Desde o inesperado ou o tão esperado “positivo”, já começam o misto de emoções e sensações inexplicáveis. Ser mãe é assumir uma responsabilidade para sempre e saber que em suas mãos tem a vida de um ser que vai transformar seus dias.

A mãe é aquela responsável por gerar, cuidar e, além de tudo, dar amor ao filho. As preocupações são redobradas e a vida muda completamente!
A maioria das mulheres que se torna mãe descobre um mundo bem diferente com novos caminhos e começa a entender melhor suas mães. É aí que você vai entender os “nãos” e as puxadas de orelha.

Algumas mães contaram suas experiências e a toda essa mudança que a maternidade causa.

Glaucia Ramos, ainda está se descobrindo mãe, segundo ela o instinto é forte e a ligação com a cria é infalível, dando sua vida e o seu tempo para que uma nova relação seja fortalecida. É a história de que “só quando você for mãe, vai saber” e só sendo para saber mesmo! E a Glaucia confirma esse fato: “é como se implantassem um chip com todas as informações e você passa automaticamente a entender sua mãe…”

A conexão entre avó e mãe aumenta após o nascimento do filho; Glaucia relembra que após nascimento da sua filha Heloísa a conexão com sua mãe ficou mais intensa: “Me lembro do seu olhar lançado sobre mim, com preocupação e cuidado logo após o parto; isso me aquece a alma. Só ela teve esse cuidado, essa empatia, coisa de mãe da mãe!”

O nascimento de um filho para algumas mulheres é considerado um sonho e para outras, um milagre. É o caso da Rafaela Saraiva que conta emocionada a chegada de seu filho. Ainda na faculdade, ela engravidou e foi um misto de emoções como: medo, alegria e ansiedade. A mudança foi repentina e mudou completamente a vida dela.
Depois de virar mamãe, Rafaela começou a entender melhor o porquê de tanta preocupação que a sua mãe tinha: “Nossa aquilo de ‘não durmo enquanto você não chegar’, é real. Quando meu filho vai pra casa do pai dele eu fico aflita até ele voltar.”

Rafaela comenta que sentiu na pele como é só depois de passar pela experiência “Hoje entendo os ‘nãos’ dela, toda preocupação em eu não me machucar e ser sequestrada!” (risos)

Além de passar por toda a experiência e aprender muito, o que conta e agrega muito para esses momentos são as parcerias com as vovós! Elas que já sabem certinho como dar banho, trocar, alimentar e dar muito carinho tornam-se alicerces.

Ligação de amor

Thuany Santos e sua mãe são um exemplo dessa parceria que ficou maior com a chegada do pequeno Murilo. “Minha mãe é uma pessoa preocupada e muito cuidadosa! Desde quando eu era criança até os dias de hoje, minha relação com ela é a mais maravilhosa possível!”.

Thuany ainda contou que a vovó coruja sempre foi o apoio e a base dela. Acompanhou as consultas, ultrassom, compra das roupinhas, assistiu o parto e ainda foi a primeira a pegá-lo no colo! A relação de neto e avó só cresce e a primeira palavra dele foi: bobó (vovó)!

É por isso que como elas afirmam: “Só passando para saber, só tendo um filho para entender o amor. Mães decifram os desejos dos filhos antes mesmo de que eles peçam. Mãe é mãe, né?!”

Priscila Canteli é outra mamãe coruja apaixonada pelo seu filho e conta que só depois que foi mãe entendeu o que seus pais sentem por ela. “Acredito que 99% do que sou com meu filho hoje devo ao carinho e cuidado que tiveram comigo, e tudo que sei, aprendi com eles.”

A relação dela com sua mãe não foge muito do que já falamos, inclusive, ela conta que mesmo morando em outra cidade, estão sempre presentes ou mantendo contato por telefone – mesmo distante, a vovó ajuda muito!

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Vivian Messias
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Conheça três iniciativas bauruenses que estão ajudando empreendedores da cidade em tempos de coronavírus

Devido às medidas de isolamento em vigência em Bauru, que também foram adotadas por inúmer…