos do planeta, quem o fará? 

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Paula Borim
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Evitando atropelamentos: Projeto vai criar ponte para animais atravessarem avenida em Bauru

O prefeito Gazzetta recebeu nesta quarta-feira (04) no Gabinete representantes da empresa …