Olá, sou a Isa e esta é a minha terceira coluna para o Social Bauru. Por aqui você encontra temas relacionados à internet, redes sociais digitais, memes e algumas dicas simples e praticáveis no dia a dia, tanto para o seu lado profissional como pessoal.

Para o bate-papo deste mês vamos falar de eleições e internet, provocando algumas reflexões para você tentar entender como está sendo o seu papel e se o seu comportamento virtual está bacana perante os seus amigos. Vamos lá?

Nunca a expressão “Pegar o bonde andando e querer sentar na janelinha” fez tanto sentido no momento político que vivemos. São tantos comentários, publicações, analogias, definições, memes e, até, uma terrível falta de cordialidade quando alguns usuários querem “gritar” para a internet toda ouvir o seu voto, inclusive para presidente.

O fato é que, muitas vezes, ninguém sabe o que está dizendo, mas publica porque ao invés de pesquisar a veracidade do assunto, prefere acreditar em qualquer fake. Quer ser o dono da razão, um comportamento bem reprovado nas redes, não é mesmo?

É possível também notar que a cada dia crescem as terríveis e temíveis correntes de WhatsApp, disseminada pelos grupos, com teorias conspiratórias, desejando o mal de candidatos, falando mentiras e citando fontes inexistentes.

E a discussão sempre é a mesma: uns defendem, outros criticam e a briga fica generalizada.

Você pode até defender um candidato ou outro, pesquisar sobre ele e suas propostas, mas faça isso em silêncio. Nada impede de demonstrar apoio ao político nas redes, desde que não ofenda as outras pessoas que não compactuam das suas ideias. Para isto, a hashtag “#pas” nunca foi tão necessária.

Afinal, voto é secreto e ninguém obrigou você a contar para todos os seus amigos do Facebook e seguidores do Instagram em quem vai votar no próximo dia 7 de outubro.

Lembre-se sempre: respeite as opiniões dos outros e não imponha as suas.

Gostou? Mês que vem tem mais. Até lá!

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Isabela Gaspar
Carregar mais em Colunistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Coluna Isadora Venturini: as reflexões de final de ano que todo mundo faz

Antes de qualquer coisa, quero agradecer a todos do meu Facebook que sugeriram sobre o que…