Apesar de conhecido por grande parte da sociedade, o profissional de fonoaudiologia, muitas vezes, tem sua carreira resumida a poucas coisas. Como o tratamento de crianças com problemas de fala ou pessoas que querem melhorar a dicção. 

No entanto, ao contrário do imaginado, essa especialidade médica trabalha com diferentes aspectos da comunicação humana. Entre eles, a linguagem oral e escrita, a fala, a voz e a audição. Além disso, também compreende funções responsáveis pela deglutição, respiração e mastigação. 

Assim, devido às diversas áreas de atuação, é praticamente impossível que um único profissional seja especialista em tudo. Justamente por conta disso, a fonoaudióloga bauruense, Mirele Regina Silva, inaugurou na cidade o Centro Auditivo Ouvir, em 2007.

Um sonho possibilitado por muitas mãos 

Mirele, que já atua na fonoaudiologia há 18 anos, conta que desde cedo já sabia que queria trabalhar com uma área relacionada à audição. Não para menos, sua especialização é audiologia e hoje ela atende pacientes na clínica e também ministra aulas de processamento auditivo central. 

Apesar de atuar desde 2002, foi apenas em 2007 que conseguiu realizar o sonho de abrir uma clínica que abrangesse outras áreas da fonoaudiologia. 

Eu sempre tive vontade de ajudar mais gente, mas não tinha condições, pois atendia sozinha e somente no particular. Então, tive a ideia de chamar outros ‘fonos’, cada um com sua especialidade. Assim, hoje atendemos convênios e conseguimos levar atendimento para o maior número de pessoas”, explica Mirele. 

Atualmente, o espaço conta com cinco profissionais que realizam atendimentos, diagnósticos e tratamentos das mais diversas áreas da fonoaudiologia. Além disso, também são responsáveis pela venda de aparelhos auditivos.

Nem precisa sair da clínica  

Ainda, pensando em otimizar o processo de diagnósticos, todos os exames fonoaudiológicos são realizados na própria clínica. Isso, de acordo com Mirele, permite uma análise mais rápida, pois não há necessidade de transferir o paciente para outros consultórios.

Entre os exames relacionados à audição, estão: 

  • Audiometria Tonal Limiar e Audiometria de Altas Frequências – Determina os limiares auditivos e compara com os padrões de normalidade;
  • Imitanciometria – Utilizada para analisar o funcionamento e integridade da orelha média;
  • Audiometria Ocupacional – Utilizada para avaliar e monitorar a audição de trabalhadores;
  • Acunfenometria – Tenta encontrar o som semelhante ao zumbido em intensidade e frequência;
  • Audiometria de Reforço Visual – Audiometria especial para crianças pequenas;
  • Potenciais Evocados de Tronco Encefálico (PEATE-BERA) – Pesquisa da integridade funcional das vias auditivas até o tronco encefálico e de limiar auditivo;
  • Audiometria Vocal (Discriminação e Inteligibilidade) – Avalia a habilidade de detectar e reconhecer a fala;
  • Emissões Otoacústicas (Transientes e Distorção) – Detecta pequenas lesões nas células ciliadas do ouvido;

Ademais, a especialista ainda pontua que na clínica também atende pessoas que sofrem com labirintite e possui dois exames para o diagnóstico. “Então, o diagnóstico e tratamento de pessoas que tem tontura nós também fazemos, porque está dentro da área de fonoaudiologia”, explica.

Por isso, a clínica possui exames que avaliam a função do equilíbrio corporal, que são capazes de identificar e quantificar a alteração para a escolha do tratamento adequado das tonturas e vertigens dos pacientes.

Avaliação da Função do Equilíbrio Corporal

  • Vectoeletronistagmografia – Tem como objetivo avaliar a função vestibular (responsável pelo equilíbrio) de forma indireta;
  • Posturografia Computadorizada – É a técnica utilizada para medir a oscilação do corpo ou de uma variável associada a essa oscilação, dividida em posturografia estática e posturografia dinâmica;

Por fim, os profissionais da clínica também oferecem os serviços mais conhecidos da fonoaudiologia. 

Entre eles, os seguintes atendimentos de Terapia Fonoaudiológica:
  • Distúrbios de linguagem – Quando o indivíduo apresenta atraso na fala, troca de letras, dificuldades nos estudos como alfabetização, leitura e interpretação;
  • Problemas de voz – Rouquidão, disfonia, alterações vocais decorrentes de uso profissional da voz, má articulação, incoordenação respiração/fala; 
  • Fluência da fala: gagueira, falar muito rápido;
  • Reabilitação auditiva – Pacientes com perda auditiva que necessitam de treinamento;
  • Sistema miofuncional orofacial, cervical e deglutição – Problemas ocasionados por uso prolongado da chupeta, mamadeira ou sucção digital; dificuldades na mastigação e deglutição.

Nesses casos, Mirele pontua que, na maioria das vezes, crianças, a até adultos, são encaminhados para a clínica por orientação de outros médicos. “Nós ficamos responsáveis por avaliar qual é a alteração do paciente, se é apenas um atraso de fala, autismo, deficiência auditiva. Só depois disso que vamos encaminhar para o profissional mais qualificado para o atendimento”, explica.

Mudança de foco 

Apesar das diversas áreas atendidas no espaço, Mirele comenta que nos últimos dois anos tem concentrado seu foco em atendimentos relacionados às soluções auditivas. A decisão foi impulsionada pela recente parceria com a marca Unitron, que pertence ao Grupo Sonova, o maior grupo audiológico do mundo. 

A marca canadense, que alia design a tecnologia em seus produtos, inspirou a fonoaudióloga a realizar uma reestruturação na clínica. “Nós reestruturamos a parte de atendimento ao usuário de prótese auditiva, que agora é bem específico, ele passa por todos os exames audiológicos para a adaptação do aparelho e pode contar com um pós venda de qualidade. Criamos até um 0800 exclusivo para pacientes de aparelhos auditivos”, pontua Mirele.

A especialista esclarece que, graças a isso, atualmente, a clínica tem soluções auditivas para todos os tipos de necessidades, incluindo implantes cocleares. Ainda, Mirele explica que escolher um aparelho auditivo correto, que seja adequado e confortável para o paciente, é um processo que depende de um bom diagnóstico. 

No entanto, ainda há muita resistência e até vergonha de alguns pacientes em lidarem com a deficiência. “Fora do Brasil as pessoas não ligam de usar aparelho auditivo, e aqui as pessoas querem esconder, têm vergonha. É muito triste. Principalmente, porque a área de saúde auditiva é muito forte aqui no país”, lamenta.

Preocupação com o paciente

Mirele ressalta que ela, juntamente com os profissionais da clínica, preocupa-se com a experiência do cliente. Isso, durante e, principalmente, após o tratamento realizado com os especialistas. 

Assim, além de prezarem por uma avaliação completa para identificar a situação, após o diagnóstico, a atenção é ainda maior. A exemplo da disponibilidade de uma central de atendimento exclusiva para tirar dúvidas de pacientes que adquiriram aparelhos auditivos e também a possibilidade de fazer um test drive durante uma semana com o aparelho que deseja adquirir antes de comprá-lo. 

“Não vendemos de cara, porque queremos que o paciente tenha uma experiência prévia com os aparelhos, para ter certeza da compra”, ressalta Mirele. 

Ademais, preocupados com a adaptação aos aparelhos auditivos, a profissional estimula o acompanhamento semestral durante três anos.  “Quando o paciente compra um aparelho com a gente ele também está adquirindo o pacote de serviços. Então, quando ele volta aqui não tem custo adicional”, explica. 

Muito dessa atenção que Mirele e os outros profissionais nutrem pelos pacientes, está relacionada ao princípio principal que prezam na clínica: a humanização do atendimento. 

“Aqui prestamos muita atenção no que o paciente está sentindo, focamos na humanização do atendimento, sempre com muito cuidado. Também acompanhamos, desde quando ele começa o diagnóstico até sua jornada de reabilitação”, finaliza. 

publieditorial

Serviço 

Centro Auditivo Ouvir
Local: R. Gérson França, 9-52 – Centro
Telefone: (14) 3227-5548
Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h
Site: ouvirbauru.com.br/quemsomos
Facebook: www.facebook.com/centroauditivoouvirbauru
Instagram: @centroauditivoouvirbauru

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Paula Borim
Carregar mais em Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Nova reitora do UNISAGRADO toma posse nesta segunda-feira (20)

Na última segunda-feira, 20 de janeiro, o UNISAGRADO apresentou sua nova Reitora. Quem ass…