O olhar e o coração podem estar diretamente conectados. Prova disso são aquelas fotografias que tem o poder de arrepiar, encher os olhos de lágrimas e até de fazer reviver aquele momento. Mais do que a técnica, fator fundamental para produzir tanto sentimento em um retrato é a sensibilidade.

O resultado do trabalho da Corá – Fotos com Coração mostra que, apesar de serem momentos congelados, as fotografias nada mais revelam do que vida. Mesmo que a carreira da idealizadora da empresa, Alana Nozella, tenha dado algumas voltas, com a Corá, ela retornou ao que mais gosta de fazer, fotografar famílias.

Seguindo um estilo que deixa de lado os estúdios e as poses previamente pensadas, ela retrata o dia a dia de cada família. Aliás, é aí que está o charme, já que cada um tem a sua particularidade. “Fazemos o tipo de foto que chama life style, então é a rotina da família dentro de casa”, aponta Alana.

E o trabalho da fotógrafa começa literalmente do início, já que ela chega a acompanhar as famílias desde a gestação até um ano de idade do bebê.

“Ser o olhar da família em um momento único”

Atualmente, a Corá é uma das empresas habilitadas a fotografar e filmar partos dentro do hospital da Unimed. Segundo Alana, acompanhar os pais dentro da sala de parto é um momento desafiador, mas também, muito único. Por isso, ela procura ser o olhar da família inteira naquele momento para retratar da forma mais sensível a chegada do bebê que é tão esperado.

“Cada parto que a gente fotografa é um amor diferente pela família, é muito emocionante, é um bebê que está nascendo. O desafio é realmente captar o momento exato, porque alguns médicos não avisam, então eu tenho que ficar de olho para ver se o bebê está nascendo, porque ele não vai sair da barriga duas vezes. Então eu preciso captar e pegar a emoção do momento”, revela.

Além de ser uma forma da família viver aquele momento com poucos participantes, a fotografia de parto também é uma forma dos pais reviverem um dia especial.

“Até para as mães que não lembram, porque depois da cesária ela fica em torno de três horas na recuperação. Ela não vê o bebê carimbando o pé, colocando a primeira roupinha, são cenas que ela acaba perdendo. A emoção do pai apresentando o bebê para os avós. No parto normal, por mais que o bebê não saia do colo da mãe, a gente fala que ela vai parar na ‘partolândia’, porque ela não lembra de muita coisa, então é muito importante o registro nessa hora”, aponta a fotógrafa.

Entregas que dão borboletas no estômago

A ansiedade, tanto da família inteira, quanto dos pais, é algo natural. Por isso, a missão da Corá é entregar as fotos digitais e o vídeo do parto até 24 horas após o registro, tornando essa fase ainda mais emocionante.

Outra proposta criada foi o berçário virtual, em que a foto do bebê é postada no site da Corá momentos depois do nascimento. Assim, já é possível conhecer o novo integrante da família!

Além das fotos digitais, a empresa também faz uma entrega física, que é sempre uma surpresa. “A gente não trabalha apenas com foto digital e isso é uma coisa que não abrimos mão. Perde um pouco dos nossos valores. Conhecemos a família, como eles são e, a partir disso, montamos a entrega. Então cada uma é diferente da outra e sempre tem a foto impressa”, esclarece Alana.

Para o parto, além do vídeo e das fotos, a Corá entrega uma caixa de memórias com cinquenta fotos impressas, onde também dá para guardar objetos que lembrem o dia do parto.

Acompanhando o bebê

Além do parto, a Corá tem outra especialidade, retratar o crescimento do bebê. Tudo começa com o new born, que é o ensaio do bebê logo nos primeiros dias de vida. Depois, há a possibilidade de fazer ensaios de três em três meses, para acompanhar diferentes momentos do primeiro ano de vida.

Alana Nozella e o bebê do primeiro parto que ela registrou (Foto: Corá) 

“Acompanhamos o ano completo. Não fazemos mensal, porque é muito igual e o bebê não muda tanto assim. Então são fases ideais, a de três meses ele está mais gorducho, seis é a introdução alimentar, nove meses já está engatinhando e doze já está de pé. Então são fases bem diferentes para registrar”, diz Alana.

Corá – Fotos com Coração

Se você reparou nas fotos espalhadas por essa matéria, pelo menos uma deve ter tocado seu coração. Pois é, esse foi o objetivo de Alana durante o ano em que ela se preparou para lançar a Corá. Hoje, a empresa já completa três anos e continua com a mesma missão.

“Fotos com o coração é poder captar esses momentos com mais sensibilidade e poder sair do normal que é as pessoas fotografarem fotos dirigidas, de estúdio e não captar mesmo a essência da família. Então esse é o intuito, conhecer cada família na sua intimidade e poder captar a essência de cada um”, finaliza Alana.

publieditorial

Serviço
Corá – Fotos com o Coração
Contato: (14) 99721-2219
Site: www.corafotos.com.br
Instagram: @corafotos
Facebook: www.facebook.com/corafotos

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Microempreendedor de Bauru: conheça dois cursos gratuitos com inscrições abertas

Começar um novo negócio tem sido uma alternativa para muitos bauruenses durante a pandemia…