Depois do lançamento de seu primeiro EP em maio, a banda “Os Últimos Escolhidos do Futebol” volta a agitar a cena musical bauruense com seu novo single “Bom Bom”!

Diferente das músicas do EP, “Bom Bom” demonstra uma mudança sonora da banda ao utilizar novos instrumentos como cavaco e variadas percussões que fogem do normal, como garrafas de vidro, por exemplo.

O vocalista e instrumentista do grupo, João Albino ressalta que a maturidade alcançada pela banda neste primeiro ano de produção autoral foi o motivo dessa busca por novas maneiras de produzir música.

Para ele, isso fez com que os integrantes estivessem abertos a experimentar novos sons e até errar, se necessário, para no fim chegar a um resultado que os representasse.

Ainda, João comenta que desde o começo a banda queria que a música tivesse uma identidade com influências do Jorge Ben Jor e dos Novos Baianos e os instrumentos usados foram uma maneira de fazer isso possível.

Bom humor, política e história de Bauru

“Bom Bom” propõe uma junção de bom humor, política e crítica. Para isso, fala de forma descontraída dos tempos difíceis que temos enfrentado. Assim, segundo o vocalista Sinuhe LP, a canção se tornou uma forma de expressar a inquietação da banda sobre este momento.

Seja na saúde ou na política, o cenário é estranho. Então ‘Bom Bom’ é um presságio para o que vem pela frente. O nome da canção é uma expressão que sai da boca do povo ‘Tá ruim, mas tá bom, fazer o quê, né?’. Como se os problemas estivessem aí, escancarados, mas por fim, ‘tá tudo muito bom’”, explica.


Foto: Nina  Leal

Além disso, a música também lembra fatos históricos de Bauru, fazendo jus aos seus integrantes, que são todos nascidos na cidade.

Desse modo, eventos e locais marcantes são trazidos à tona: a explosão de uma avenida na visita do presidente Geisel em 1976, o assassinato de Mara Lúcia em 1970, o Bauru Atlético Clube (BAC) e o nacionalmente famoso bordel de Eny Cezarino.

Por fim, ao trazer estes fatos do passado e do presente, a música pretende fazer a reflexão:

Será que não estamos acompanhando os mesmos cursos do passado para o presente? A história se repete? A canção reflete sobre isso ao comparar a cidade no final da década de 90 – momento em que praticamente todos os integrantes da banda nasceram – com a cidade em 2020, o momento em que a canção nasce nas plataformas digitais”, completa Sinuhe.

Produção segura para a banda

Produzida em meio à pandemia, a canção exigiu paciência e dedicação dos integrantes para que todas as etapas de gravação fossem seguras.

Os músicos tiveram que revezar os dias no estúdio de gravação e toda a pré-produção foi feita online em encontros por videochamada, cada um em sua respectiva casa.

O baixista Léo Pacheco conta que, apesar de trabalhosa, a experiência foi proveitosa, já que foi possível ver o single tomando forma aos poucos.

Nós chegamos no estúdio já com uma pré-produção que serviu como base para as gravações. Para evitar de ficar todo mundo confinado no mesmo espaço, seguimos um cronograma para poder gravar os instrumentos separados. No final o Lucas Dias, que produziu a canção com a gente, pôde consolidar tudo. Então foi uma experiência bem legal porque a gente viu a obra ganhando vida aos poucos, a cada semana”, relata.


Foto: Eric Solon

Lançamento e clipe

O single, que será lançado nas plataformas digitais nesta sexta-feira às 11h, é o primeiro de uma trilogia de canções que será lançada pela banda nos próximos meses.

A canção ficará disponível no Spotify, Facebook e Youtube e também ganhará um clipe inédito no dia 11 de janeiro, o primeiro em live action com os integrantes da banda.

Formação do grupo
João Albino (voz/guitarra/cavaco)
Sinuhe LP (voz)
Léo Pacheco (baixo)
Paulo Nunes (voz/bateria/percussões)
Pedro Nunes (voz/violão)

Capa 
Concepção da capa: Os Últimos
Foto da capa: Eric Solon
Pós-produção da capa: Matheus Bianchi

Ficha técnica do single
Composição: Sinuhe LP e João Albino
Voz: Sinuhe LP
Guitarra, cavaco, violão e voz: João Albino
Bateria, percussões e voz: Paulo Nunes
Baixo e voz: Léo Pacheco
Violão e voz: Pedro Nunes
Trombone: Thainan Augustinho
Trombonito: Ruan Augustinho
Trompete: Samuel Alcântara
Saxofone: Lucas Rodrigues

Gravado entre setembro e outubro de 2020 no estúdio Motiv em Bauru (SP).

Concepção e direção artística: Os Últimos
Pré-produção musical: João Albino
Produção musical: Os Últimos e Lucas Dias
Gravação: Lucas Dias
Mixagem: Thiago Baggio
Arranjo de metais: Thainan Augustinho
Masterizado por Maurício Gargel na Maurício Gargel Audio Mastering (SP)
Produção operacional: Thales Coelho
Foto de capa: Eric Solon
Pós-produção capa: Matheus Bianchi
Fotos de divulgação: Nina Leal

Serviço
Lançamento do single Bom Bom
Data: Dia 27 de novembro, às 11h
Site: www.youtube.com/c/Os%C3%9AltimosEscolhidosdoFutebol
Facebook: www.facebook.com/osultimosescolhidos/
Instagram: @osultimosescolhidos 

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Anne Hernandes
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Realidade e fantasia se encontram no 5° livro do bauruense Luís Paulo Domingues

Jornalista e escritor, o bauruense Luís Paulo Domingues conclui mais uma obra de autoria p…