Dizem que amor de mãe move montanhas. Dizem também que uma mãe faz de tudo para ver o seu filho bem. Que dão carinho e incentivo não importa o que aconteça.

Clívia Cristina Martins Donza é uma dessas mães. Por quê? Desde o nascimento de seu filho, que perdeu a audição bilateral dos ouvidos, ela não mediu esforços para conseguir um implante auditivo para ele.

Saiu de Belém (PA), em 2014, com Arthur, e veio para Bauru, onde conseguiu o primeiro implante no Centrinho.

Agora, Clívia está participando do Ear Parede, um evento de arte urbana relacionada à saúde auditiva. Seu objetivo? Conscientizar, cada vez mais, as pessoas sobre o tema.

Uma história de superação

Pedagoga e pós-graduada em Educação Especial de LIBRAS, Clívia viu, em seu filho, uma história de superação.

“Ele tem uma história de superação incrível, que nos permitiu conhecer um mundo totalmente desconhecido com pessoas incríveis e histórias lindas, assim como a dele”, ela afirma.

Clívia relembra do começo difícil em Belém, onde a cultura da cidade é o uso da Língua de Sinais. Quando descobriu a referência do trabalho do Centrinho, em Bauru, ela começou o acompanhamento de Arthur na cidade. Inclusive, aqui foi onde o menino teve seu primeiro implante!

Desde o começo, Clívia e seu marido sempre estimularam o desenvolvimento de Arthur da melhor forma.

“Oferecemos ferramentas para que ele se empodere, que aprenda a ser autor de sua própria história de vida”, comenta. A mãe de Arthur vê, em cada conquista do filho, uma vitória!

A importância da inclusão

E a luta de Arthur se mantém diária, isso, porque a inclusão é algo que precisa ser trabalhada diariamente.

“Quando ele era menor, me perguntava por que não podia ouvir sem o implante, assim como a gente. Mostrava a ele que todos nós somos diferentes, seja em cores de pele, de cabelo, de olhos. Umas precisam usar cadeira de rodas para locomoverem-se, outros precisam de óculos para enxergar e ele precisa dos aparelhos para ouvir. Desde pequeno ele aprendeu que ninguém é igual a ninguém”, afirma Clívia.

Foi nessa luta por inclusão que ela conheceu o Ear Parade SP, que lançou a campanha “Arte na orelha”. O concurso permite que pessoas comuns, usuárias de implante coclear pudessem se juntar a grandes artistas e colocar a sua arte em uma escultura que ficará nas avenidas de São Paulo.

Para Clívia, a inciativa permite que possamos ter uma sociedade mais inclusiva no futuro.

“Por isso a importância de ações impactantes como esta, que permite aos usuários de implante coclear mostrar o que audição significa em suas vidas. E, ainda, alerta a sociedade de uma forma geral sobre os cuidados que se deve ter com a saúde auditiva”, complementa a mãe.

Bauru nas ruas de São Paulo

O projeto “Arte na Orelha” consiste em várias artes feitas em orelhas que serão usadas para a criação de estátuas. Essas estátuas ficarão expostas em vários pontos de São Paulo.

Clívia é uma das participantes e pode ter sua arte, feita junta com Arthur, exposta!

arte na orelha bauru
Arte produzida por Clívia e Arthur é a segunda com mais curtidas até o momento!

A inspiração da arte veio de um momento de descontração entre mãe e filho, quando ambos faziam o dever de casa de Arthur.

“Estávamos estudando sobre o mapa mundi e começamos a conversar sobre possíveis viagens. Ele me perguntou se lá também tinham crianças com implante coclear e eu respondi que sim, já explicando para ele sobre as diferenças das pessoas e que elas existem em qualquer lugar do mundo”, ela explica.

O objetivo da arte é mostrar que a audição nos permite uma melhor conexão com a vida e com o mundo!

A arte de Clívia e de Arthur foi selecionada para a segunda fase do concurso, que teve milhares de escritos. Agora, os desenhos passam por voto popular. Todas as artes para o Ear Parade estão na página do Facebook da Coclear Brasil. Quem tiver mais curtidas, ganha!

Para votar na arte dos moradores de Bauru, clique aqui

“Eu espero, com isso tudo, que mais ações como essas sejam desenvolvidas, não só aqui em São Paulo, mas em outras regiões do Brasil também”, finaliza Clívia.

A importância do projeto Ear Parade? Dar visibilidade aos mais de 10 milhões de pessoas com problemas auditivos no Brasil!

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Gabriela Gomes
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Bauruenses contam histórias emocionantes que viveram com seus avós

A convivência com os avós pode trazer muitas lembranças boas e acolhedoras, de forma que s…