De tempos em tempos, as vitrines das lojas se enchem de peças coloridas por desenhos abstratos. Hoje em dia, você provavelmente foi bombardeado com opções do tie dye na timeline do seu Instagram. Foi assim que a bauruense Bruna Monteiro resolveu aderir à moda.

Mesmo sem nunca ter feito antes, ela resolveu pegar algumas dicas com a própria mãe e colocar a mão na massa, ou melhor, nas tintas. Desde então, Bruna já personalizou quatro peças de roupa com o tie dye e está planejando utilizar a técnica em um tênis.

“Foi muito fácil. Eu acabei fazendo dois tipos, um usando borrifador pra dar a impressão de aquarela. E outro do modo tradicional usando elásticos e derrubando a tinta no tecido. Demorou em média uns 20 minutos pra fazer as duas peças”, conta.

A real origem da técnica

Embora o tie dye seja relacionado aos anos 60 e 70, quando se popularizou no ocidente, este tipo de tingimento é milenar. Desenvolvida originalmente pelos japoneses, a técnica por lá é conhecida como shibori. Assim, esta forma de tingir tecidos era realizada tanto pelos asiáticos, quanto pelos africanos nos séculos VI e VII.

O nome como conhecemos hoje veio do inglês e significa amarrar e tingir. Sendo assim, era muito ligado ao estilo de vida hippie. Nos anos 90, a técnica reapareceu ligada ao movimento clubber e, hoje em dia, é resgatada com um ar nostálgico.

Segundo a designer de moda e idealizadora da Nó Fashion Lab, Isabella Mastrangelli, o tie dye volta acompanhado de um motivo que vai além do fashion. “Ganhou muita força pelo fato de todo mundo estar em casa. É uma tendência que tem tudo a ver porque acompanha o do it yourself [faça você mesmo], então é bem legal para as pessoas fazerem, estimular a criatividade e passar o tempo dentro de casa”, aponta.

Tie dye novo de novo

Por ser uma estampa expressiva e alegre, pode-se dizer que combina muito com o Brasil, por ser um país quente. No entanto, desta vez, o tie dye veio com duas novidades. As cores utilizadas agora trazem a tonalidade neon, destacando ainda mais a vivacidade da técnica.

Além disso, se antes o tie dye era encontrado em croppeds e camisetas, agora volta desvinculado de peças sazonais. Portanto, Isabella aponta que é muito comum ver moletons e outras peças de inverno estampados com a técnica.

Mas como montar um look utilizando uma peça com tie dye? Segundo a designer de moda, é importante adaptar a técnica ao próprio estilo.

“É legal procurar a combinação das cores, para pensar com quais peças usar. Não é porque é estampada, que ela te limita. Se a peça tie dye mistura tons azul escuro, azul claro e branco, já pesquisa uma cartela de cores que tenham azul e branco na harmonia. Assim não fica nessa de combinar só com preto e branco. Por exemplo, se a calça tiver a paleta azul e branco, combina com uma blusa nos tons de rosé e fica ótimo”, indica Isabella.

Para se inspirar no tie dye

Se você ainda quer mais razões para apostar no tie dye, Bruna conta que é totalmente possível fazer em casa e, acima de tudo, é divertido!

“Basta ter uma peça de roupa que queira customizar. Acredito que seja uma forma de relaxar totalmente. Além de dar um resultado lindo, é muito divertido todo o processo de tintura. Não só indico como até fiz uns tutoriais mostrando como é fácil e legal fazer. Aliás, depois que eu fiz sozinha já puxei uma cunhada, uma prima e uma amiga para fazerem comigo também”, finaliza.

  • Confira algumas inspirações:

Foto: Pinterest

Foto: Pinterest 

Foto: Pinterest

Foto: Pinterest

 

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Yoga: prática acalma corpo e mente com exercícios feitos dentro de casa

A nova rotina de trabalho e as demandas têm exigido cada vez mais do nosso corpo e da noss…