Começa nesta segunda-feira (09) o Festival de Cultura Independente Fuzuê 014 – Edição Odara. Nesta 3ª edição, o evento soma quase 60 horas de programação online e gratuita.

O objetivo do festival é promover shows de música, vídeo-arte, cinema e bate-papo. Na Edição Odara em específico, o tema gira em torno da arte e comunidade LGBTQIA+, com artistas e ativistas de Bauru e região.

Coletivo Fuzuê 014

O evento é resultado do trabalho do Coletivo Fuzuê 014, grupo composto por artistas e produtores culturais que buscam fomentar e promover artistas independentes do município e da região.

O Fuzuê 014 se formou em 2020 e tem como idealizadores alguns ex-membros do Coletivo Alunte, outro importante grupo da cena cultural bauruense e que finalizou as atividades em 2019.

Nos quase dois anos de atuação, o coletivo promove programação diversificada com foco em oficinas e festivais culturais abertos ao público.

Debate em pauta no festival

Segundo o Grupo Gay da Bahia, uma pessoa LGBTQIA+ é morta no Brasil a cada 19 horas. Dados da Rede Trans Brasil revelam que a cada 26 horas uma pessoa transexual é assassinada no país.

Com essa realidade brasileira, o Festival de Cultura Independente Fuzuê 014 – Edição Odara também surge com o propósito de debater, por meio da arte e partilha de experiências, as vivências das pessoas LGBTQIA+.

De acordo com Tiago Rosa, membro do Fuzuê 014, o evento ainda visa preencher uma lacuna na cena cultural bauruense.

“Bauru é conhecida por promover a Semana de Combate ao Preconceito e Discriminação, que teria em 2021 a sua 14ª edição de atividades realizadas em prol à comunidade LGBTQIA+. Porém, estamos passando pelo segundo ano consecutivo de verbas contingenciadas para essa programação, o que gera um déficit muito grande para a sociedade”, afirma.

Segundo Ana Evaristo, integrante do Fuzuê 014, a ação busca colocar em discussão iniciativas afirmativas em prol da liberdade sexual e artística.

“No interior, observo que estamos quebrando diversos paradigmas e nos posicionando cada vez mais, pois o conservadorismo e o preconceito ainda são muito presentes, ainda mais em cidades como a nossa, Bauru, onde não temos políticas públicas que atendam as demandas artísticas e muito menos da comunidade LGBTQIA+”, avalia.

Importância artística

Tiago Rosa esclarece que o evento nasce da vontade de “ver as pessoas vivendo, dançando, cantando e sendo o que são, de ver um mundo livre de rótulos e preconceitos. Por isso, para esta edição especial do festival, o público terá arte, música, além de outras manifestações artísticas.

“O evento é importante por dar espaço para a voz de uma comunidade que luta por direitos iguais, gerando questionamento e reflexão a partir de uma realidade vivida por minorias e com pouca voz”, afirma o artista Wagner Rosa, que fará parte da programação artística Fuzuê Odara.

Ainda segundo ele, a importância do evento também está em promover o reconhecimento de inúmeros artistas LGBTQI+ que atuam e, cotidianamente, encontram limitações para suas ações artísticas.

Como participar do festival

Toda a programação será transmitida online por meio do canal do Coletivo no YouTube ou vídeochamadas pela plataforma Zoom.

O público interessado em participar das mesas de debates deverá fazer inscrição em formulário disponível aqui . Além disso, o formulário está disponível em link no perfil do Coletivo no Instagram.

O festival é uma realização do coletivo Fuzuê 014 e da Sociedade Amigos da Cultura de Bauru (SAC) por meio do edital Amigos da Arte (+ ORGULHO).

Programação

9/8 | 20h | Mesa de Debate – Homossexualidade da 3 idade: Prazeres e Desafios

Conta com mediação de Luís Baron e com os convidados Milton Crenitte, Diego Miguel e Luana Leon (plataforma Zoom)

10/8 | 20h | Mesa de Debate – Políticas Públicas sem soltar a mão de ninguém

Conta com mediação de Fernanda Diniz e com os convidados Rick Ferreira, Rafael Botta e Tete Oliveira. (plataforma Zoom)

11/8 | 20h | Mesa de Debate – Os impactos na saúde LGBTQIA+

Conta com mediação de Rafael Rosa e com as convidadas Samira Araújo e Carol Pereira e Alexandre Barrach. (plataforma Zoom)

12/8 | 20h | Mesa de Debate: Empreendedorismo e Pink Money

Conta com mediação de Kamila Feldenheimer e convidado Félix, Beatriz Voltarelli e Julia Travieso. (plataforma Zoom)

13/8 | No canal do evento no YouTube Fuzuê 014:

20h – Performance Drag Queen com Kyara Arayk

20h05 – Palestra “A arte de resistir” com Diego Mesquita @pretasbixas

20h40 – Performance artística da Maré com DJ Jales

21h – Show de lançamento do EP “Marginal Eleganzza” da Santina

14/8 | às 10h | Início da exibição do documentário ‘’Como Somos’’ pelo Youtube (Fuzuê 014).

O filme estará disponível gratuitamente até às 23:59 de 15/8.

Serviço

Festival Fuzuê Odara
Datas: de 9 a 15 de agosto de 2021
Onde assistir: YouTube Fuzuê 014
Instagram: Fuzuê 014
Facebook: Fuzuê 014
Evento gratuito
Classificação etária: 10 anos

Compartilhe!
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

FIB promove concurso cultural de culinária gratuito em Bauru; Confira

cPela primeira vez, o curso de Nutrição das Faculdades Integradas de Bauru (FIB) promove o…