Ler é um prazer ímpar, compartilhado por inúmeras pessoas, ainda que haja muitas outras formas de entreter-se. Seja no papel físico ou por meio de novos acessórios, mergulhar em narrativas novas e se apaixonar por personagens ainda são parte do entusiasmo que envolve a leitura. 

No entanto, você já sentiu falta de se aventurar em uma história contada a partir de uma perspectiva feminina? Ou então, de se identificar com uma história ou situação em alguma obra? Já parou para pensar quantos livros escritos por mulheres você possui ou que estão à venda atualmente? 

Bauruenses virando a mesa

Ciente da clara discrepância entre a presença de homens e mulheres na Literatura, a editora bauruense Mireveja, idealizou a obra O vazio não está nem quando é silêncio

A antologia reúne contos e crônicas de 20 autoras bauruenses ou que já moraram em Bauru, e trata exclusivamente sobre o universo feminino. Assim, com 150 páginas, o livro traz temas como solidão, racismo, afeto, maternidade/não maternidade, masturbação, trabalho, loucura e até humor. 

“Nós vemos esse livro como um verdadeiro ato de resistência, diante de um dos maiores desafios da sociedade contemporânea: garantir e ampliar a voz das mulheres”, explica a escritora Patrícia Lima, organizadora da obra.  

Ficou interessado? A boa notícia é que a pré-venda do livro começa nesta quarta-feira (05) pelo link de financiamento coletivo www.catarse.me/ovazio, por R$40,00. Essa também será uma forma de viabilizar a versão impressa da obra. 

Seleção de obras 

Após a divulgação da proposta, 109 textos, de mais de 50 autoras, foram inscritos para participar da antologia. Desses, apenas vinte, de diversos temas e estilos, foram selecionados pelo criador da Mireveja, e também jornalista e autor, João Correia Filho, juntamente com Patrícia Lima, para integrar o livro.   

“Foi difícil escolher, primeiro porque tínhamos um volume muito grande de textos. Depois, levamos em consideração três aspectos: a qualidade dos textos; […] o quanto e como eles eram representativos do universo feminino, dialogando com as questões contemporâneas; e o encaixe que eles tinham na obra como um todo. É como montar um quebra-cabeça. Os 20 textos tinham que dialogar um com o outro”, explica João. 

Além das autoras, o livro reúne uma equipe de mulheres de peso do mundo editorial: a designer paulistana Luciana Facchini, cinco vezes vencedora do Prêmio Jabuti em projeto gráfico, responsável por conceber toda a identidade visual do livro; e a fotógrafa Nádia Maria, que reside em Bauru e tem seu projeto de fotografia fine art projetado mundialmente em importantes publicações e galerias – é dela a imagem da capa. 

O vazio não está nem quando é silêncio que reúne contos e crônicas de mulheres sobre vivências femininas.
Foto: Capa do livro O vazio não está nem quando é silêncio, por Nádia Maria.

Editora bauruense 

A editora Mireveja, criada em maio de 2019 pelo jornalista, e também autor, João Correia Filho, faz parte de um coletivo de mais de cem editoras independentes, chamado Coesão independente. 

Nesse contexto, surge a necessidade de se desenvolver projetos coletivos e que agreguem mais pessoas. Assim, a Antologia Literária de Mulheres é uma forma disso acontecer.

“A ideia surge num momento de grandes mudanças e de grande efervescência no mercado editorial. As editoras (principalmente as pequenas e independentes) têm buscado temas emergentes ou que necessitam emergir, bem como modelos de negócios que atuem de forma coletiva”, conta João.

 Ainda para este ano, a editora tem projetos de lançamento de mais seis livros.

Confira as autoras selecionadas e suas respectivas obras 

Adriana Maximino – A estrada que não segui
Ana Paula Benini – O fim de um tempo
Anália Souza – Um flerte com a impossibilidade
Ariane Suaiden – Desaperto
Bruna Mendonça – Ordinário
Carolina Bataier – Onde a chuva cai
Carolina Firmino – À sombra de um girassol
Fernanda Miguel – A louca
Fernanda Rosário – No encontro com os meus, eu me vi
Karina Limsi – Elucumbrações em torno da palavra baque
Karol Lombardi – Cheiro de choro
Marina Leal – Sem título
Mariana Meira – Mas digam ao povo que fico
Micheli Betti – Capitu em tempos de match
Nane de Souza – Um dia ectópico
Natália Mota – Bicho do mato
Priscila Brosco – Conto erótico
Rebeca Almeida – Teatro no consultório
Renata Machado – O vazio não está nem quando é silêncio
Titta Santos – Des-aforismos

O vazio não está nem quando é silêncio que reúne contos e crônicas de mulheres sobre vivências femininas.
Foto: Divulgação

Serviço 

Pré-venda O vazio não está nem quando é silêncio
Link: https://www.catarse.me/ovazio

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Paula Borim
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Como os museus de Bauru chegam até as pessoas durante a pandemia?

Fechados para atendimentos presenciais desde março de 2020, o Museu Histórico Municipal, o…