Já falamos sobre o processo de compostagem e sobre a composteira doméstica. Elas nada mais são do que um local ou caixinhas empilhadas, onde você pode depositar materiais orgânicos. Esse materiais passam por um processo e, assim, retornam de maneira saudável e sustentável à natureza.

Para uma composteira saudável e em dia, conversamos com duas bauruenses que entendem do assunto. A bióloga Fernanda Ribeiro e Fabiana Araújo que é adepta a composteira doméstica.

E apesar de parecer muito fácil fazer, para manter uma composteira doméstica é preciso lembrar que ela é um ciclo interno e vivo, que precisa de muita atenção e cuidado!

Por isso, confira as 5 dicas abaixo.

1. Cubra bem

Para cobrir os materiais orgânicos mais úmidos e não gerar mau cheiro, as empresas que vendem composteira e os cursos sobre compostagem oferecidos no mercado indicam o uso de serragem. Este material tende a ser mais caro, porém ele não é a única alternativa.

Você também pode usar: “varredura de casa e de rua como folhas e galhos, de preferência secos. Cabelo, poeira, unhas, resto de pele e papel também podem ir na composteira. Ou se não tiver nenhum, pode usar terra seca mesmo”, enumera a bióloga Fernanda.

Mas cuidado, não exagere!

Fazendo este processo corretamente, a camada orgânica seca deve obstruir o cheiro e fazer o trabalho de equilíbrio entre materiais secos e molhados da sua composteira.

2. Composteira não tem cheiro

“Na composteira, os produtos não entram em estado de putrefação, eles são consumidos pelos bichinhos que vivem dentro delas e isso não gera nenhum mau cheiro.” Fabiana, dá a dica.

Então, se a sua composteira está com cheiro forte e ruim, algo deve estar errado. Para solucionar o problema, segundo Fernanda, é preciso acompanhar o ciclo da sua composteira:

  • Misture a terra e veja se não há uma infestação de larvas, moscas e etc. É normal aparecer alguns bichinhos além da minhoca, mas, se aparecem muitas a curto prazo, é alerta de perigo!
  • Monitore como suas minhocas se comportam com certos alimentos, como os cítricos, já em decomposição.
  • Cuidado com a quantidade de materiais orgânicos secos e molhados que está colocando. Analise sempre como a terra da sua composteira está.
  • Se, depois de algum tempo, um alimento ainda estiver intacto, aquele não é o local ideal de despejo dele.

Tudo é uma questão de conhecer a sua composteira: “Antes de ter uma, é preciso estudar, saber mais sobre e ter interesse. Porque, se largar nos primeiros meses, já desanda”, finaliza a bióloga Fernanda.

3. Minhocas não gostam de molhado

Se você está usando minhocas na sua composteira, cuidado com a umidade da composteira! Apesar de se ter a crença popular de que a minhoca gosta muito de água, não é bem assim: “As minhocas gostam de umidade, não muito molhado!”, expõe a bióloga.

Então é preciso equilibrar o ciclo e, uma ótima forma de saber se está tudo ok, é botar a mão na terra. “Pegue um punhado de terra da composteira na mão e aperte. A terra precisa se desfazer, mas ainda sim formar um bolinho na mão. Não deve ser seca e dura, mas também não pode escorrer líquido quando se aperta”, explica Fernanda.

Para controlar a umidade, a principal dica é que a que falamos no item 1. Coloque mais material seco, ele pode ajudar a equilibrar a sua composteira.

DICA EXTRA: As minhocas não sabem nadar! As composteiras que têm furinhos, normalmente, não vêm com redinha de proteção, por isso, algumas minhocas caem no último balde, onde fica o chorume. Então, coloque tijolo ou pedrinhas no fundo, para a minhoca subir e não se afogar.

4. No lugar certo

Quando for depositar os materiais orgânicos na composteira pequena, espalhe por todo o solo. Isso ajuda as minhocas e o processo é mais rápido. Assim como colocar pedaços muito grandes na composteira, atrasa a alimentação das minhocas e o material orgânico pode entrar em decomposição.

Fabiana até lembra da vez que, por descuido, acabou matando a comunidade inteira de minhocas de sua composteira. “Eu fiz bobagem, coloquei quatro espigas de milho inteiras, que já estavam começando a estragar. Isso causou um pouco de odor e matou minhas minhocas. Mas foi um fato isolado, porque eu não segui as orientações de colocar os alimentos em pedaços e coloquei algo que já estava estragando”, conta.

Caso seja uma composteira maior, o ideal é depositar em cantinhos para não ter que cobrir um espaço muito grande com material seco, já que os orgânicos devem estar cobertos para não gera cheiros ruins.

É preciso lembrar também que as composteiras não podem ficar no sol! Então, na hora de escolher o local da casinha das suas minhocas, opte por um local na sombra, arejado e que você não precise ficar mexendo toda hora.

5. Cuidado com as formigas!

Se a composteira não estiver devidamente selada e protegida, as formigas podem aparecer. Inclusive, se colocar muitas frutas na composteira, a tendência é que elas apareçam.

Por isso, todo cuidado é pouco! As formigas comem as minhocas 🙁

Então, a menor aparição de formigas, dê um jeito de afastá-las antes que seja tarde demais. “Eu tive uma infestação e destruiu a minha composteira. Até tentei salvar algumas partes mas não deu”, relata Fernanda.

Cuide bem do que é seu e tenha paciência

É sempre bom lembrar que a compostagem é um processo natural, portanto é preciso ter paciência e muita dedicação.

Afinal, se você optou por usar uma composteira (com minhocas ou sem minhocas), você está usufruindo de seres vivos. Assim como nós, eles são imprevisíveis e demandam cuidado, principalmente nos primeiros meses deste processo.

Após a adaptação, o ciclo tende a se normalizar e você passa a conhecer a natureza da composteira.

E você, já está fazendo a sua parte para diminuir as pegadas negativas que deixa no mundo!? Afinal, não basta apenas querer, é preciso fazer algo e começar aos poucos, contribuindo todos os dias, na medida do possível para um futuro melhor.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Letícia Yoshimura
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Jovem bauruense cria própria marca de roupas agênero, que vestem homens e mulheres

A moda agênero é uma proposta que cada vez mais vem tomando as passarelas do mundo. O conc…