O Festival de Artes Cênicas de Bauru vai realizar de fevereiro a março uma edição online especial, o InterFACE. Totalmente transmitido pelo canal do youtube, o festival será uma mostra cênica não competitiva com o objetivo de fomentar o setor artístico e amenizar as consequências da pandemia.

Serão mais de 50 atrações gratuitas entre oficinas, espetáculos, performances, workshops e bate-papos.
Entendendo a importância de fomentar a produção teatral contemporânea, as atividades que fazem parte da programação apresentam diferentes segmentos das artes cênicas, como dança, literatura, teatro visual, técnicas corporais e palhaçaria.

A programação artística do InterFACE será iniciada no dia 3 de março, enquanto as oficinas começam dia 22 de fevereiro.

Oficinas começam agora em fevereiro

Os responsáveis por ministrar as oficinas serão os grupos que se apresentarão na categoria nacional do festival. Ministradas de 22 a 28 de fevereiro, as atividades serão realizadas por meio da plataforma Google Meet.

Para participar, os interessados deverão acessar o site  do FACE e fazer a sua inscrição até 24 horas antes da oficina selecionada.

Podem se inscrever artistas, estudantes de artes cênicas e pessoas interessadas em conhecer os processos e pesquisas dos grupos que farão parte do festival. As vagas são limitadas.

Apresentações nacionais e internacionais

Com o tema “Cenários Possíveis: Reflexões sobre o papel do artista pós pandemia” os espetáculos do InterFACE ocorrerão no período de 3 a 14 de março.

Nesta edição especial, o festival vai exibir seis espetáculos regionais (Bauru), quatro estaduais (São Paulo, Campinas e São José do Rio Preto) e dez nacionais (com grupos de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Bahia e Rondônia). Por fim, na categoria internacional serão duas atrações do Paraguai e da Romênia.

Todas as apresentações do InterFACE serão seguidas por um bate-papo entre artistas e público, com a mediação de profissionais da área. Também serão realizados dez workshops, uma mostra audiovisual e conferências entre os grupos participantes.

Confira a programação

Oficinas

  • Palhaçaria no Cenário Virtual (22/02 – 20h)

    Palhaço Ritalino (Londrina/PR)
    Sinopse: Workshop teórico-prático que oferece oportunidade de iniciação e vivência na linguagem do palhaço a partir de um contexto virtual, permitindo ao participante explorar a câmera como ferramenta auxiliar para sua construção cênica.
    Ministrante: Tiago Marques

  • Meu Corpo Cômico – Dilatando Risos (23/02 – 20h)

    Grita Cia de Palhaças (Londrina/PR)
    Sinopse: Esta oficina pretende apontar para a lógica pessoal de cada participante e adentrar assim em nossa comicidade. Ser palhaça(o) é um exercício que nos leva além do universo artístico, é um exercício de humanidade.
    Ministrante: Juliana Galante

  • Teatro Visual (24/02 – 20h)

    Grupo Girino (Belo Horizonte/MG)
    Sinopse: O Workshop propõe um percurso sobre os caminhos estéticos e dramatúrgicos do Teatro Visual. Tem como objetivo a reflexão sobre as possibilidades estéticas e poéticas de inúmeras técnicas em diálogo com o potencial visual de um trabalho cênico.
    Ministrante: Tiago Almeida

  • Cartas Sobre Outra Epidemia – (25/02 – 20h)

    Cia Mano a Mana (Curitiba/PR)
    Sinopse: A Cia Mano a Mana fará leituras de cartas entre os irmãos Chico Mário, Betinho e Henfil e, em seguida, contará um pouco das histórias e abrirá para perguntas e debate entre o público Ministrante: Karina Souza e Marcos Souza

  • Adaptações de sobrevivência artística em tempo de pandemia (26/02 -20h)

    Santa Corja (Juiz de Fora/MG)
    Sinopse: O workshop trará o relato de experiência da artista Tainá Neves com o espetáculo Dois nós na noite; do artista integrante e responsável pela trilha sonora do espetáculo, Jeann Cavallari, que teve influência do hip hop em inserção para a linguagem teatral; e do artista Lucas Nunes, que dividirá as concepções de adaptar o trabalho do teatro no meio virtual.
    Ministrantes: Tainá Neves, Jeann Cavallari e Lucas Nunes

  • Oficina Corpo e Consciência ( 27/02 – 10h)

    Clowns de Shakespeare (Natal/RN)
    Sinopse: A oficina traz o treinamento e uso de técnicas de preparação e consciência corporal e sua importância para a cena
    Ministrante: Dudu Galvão

  • Definitiva Cia de Teatro – Uma Linguagem em Construção (27/02 – 20h)

    Definitiva Cia de Teatro (Rio de Janeiro/RJ)
    Sinopse: Ação proposta para difundir o conhecimento adquirido com a pesquisa desenvolvida há 12 anos. Serão abordados e debatidos os conceitos de “cena-música” e “foto-dramaturgia”, trabalhados na construção do espetáculo “O som e a fúria – Um estudo sobre o trágico” Ministrante: Jefferson Almeida
    Ministrante: Jefferson Almeida

  • O Mover de Cada Corpo – O Olhar Para Si (28/02 -11h)

    Loretta Pelosi (Salvador-BA)
    Sinopse: Propõe a investigação prática do corpo em movimento, através de jogos coreográficos, estímulos imagéticos e exercícios de diferentes áreas de conhecimento, como a dança contemporânea, o pilates, o yoga e o contato e improvisação
    Ministrante: Loretta Pelosi

  • Dança Moderna de Martha Graham (28/02 – 14h)

    Cia de Dança DCDA (Porto Alegre/RS)
    Sinopse: O Workshop é constituído de um relato sobre o processo de resgate da técnica de Martha Graham em Porto Alegre – RS, uma performance de dança da bailarina e coreógrafa Marilice Bastos e uma aula com base de iniciação na técnica e nos fundamentos da Dança Moderna de Martha Graham
    Ministrante: Marilice Bastos

  • Escrita Criativa – Exercícios de Alteridade (28/02 – 19h)

    Téspis Cia. de Teatro (Itajaí/SC)
    Sinopse: O workshop propõe um exercício de alteridade, buscando ler, compreender e emular a escrita de outros escritores contemporâneos, ampliando, dessa forma, nosso vocabulário de criação. O encontro pretende estabelecer um ambiente de troca e descoberta Ministrante: Max Reinert

Programação artística

  • CABARET DO FIM DO MUNDO (03/03 – 20h)

    Grupo Protótipo Tópico e convidados
    Sinopse: Em uma realidade distópica, a civilização está bem próxima do colapso e a pandemia nos levará ao pó. Já se sabe que o fim é certo e o que nos resta é esta última possibilidade de estar no palco. Se essa fosse a sua última apresentação, qual seria o seu número final? O Grupo Protótipo Tópico, ao lado de artistas convidados, abre as atividades do InterFACE com um espetáculo de variedades.

  • DESMONTE (04/03 – 19h)

    Grupo Girino (Belo Horizonte-MG)
    Sinopse: DESMONTE é o décimo terceiro espetáculo do Grupo Girino e envolve um processo de pesquisa e experimentação multidisciplinar ao propor um diálogo do Teatro Visual com técnicas do Live Cinema. O espetáculo é inspirado nos rompimentos de barragens da mineração em Brumadinho e Mariana em Minas Gerais, propondo uma resistência necessária contra o esquecimento destes crimes.

  • DONA MARIQUINHA VIU E ME CONTOU. EXPERIÊNCIA ESPACIAL POÉTICA (04/03 – 21h30)

    Cia M. Carneiro e Aquelas que Dançam (Campinas-SP)
    Sinopse: Um teatro virtual. Uma bombonière. Uma caixa branca. Um detalhe dourado. Um cabelo cacheado. Duas que dançam. Uma que joga. Um mapa de onde? Londres, Rio de Janeiro, Maputo? Um aquário. Um instrumento musical. Ela viu, Dona Mariquinha viu! É uma mulher!!! Mas, isto: será que ela viu? Não. Uma mulher é que não é. Vamos pro cinema… Psiu, acorda! E lá poesia cabe no espaço da palma da mão, no celular?
    *O espetáculo será transmitido pelo zoom. É necessário retirar ingressos para sala virtual no site facebauru.art.br, até dia 02/03
    Ingressos limitados: 40 vagas

  • TRANSLÚCIDO (05/03 – 19h)

    Cia. de Dança DCDA (Porto Alegre-RS)
    Sinopse: A concepção do espetáculo remete aos desejos, vontades e expectativas da personagem, por hora, realizadas, porventura, não realizadas. TRANSLÚCIDO, através do ponto de vista de uma personagem, faz um questionamento da sociedade e da sua maneira de viver obedecendo a um sistema que impõe condições e determina modelos.

  • DESPIR (05/03 – 21h30)

    Cia da Bobagem (Bauru-SP)
    Sinopse: O espetáculo solo da artista-palhaça Marisa Riso revela uma trajetória pelos caminhos da palhaçaria. Através de uma narrativa repleta de momentos cômicos, passagens poéticas e histórias de vida a plateia é convidada a entrar nesse universo. Em forma de uma desmontagem, Marisa Riso se despe ao revelar sua caminhada clownesca ao longo de quase 13 anos de pesquisas.

  • REUNIÃO COM A CLASSE ARTÍSTICA DE BAURU (06/03 – 14h)

    Bate-papo sobre o atual cenário político-cultural da cidade.

  • PROCESSOS EM DIREÇÃO (06/03 – 16h30)

    Cia Sylvia Que Te Ama Tanto (Bauru-SP)
    Sinopse: Fragmentos dos espetáculos “Vem Vento”, “Simulacro”, “Devorando Quixote”, “Para Meninos e Gaivotas, um voo rasante” e “Morada”, os processos e procedimentos de criação da Cia. de Teatro Sylvia que te ama tanto, com a participação do encenador Márcio Pimentel.

  • O ASTROLÁBIA (06/03 – 19h)

    Palhaço Ritalino (Londrina-PR)
    Sinopse: O Palhaço Ritalino fechou-se em casa durante a pandemia e, isolado do mundo físico-afetuoso, dedicou-se aos estudos de si, dos astros, das estrelas e do bom humor. Movido por esse sinal, descobriu seu lado místico e montou sua tenda online para consultas, risos, magias e muitas palhaçadas.

  • ESTADO DE COLAPSO (06/03 – 21h30)

    Protótipo Tópico (Bauru-SP)
    Sinopse: Todas as sociedades produzem estranhos. Num mundo cada vez mais sucateado e sem futuro, o ser adquire um estado de passividade e segue a dinâmica incansável e volátil que trucida a liberdade e cria uma fake emancipação. Neste cenário, a maneira preferível de viver com os estranhos é mantê-los à parte.

  • 59 MINUTOS INÚTEIS (07/03 – 16h) 

    Vannie Gama e Contára (Bauru-SP)
    Sinopse: Procura-se a utilidade do tempo de aquário: Um pedaço do isolamento que consome as palavras, que são insuficientes para atender a demanda brutal de unicidade, é vivido ao vivo no happening duvidável de ‘’59 minutos Inúteis’’ por Vannie Gama e Contára, integrada por Lucas D’Alessandro e Pedro Bortolin nesta edição especial do InterFACE.
    Performance Visual-Sonora

  • CORPO MÁQUINA (07/03 – 21h)

    Robo.Art (São José do Rio Preto-SP)
    Sinopse: Ao explorar as fronteiras entre corpo e máquina, o espetáculo performático intermídia propõe a reflexão sobre o limite entre o biológico e o sintético, e sua inevitável fusão proporcionada pela busca da transcendência das limitações do ser humano. Aborda o questionamento de até onde o corpo é humano e onde se torna máquina.

  • LA NOTA AZUL (08/03 – 19h)

    Tercer Espacio Colectivo Artístico (Assunção-Paraguai)
    Sinopse: O jazz costuma despertar emoções produzindo dois estados simultâneos (bem-estar e melancolia ao mesmo tempo). Conhecida como a “Blue Note”, a Nota Azul transita pelo mistério envolto nesta “fruição nostálgica”. É próprio dela ter este efeito. Em cada um, há uma nota em espera, uma nota que produz uma virada que nos permite ouvir a música do outro. Quem tiver ouvidos, que ouça…

  • PEQUENO INVENTÁRIO DE IMPROPRIEDADES (08/03 – 21h)

    Cia. Téspis de Teatro (Itajaí-SC)
    Sinopse: Um homem vive dentro de um cotidiano previsível e repetitivo até que um acontecimento muda o rumo de sua vida. Saindo de uma vida ordinária, ele descobre o poder da violência latente dos dias em que vivemos. Ficção e realidade se misturam até não conseguirmos distinguir onde uma começa e a outra termina.

  • MEMÓRIAS EM IMPROVISO (09/03 – 19h)

    Cia. Mano a Mana (Curitiba-PR)
    Sinopse: Os irmãos Marcos Souza e Karina Souza resgatam lembranças do pai, músico e compositor Chico Mário, irmão do sociólogo Betinho e do cartunista Henfil. MEMÓRIAS EM IMPROVISO conta com improvisos criados a partir de memórias do pai, com uso de linguagens artísticas distintas, como música, dança, teatro, textos e gravações.

  • META FOR MOSA (09/03 – 21h)

    Grita Cia. de Palhaças (Londrina-PR)
    Sinopse: Para sobreviver, é preciso se transformar. A Meta For Mosa, esse estágio de mutação, acontece ao romper a casca e voar livremente até o momento fugaz do encontro. Três palhaças, semelhantes em seus anseios e únicas em suas peculiaridades, vivem intensas metamorfoses e convidam a plateia para viajar e percorrer mundos inteiros.

  • NÃO HÁ NADA AQUI (10/03 – 19h)

    Loretta Pelosi (Salvador-BA)
    Sinopse: Não há nada aqui traz o território do não lugar, o retrato de um mergulho pelo espaço dos sonhos, movediço e nômade. Uma homenagem ao arquivo emocional de memórias e sentidos vividos ou inventados, firmando uma relação que se fortalece para além das fronteiras físicas. Um agora que já foi sem nunca existir.

  • O SOM E A FÚRIA: UM ESTUDO SOBRE O TRÁGICO (10/03 – 21h)

    Definitiva Cia. de Teatro (Rio de Janeiro-RJ)
    Sinopse: A cena é sobre uma sociedade doente, na iminência do momento mesmo em que o céu se precipita sobre ela. A doença é um desalinhamento, um caminho de transformação. Os sintomas é que são terríveis: retratos do que fez adoecer. Na doença é preciso pensar sobre a cura com a urgência de quem se vê esmagado pelo firmamento.

  • ABRAZO (11/03 – 19h)

    Cia. de Teatro Clowns de Shakespeare (Natal-RN)
    Sinopse: Num lugar em que não é permitido abraçar, personagens atravessam um quadrado contando histórias de encontros, despedidas, opressão, exílio, afeto e liberdade. O espetáculo não verbal conta com música especialmente composta para a cena e com o vídeo de animação para narrar essa aventura.

  •  NAUFRÁGIO (11/03 – 21h30)

    Não Cia. de Teatro (São Paulo-SP)
    Sinopse: A mesma história contada por dois vértices distintos. Naufrágio trata de encontro e desencontro entre pessoas, muitas vezes inexplicáveis, mas totalmente compreensíveis. Na trilha, músicas de Chico Buarque e Fito Paez, executadas ao vivo, permeiam esses momentos, cicatrizando as feridas como um enorme band-aid de amor e merthiolate.

  • DOIS NÓS NA NOITE (12/03 – 19h)

    Santa Corja (Juiz de Fora-MG)
    Sinopse: O espetáculo propõe um passeio pelo universo das relações raciais brasileiras. A preocupação da mulher em face da traição, o medo da morte iminente, a opressão estética sofrida por mulheres negras em uma sociedade que incentiva o padrão de beleza eurocêntrico, e os processos de consciência racial.

  • AniMales (12/03 – 21h)

    Coletivo Animales (São Paulo-SP)
    Sinopse: Nessa comédia, ao se darem conta de que estão sofrendo violências cometidas por amantes, desconhecidos, maridos, médicos e pela própria família, cinco mulheres decidem virar a mesa e dar o troco. Em meio a risadas, nos perguntamos: o que aconteceria se, em momentos de clareza e fúria, todas as mulheres decidissem revidar as violências sofridas?

  • CONFERÊNCIA | CENÁRIOS POSSÍVEIS: REFLEXÕES SOBRE O PAPEL DO ARTISTA PÓS-PANDEMIA (13/03 – 16h) 

    Bate-papo entre os grupos participantes do InterFACE sobre o desafio de integrar o território virtual e desenvolver novas formas de criar, do fazer artístico e de suas vertentes. Essa ação será disponibilizada ao público em formato de podcast.

  • UP STAIRS + SEE YOU SOON (13/03 – 20h)

    Alina Uşurelu & Cristina Lilienfeld (Romênia)
    Sinopse: UP STAIRS é um curta-metragem experimental de dança contemporânea que utiliza a escada como pretexto para performance e como símbolo do espaço utilitário/público que é reativado, reinterpretado e recriado através da interação do corpo, dos sentidos e dos filtros particulares. Enquanto isso, a performance SEE YOU SOON começou explorando os rituais de passagem dedicados às almas dos que morreram. Nesse processo, a dupla composta por uma coreógrafa e uma foto-videoartista/performer criou um novo ritual que incorpora elementos de ambas as culturas e cria um novo tipo de relato sobre o ritual. Assim, pesquisando os símbolos culturais pertencentes a ambas as culturas (ganense e romena), passaram a explorar diferentes relações: terra e mitos, água e voz humana, vegetação e renascimento.

  •  MOSTRA PERFORMING PROJECT SESSION 5 (14/03 – 16h)
  • CONFERÊNCIA AUDIOVISUAL (14/03 – 16h30)

    Sinopse: Mostra Audiovisual que conecta vídeos de diversos artistas a partir da temática do festival. Após a exibição, haverá um bate-papo com os participantes da Mostra: Andressa Francelino, Fábio Valério, Mariana Boico, Giovanni Alberti, Juliana Ramos, Fabíola Gonçales, Daiane Baumgartner, Álvaro Canholi, Gabriel Duarte, Gael Gramaccio, Caroline Gomes e profissionais convidados do audiovisual.

  • A GUERRA DE PIETROVIT (14/03 – 20h)

    Protótipo Tópico (Bauru-SP)
    Sinopse: Está próxima! Nossas fontes mais confiáveis nos revelam que uma guerra é iminente. Ou teriam se enganado outra vez? Entre treinamentos militares, batalhas oníricas e vitórias imaginárias, o companheirismo dos amigos palhaços se torna a maior arma para se enfrentar as guerras diárias da vida!

Realização do InterFACE

O InterFACE é uma realização do Grupo Protótipo Tópico e da Sociedade Amigos da Cultura, com patrocínio do Ministério do Turismo, Secretaria Especial de Cultura e Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, através do Programa de Ação Cultural – ProAC Expresso LAB e intermédio da Lei Aldir Blanc.

Serviço
InterFACE
Data: Oficinas (22 a 28 de fevereiro) e espetáculos (3 a 14 de março)
Canal Youtube: www.youtube.com/channel/UCVAkf7-4kNfSKIl9DWuZhIg
Site:www.facebauru.art.br/
Instagram: @facebauru

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Anne Hernandes
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

“Costume Blue”, banda bauruense, lança clipe de música autoral que fala sobre vida e morte

Em 2017 o letrista e baterista Cristiano Araújo, da banda Costume Blue, teve dois aconteci…