alineturini-topo

Sabe aquela famosa pergunta: ‘o que você quer ser quando crescer’? Bom, Aline Turini nunca teve a mínima dúvida do que responder e sabia exatamente o que faria todos os dias de sua vida. Recém-formada em arquitetura, ela conta, neste bate-papo, sobre a emoção de hoje estar fazendo o que sempre sonhou e fala sobre a sua dedicação em realizar um trabalho cada vez melhor na cidade.

Preocupada em oferecer um serviço de qualidade e totalmente acessível a todos, Aline se esforça para que seu trabalho seja ainda mais reconhecido, com projetos em diferentes áreas. Estudiosa assumida, ela foi eleita a melhor aluna de seu curso; desenvolveu projetos que muita gente duvidou que ela conseguiria; se especializou na técnica chinesa de feng shui para arquitetura e não para de sonhar grande. Para o futuro, quer montar um grande empreendimento na cidade e levar, cada vez mais, a alegria a seus clientes.

“Algumas profissões trabalham com os problemas dos outros, já nós temos a oportunidade de dar alegria. Os clientes vão atrás de nós, arquitetos, porque estão realizando um sonho e é muito bom ver a alegria deles. Sou muito grata todos os dias”.

Confira o bate-papo com esta jovem promessa da cidade:

Como surgiu a arquitetura em sua vida?
Aline: Eu sempre quis estudar arquitetura. Desde a infância, já tinha esta vontade. Eu ficava desenhando as casas que via por aí e sempre admirei as construções, mesmo não tendo nenhum profissional desta área em minha família. Nunca tive o contato com a profissão. Acho que já nasci com esta vontade, sabe? Tanto que, quando eu era criança, adorava jogar The Sims para ficar construindo as casas! (risos). Passava o dia todo fazendo isso: construindo casas no jogo! Então, sempre tive certeza de que iria fazer isso para o resto da minha vida. Na época do vestibular, nem pensei duas vezes. Quando eu comecei a estudar, de fato, eu me senti em um mundo mágico.

Você decidiu por esta profissão ainda muito nova. Quando começou a conhecer outras, não sentiu vontade de mudar?
Aline: Não, eu sempre soube que seria arquiteta. Uma época até cogitei cursar engenharia civil, mas percebi que o curso era muito técnico. Eu iria aprender a construir tudo, até estradas, e não era esse o meu objetivo.

Muita gente entra na faculdade só pelo diploma e nem todo mundo tem um sonho como você. Então, como você sempre quis isso, imagino que tenha se dedicado muito. Como era a sua rotina de estudos?
Aline: Olha, eu era a mais nerd! (risos). Eu sempre estudei muito, até mais que o normal. Sempre busquei mais conhecimento que o dado em sala de aula. Quando eu tinha prova, ficava igual a uma ‘louca’ estudando. Sempre fui muito exigente comigo mesma e tinha que tirar boas notas sempre. Também aproveitei a faculdade para conversar com os professores e tirar todas as dúvidas, além de ter participado projetos de extensão também. Então, sempre fui muito participativa.

Tanto que você foi eleita a melhor aluna, certo?
Aline: Isso! A seleção foi por conta das notas e eu fui eleita a melhor aluna de arquitetura daquele ano. Nossa, fiquei muito feliz! Eu me dediquei muito e isso foi muito importante para mim. Naquele momento em que ganhei, foi impossível não lembrar da minha infância, dos meus sonhos.

Atualmente, qual o seu trabalho?
Aline: Hoje, eu estou trabalhando com o meu escritório, em sistema home office. Assim que me formei, já apareceram alguns clientes para regularização de obras, reformas e construção. Até o momento, o que eu mais desenvolvi foi o trabalho com decoração. Auxilio o cliente a escolher o melhor revestimento e acabamento. Para que cada vez mais pessoas possam conhecer o meu trabalho, procuro auxiliá-los com um valor mais acessível.

Você aproveitou muito a faculdade, mas o mercado de trabalho exige outras experiência. Em algum momento, você sentiu dificuldade?
Aline: Não, muito pelo contrário. Durante o curso ainda, eu fiz um estágio que me possibilitou ter diferentes experiências. E, olha, eu fui muito feliz lá porque pude responder por vários projetos.

Qual a área da arquitetura que você mais se interessa?
Aline: Gosto muito de interiores e saúde. Inclusive, meu TCC foi a respeito disso. Eu sempre gostei muito, mas alguns profissionais não se interessam tanto por esta área porque existem muitas normas. As casas têm a norma padrão, com tamanho de porta e janela, por exemplo. Mas a área da saúde é bem complicada, porque é tudo pensado para evitar qualquer tipo de bactéria ou infecção. A arquitetura influencia muito na parte médica do hospital. E eu sempre achei isso muito interessante. Para o meu TCC, eu fiz o projeto de um novo hospital para Bauru e todo mundo me dizia que eu era louca. E eu acho que eu fui um pouco mesmo! (risos). Mas eu me orgulho muito deste trabalho. Tive a ideia de construir um hospital da Rede SARAH, que é referência em reabilitação. Estudei e pesquisei muito para poder concluir este projeto. Olha, fiquei trabalhando um ano neste projeto e posso afirmar que o tempo foi pequeno! (risos). Mas no fim deu tudo certo e o projeto ficou muito bom. Ah, outra área que também me interesso muito é a arquitetura com técnicas Feng Shui.

Como é isso?
Aline: Bom, o Feng Shui é algo que estou me dedicando mais agora. Além de trabalhar com a arquitetura de interiores, esta técnica age na arquitetura geral do projeto, como no posicionamento de porta e janela. Segundo esta técnica chinesa, isso influencia na energia do ambiente. Eu acredito muito nisso e, realmente, sinto o clima mais pesado em alguns lugares.

Você é muito apaixonada pelo que faz. O que pode dizer para quem está cursando a faculdade ainda e também tem o mesmo sonho que você?
Aline: Eu conheço muita gente apaixonada como eu. E posso dizer que elas devem acreditar nos seus sonhos porque tudo dará certo no final. Talvez a área da construção civil não esteja tão próspera agora, mas acredito que tudo irá melhorar em breve. A nossa profissão é muito importante para a sociedade e eu sinto como nós trazemos felicidade para as pessoas. Algumas profissões trabalham com os problemas dos outros, já nós temos a oportunidade de dar alegria. Os clientes vão atrás de nós, arquitetos, porque estão realizando um sonho e é muito bom ver a alegria deles. Sou muito grata todos os dias. Um cliente meu até me falou uma vez que a sua esposa não estava muito feliz com a obra mas, quando eu entrei no projeto, eu dei alegria à ela. E é muito gratificante ouvir isso.

Se você tivesse a oportunidade de voltar para a faculdade, faria algo diferente?
Aline: Olha, eu fui muito perfeccionista! (risos). Então acho que não mudaria nada.

Você se imagina fazendo algo diferente?
Aline: Não… não mesmo! (risos). Eu acho que se tivesse mudado para engenharia, teria parado, com certeza. E faria arquitetura! Eu gosto muito de tudo isso. Costumo falar que não trabalho, sabe? A palavra ‘trabalho’ parece que tem uma conotação ruim e eu amo o que eu faço. É a minha vida.

Você tinha um sonho na infância que está se tornando realidade. Acredita que podemos ser o que quisermos?
Aline: Com certeza! Eu acredito que, com dedicação, tudo é possível. Eu me dedico muito. Eu vou nas casas, eu mesma entrego panfleto para divulgar o meu trabalho; irei atrás de tudo o que for possível para continuar realizando o meu sonho.

Analisando a arquitetura de Bauru, o que você acha da cidade?
Aline: Bauru é muito pontual; algumas partes da cidade são muito planejadas, mas outros locais são bem ruins. Além da poluição visual que existe na cidade. Mas, no geral, vejo que a cidade de Bauru está se desenvolvendo muito na área da construção civil. Ela está em desenvolvimento, só falta que a parte pública cuide mais da cidade. Tem que ser uma junção da parte pública com o arquiteto e o engenheiro.

E se você pudesse fazer algum projeto novo para a cidade, qual seria?
Aline: Ah, com certeza seria o hospital que desenvolvi no meu TCC. Como é para reabilitação, ele teria até um bosque, onde os moradores poderiam usar também. Seria uma nova praça para Bauru, com um novo local para se aproveitar. Se eu tivesse muito dinheiro, acho que faria este projeto! (risos).

Se a gente se encontrar a daqui alguns anos, o que você espera me contar que aconteceu na sua vida?
Aline: Eu espero que te contar que eu consegui realizar muitos projetos e que eu consegui abrir uma grande empresa de arquitetura. Este é o meu sonho. Gostaria de fazer um empreendimento de arquitetura com profissionais de várias áreas em um único local. Seria muito interessante para a cidade; tenho certeza que a população iria gostar. Se eu conseguir realizar isso, eu serei ainda mais feliz.

Para conhecer melhor o trabalho da arquiteta Aline Turini, acesse:
Facebook:
www.facebook.com/alineturiniarquitetura/
Telefone: 99135-7725
Email: [email protected]
Instagram: @alineturiniarquitetura

Compartilhe!
Carregar mais em Negócios
...

Verifique também

Vieiras e vinho da rainha compõem o cardápio do novo Monte Serrat Bistrô

As mesas ganham toalhas brancas, a iluminação muda e os copos dão lugares às taças. É assi…