Provavelmente muitos que acompanham filmes e séries, ou até mesmo jogos de videogame já foram impactados sobre o universo de D&D e nem imaginam. Aqui no Brasil, essa onda demorou um pouco para chegar, mas ganhou muita força no início dos anos 90.

Começando pelo RPG de mesa, depois para os games e para o audiovisual. Porém, o grupo que curte esse conteúdo era bem nichado. E quando grupos são pequenos e isolados, cresce o preconceito. Não é a toa que por muito tempo, atrelaram e culparam atos de violência por causa do jogo.

Algo que até hoje acontece, inclusive nosso presidente pisou na bola nesta semana (20/04) quando em uma frase mal colocada sobre a “violência” dos games.

Jogador de RPG nos anos 90 era taxado de esquisito e nerd, que apesar de hoje ser um termo “cool”, antigamente era uma ofensa. Mas o tempo passa, e hoje podemos dizer que a VINGANÇA DOS NERDS finalmente chegou.

Dungeons & Dragons: Honra Entre Rebeldes, dirigido por John Francis Daley e Jonathan M. Goldstein, que não possuem um currículo muito expressivo materializaram essa sensação de divertimento colocado no filme.

O longa é impressionantemente muito divertido e tem uma trama que, apesar de simples, te cativa bastante. Por causa dos personagens que são bem construídos, todos têm suas histórias e lembram bastante o jogo de RPG, afinal, a primeira coisa que você faz é montar a história de seu personagem. E pensar que lá no começo do ano eu nem dei muita bola.

O filme brinca com os temas padrões de quem joga e de forma criativa te conta uma história de RPG de mesa no filme. Tem ótimas sacadas de humor, mas sem exagero.

Com a sinopse oficial: Em um mundo repleto de dragões, elfos, anões, orcs e outras criaturas fantásticas, sobreviver é sempre um grande desafio. O bardo Edgin (Chris Pine), embarca em uma missão para resgatar uma relíquia mágica, capaz de ressuscitar sua esposa e recuperar a confiança de sua filha Kira (Chloe Coleman). O homem se une a um improvável bando de aventureiros, e juntos eles se arriscam entre os lugares mais perigosos e misteriosos desse universo, dispostos a combater o mal e a derrotar as mais terríveis criaturas que surgem em seus caminhos. Mas as coisas podem sair perigosamente erradas. Junto com Edgin, Holga (Michelle Rodriguez), Doric (Sophia Lillis), Xenk (Regé-Jean Page) e o mago Simon (Justice Smith) também faz parte do grupo. Entre os desafios, eles precisarão enfrentar o exército de Forge (Hugh Grant) e da feiticeira Sofina (Daisy Head). Baseado no jogo Dungeons & Dragons, um Role Playing Game (RPG) criado na década de 70.

Como todo grupo de RPG, o elenco está super afinado, apesar de eu achar Chris Pine super canastrão, mas combina com o personagem. A história sabe trabalhar os temas focando na aventura e nos dilemas de cada um. Cada um tem seu momento, e sua história é desenvolvida na medida.

Se tem algo que me incomodou, foram os vilões, bem abaixo da média do filme e com um tom um pouco fora. Talvez o contraste do avião e dos heróis seja proposital, mas eu achei meio deslocado. Mas no geral é um filme divertidíssimo.

O que é RPG de mesa?

O Role-Playing Game, o RPG é uma sigla em inglês que pode ser traduzida como “Jogo de Interpretação de Papéis” ou “Jogo de Interpretação de Personagens”. Nele um grupo de amigos se reunem para construir uma história, como se fosse um teatro de improviso. Existe um diretor, chamado de “narrador” ou “mestre”, que vai explicando o desenrolar da trama; e existem os jogadores, que modificam a história à medida que interpretam seus personagens.

O mestre prepara uma história com algum desafio a ser superado e os jogadores criam os personagens que se envolveram nesta trama. Essas histórias são geralmente chamadas de “aventuras” e um conjunto de aventuras jogado com os mesmos personagens forma uma “campanha”.

Desde o lançamento de Dungeons & Dragons, muitos outros jogos de RPG de mesa foram criados e lançados no mercado. Alguns jogos são baseados em histórias específicas, como “Star Wars”, enquanto outros têm mundos imaginários criados pelos próprios jogadores.

Com a evolução da tecnologia, também surgiram jogos de RPG eletrônicos baseados em computadores e videogames, como “Final Fantasy” e “The Elder Scrolls”.

No entanto, os jogos de RPG de mesa continuam sendo populares e são apreciados por muitos jogadores em todo o mundo.

Confesso que nunca fui um grande jogador de RPG, apesar de gostar das histórias, mas posso compartilhar que este tipo de “aventura” é divertido e pode sim, ajudar na criatividade.

Outras adaptações

Quem viu algum material promocional de Dungeons & Dragons: Honra Entre Rebeldes ou já assistiu ao filme deve ter reparado que os personagens de Caverna do Dragão fazem uma participação no longa-metragem. A presença de Eric, Presto, Sheila, Diana, Hank e Bobby pode causar estranhamento em quem não sabe alguns detalhes sobre o universo de fantasia em que essas duas obras estão inseridas.

O desenho animado Caverna do Dragão marcou a infância e adolescência de diferentes gerações que acompanharam a exibição original do programa ou viram suas inúmeras reprises no decorrer dos anos 1990 e 2000. Para muitos, foi o primeiro contato com a temática de fantasia. O que nem todo mundo sabe é que a produção é uma adaptação de um dos sistemas de RPG mais famosos de todos os tempos.

Sim, estamos falando de Dungeons & Dragons, também conhecido como D&D. O título original da série animada é justamente Dungeons & Dragons. O nome poderia ser traduzido de forma literal para o português como “Masmorras e Dragões”.

Só que o título escolhido para o Brasil foi Caverna do Dragão. E que foi reprisado por anos na Globo. Principalmente no antigo programa da Xuxa. Essa animação tem efeito “Chaves” no Brasil. Ele só fez sucesso aqui, principalmente pela repetição na TV aberta, lá nos Estados Unidos ninguém se importa.

Ah, e teve um filme no começo dos anos 2000 com o título “Dungeons & Dragons – A Aventura Começa Agora” que tinha no elenco Jeremy Irons, Bruce Payne e Marlon Wayans. Que Deus me livre sobre esse filme.

Honra Entre Rebeldes é um filme muito divertido, na medida certa. Sabe trabalhar os personagens e te convence com uma aventura medieval. A forma da narrativa agrada os fãs do universo de RPG mas também agrada quem só quer um filme divertido.

Dungeons & Dragons: Honra Entre Rebeldes, 2023
Veredito: 4/5
Onde assistir: Nos cinemas
Duração: 2h 14m
Direção: John Francis Daley e Jonathan M. Goldstein
Agregador no Rotten Tomatoes: 90%
Avaliação da IMDB: 7,6/10
Trailer

Confira mais textos do colunista: www.socialbauru.com.br/author/gabrielcandido/ 

Compartilhe!
  • Monstros do Cinema

    Nunca imaginei que Godzilla e Kong: O Novo Império seria o sucesso comercial e segue de lo…
  • Noturno do Bauru

    Noite. Esta página em branco aqui é um clarão. Lua. Luz potente. Único foco em meu quarto.…
  • Duna e o universo de Frank Herbert

    Com a estreia e sucesso de Duna: Parte 2, o universo criado por Frank Herbert finalmente a…
Carregar mais em Colunistas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Monstros do Cinema

Nunca imaginei que Godzilla e Kong: O Novo Império seria o sucesso comercial e segue de lo…