Um grande desafio para os jovens é adquirir experiência profissional. Não é fácil conseguir o primeiro emprego e muitos se perguntam como incrementar o currículo para mandar bem no início da carreira. Sendo assim, o trabalho voluntário pode ser uma oportunidade para ingressar no mercado.

Realizado dentro e fora das universidades, o trabalho voluntário pode ser feito em diversas organizações. Aqui em Bauru, uma delas é a AIESEC. Criada em 1948, a organização tem o objetivo de desenvolver liderança jovem por meio do intercâmbio. Hoje em dia está presente em mais de 125 países e tem 45 escritórios no Brasil.

AIESEC e a experiência profissional

A AIESEC é a maior organização gerida por jovens no mundo (têm até uma cadeira na ONU), todos os membros têm entre 18 e 30 anos e exercem funções de cargos em grandes empresas. Os escritórios locais são formados por membros voluntários e na AIESEC em Bauru, por exemplo, são cerca de 40 jovens. Eles trabalham em diferentes áreas para que intercambistas venham ao Brasil ou vão para outros países trabalhando voluntariamente em ONGs locais.

O objetivo da organização é tornar, não só os intercambistas, mas também os membros, em jovens líderes que farão e serão mudança em suas comunidades. Durante o dia a dia de trabalho, os membros desenvolvem-se pessoal e profissionalmente, adquirindo habilidades valorizadas pelo mercado de trabalho.

“Nos meus três anos como membro da AIESEC, pude adquirir habilidades e competências que nenhum outro espaço me permitiu vivenciar, enquanto jovem de apenas 21 anos”, conta Eduardo Moura Garcia que, além de Gerente de Relações Internacionais na AIESEC em Bauru, trabalha na Netflix e no projeto de start up Waycle & Stasher.

De acordo com Luana de Paula, diretora de desenvolvimento de novos negócios no Grupo Cia de Talentos, são muitas as dificuldades dos jovens no mercado de trabalho.

Dentre os maiores desafios estão:

  • Apresentar suas competências comportamentais (mesmo sem ter experiência profissional);
  • Encontrar empresas que combinem com seu propósito (seleção por valores, já ouviu falar?);
  • Lidar com a ansiedade (infelizmente nem todas as respostas são imediatas);
  • Conhecer seus pontos fortes e fracos (quem é você, afinal?).

Um AIESECo (como são chamados os membros da organização) desenvolve seu autoconhecimento, entende seus valores pessoais e propósito, entende suas habilidades e está habituado ao ambiente profissional. Também tem a oportunidade de trabalhar com vendas, marketing, experiência e sucesso do consumidor, gestão de pessoas e times, comunicação interna e externa, entre muitos outros. Além disso, as habilidades técnicas – conhecidas como hard skills – desenvolvidas também são muitas: oratória, excell, línguas estrangeiras e análise de dados estão entre elas.

Eduardo ainda completa que “são essas mesmas habilidades e competências, como liderança, trabalho em equipe e gestão de projetos, que carrego comigo no meu dia a dia profissional e me permitiram alcançar meu trabalho atual e demais projetos que gerencio.”

Se interessou? Aproveite que o processo seletivo para fazer parte da AIESEC em Bauru está aberto. Saiba mais e inscreva-se em: bit.ly/membroBauru.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Social Bauru
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Yoga: prática acalma corpo e mente com exercícios feitos dentro de casa

A nova rotina de trabalho e as demandas têm exigido cada vez mais do nosso corpo e da noss…