Do lado de fora da escola de música da Adriana Rossetto, já deu para ouvir a voz suave dela gravando uma música. A professora e cantora nos recebe entre um microfone e um piano para falar sobre sua trajetória musical, ao som de uma aula de contrabaixo ao fundo. O local respira música.

Esse espaço surgiu com o crescimento do Adriana Rossetto Centro de Educação Musical, fundado em 2012. Nesse ano, a cantora coordenava o Conservatório Pio XII, da Unisagrado. Quando o local da universidade fechou, ela sabia que não conseguiria ficar longe da docência.

Na área da música desde os cinco anos de idade e professora desde 1994, Adriana quer passar para frente sua experiência em palcos e em salas de aula. “É uma vida inteira dedicada à música. Quero usar essas vivências para mudar a vida dos alunos”, diz ela, ao reforçar como a área consegue transformar as pessoas.

Nesse sentido, ela ressalta como a música é uma forma de expressão, especialmente o canto. “É o instrumento musical que está dentro de nós. Então, é algo que trazemos de dentro para fora”, comenta Adriana.

Dessa forma, o Adriana Rossetto Centro de Educação Musical atende pessoas de todos os níveis. “Tem gente que vem de indicação de psicólogo, fonoaudiólogo, otorrino. E tem também as pessoas que querem desenvolver uma carreira”, comenta Adriana, destacando que já ensinou pessoas que querem vencer a timidez, têm o canto como hobby, sonham em virar cantores ou já são profissionais.

Desses últimos, a professora já treinou cantores conhecidos do cenário musical de Bauru, como Mateus da dupla com Bellini, Luciana Pires, Fabiano Alves e Andréia Miassaca da Igreja Vineyard de Piratininga, e Marina Stecca da banda Gum Pop.

Portanto, o objetivo da escola da Adriana é compartilhar diariamente a vivência da música, independente do nível do aluno. “Eu acho que isso é o que me move, e o que move eles. Cantar juntos é o que faz a gente estar aqui todos os dias”, fala a professora.

Aulas de canto

Apesar de ter aulas de outros instrumentos, o carro-chefe do centro são os dois cursos de canto: o Coaching Vocal e o Preparação para Cantores.

Ambos seguem um método italiano, com a proposta de melhorar tecnicamente a qualidade da voz a partir das individualidades do aluno. “Dessa forma, nós chegamos em um momento em que a pessoa consegue controlar o seu som e seguir para o estilo de música que ela gosta de cantar”, explica Adriana. 

O Coaching Vocal é individual e foca em quem busca um tratamento direcionado. Já o curso Preparação para Cantores é feito em turmas, com o ensino integrado e culminando em apresentações em conjunto.

Nesse segundo curso, para ela, é interessante ver a troca de experiências, especialmente entre alunos de diferentes níveis. É ver crianças que sonham com os palcos encontrando artistas que já estão no mercado da música. “O profissional servindo de exemplo para quem quer chegar lá. É muito gostoso participar dessa interação”, comenta a professora.

Ambos os cursos seguem um conteúdo programático que ensina desde  anatomia a postura, respiração e projeção, e são divididos em níveis iniciante, intermediário e avançado. “Depois do avançado, se quiser, o aluno pode continuar e ir desenvolvendo. Canto é musculatura, quanto mais você desenvolver, melhor você vai cantar”, finaliza Adriana.

Entre as atividades, os estudantes se apresentam no palco. Por isso, Adriana viu a necessidade de adicionar movimento ao canto. “Nós precisávamos ser mais artistas em palco”, diz ela. Portanto, além de cantar, os alunos aprendem a se mexer no palco.

Para isso, adicionou uma sala para treinos de dança com espelhos e chamou dois professores para compor o corpo docente: Kadu Posso para a expressão corporal e a secretária de cultura e professora de teatro Tati Sa, que trabalha a consciência do corpo. 

Educação musical à distância

No momento, os dois cursos de canto do centro musical acontecem pela internet, além de distribuir videoaulas. Os horários dependem da formação da turma, e podem ser pela manhã, tarde ou noite. As aulas duram entre 50 minutos e 1h30, e acontecem uma vez por semana.

Presencialmente limitadas a 12 alunos, pela internet as turmas podem ter mais de 20 estudantes. Nesse sentido, Adriana observa como esse momento acelerou um processo de ampliação do centro musical para alunos de fora de Bauru.

Agora, ela dá aulas para pessoas que passaram pela escola dela aqui, mas foram morar em outros locais. “Tenho alunos que hoje estão nos Estados Unidos, por exemplo. São alunos que já falaram que não devem mais voltar presencialmente, mas que não vão largar o curso”, comenta.

Os cursos têm mensalidades a partir de R$ 150. Para saber mais, entre em contato pelos telefones (14) 3202-9048 ou (14) 98812-3859.

Recitais e collabs

Tradicionalmente, os projetos de fim de ano são apresentações em palco. É a oportunidade de colocar em prática tudo o que foi ensinado em sala de aula. “Os recitais são incríveis. É realmente um trabalho diferenciado dos alunos. Cantando, dançando, interpretando. É um show profissional”, garante Adriana.

Aliás, para o espetáculo, ela investe em qualidade do som, iluminação e figurino. Os shows são temáticos, e, em anos anteriores, já homenagearam décadas (anos 80 e 90), ritmos (rock, pop) e cantores (Nando Reis, Zeca Baleiro e Elis Regina).

Ademais, os recitais são frutos de um trabalho do ano inteiro, pois o tema é estudado desde a primeira aula. Portanto, a apresentação torna-se o ápice do aprendizado. “Nós nunca vamos para um recital sem uma música que não foi esmiuçada durante o ano. Então assim, o aluno tem muita consciência do que está cantando e por que está cantando”, comenta Adriana.

Nesse sentido, ela diz que o empenho dos alunos é admirável. Adriana conta que a preparação para o recital, especialmente perto do dia de ir ao palco, costuma entrar pela madrugada. “Os alunos se integram muito. Vira uma família”.

Com a pandemia, os recitais foram paralisados, mas não a ideia de colocar em prática o trabalho do ano. Agora, a escola de música publica Collabs, que são apresentações em conjunto, onde cada um grava, em casa, uma música. Ano passado foram oito vídeos. A escola já fez músicas do Lulu Santos, Tribalistas, Tom Jobim e John Lennon.

Apesar dos alunos sentirem falta do palco, as vantagens do collab são conseguir um maior alcance e permitir a integração de todos os alunos, já que todos cantam a mesma música, o que o recital não fazia, como explica Adriana. “É uma coisa que nos uniu muito”, conclui.

Outros instrumentos

Além do canto, o centro de educação musical também oferece curso de iniciação musical em piano e violão, violão e guitarra, piano e teclado, e contrabaixo. E assim como para Adriana, esses cursos seguem a mesma exigência de conhecimento e experiência. 

“Os nossos professores são pessoas relevantes no cenário musical. Nós tomamos todo o cuidado de fazer parcerias com pessoas que tenham trajetória musical e acadêmica”, comenta Adriana. “Eu levo a música muito à sério, e também penso nisso na hora de escolher as pessoas que trabalham aqui”.

Nesse sentido, os professores têm experiência em docência em universidades, graduação e pós-graduação em música e prática em apresentações ao vivo. As aulas de instrumentos musicais são individuais.

Cantando desde os cinco anos

Para entender essa exigência de conhecimento e experiência, vamos voltar aos 5 anos da Adriana. Nascida na capital, ela veio para Bauru ainda criança e começou a cantar em conservatórios aqui já nessa idade. Depois, passou pelos palcos como cantora solo, por bandas como ‘Zema-ê’ e ‘12 Horas’ e em festivais da canção.

Além disso, fez faculdade de música em Bauru e deu aulas de violão aqui na cidade. Para Adriana, era importante estudar para se especializar na área. Quando morava em Amparo no início dos anos 90, os vizinhos pediram a ela aulas de canto. “Comecei minha carreira como professora ali e nunca mais parei”, diz.

Três anos depois dessa primeira aula, ela voltou para Bauru em 1997 e nunca mais saiu. Por aqui, coordenou o conservatório da Unisagrado, lecionou na universidade, deu aulas particulares e comandou corais.

Em 2012, reuniu os instrumentos colhidos durante a carreira e abriu o Centro de Educação Musical. De início, a ideia era ter um espaço pequeno para trazer alguns alunos que sentiram falta do conservatório da Unisagrado. “Mas aí a escola tomou uma proporção que eu não imaginava”, comenta Adriana. Desse modo, ela precisou ampliar o espaço e se mudou para o local onde está hoje, com uma área maior para receber os alunos.

E é nesse grande espaço envolto em instrumentos musicais e partituras que ela nos contou sobre sua trajetória. Com o fim da entrevista, Adriana pôde retornar à gravação interrompida e voltar a fazer o que mais ama: cantar.

publieditorial
Serviço
Adriana Rossetto Centro de Educação Musical
Endereço: Rua Maria José, 3-48
Horário de funcionamento: De segunda a sexta, das 8h às 20h
Contato: (14) 3202-9048 | (14) 98812-3859
Site: www.adrianarossetto.com.br
E-mail: [email protected]o.com.br
Instagram: @adrianarossettomusica
Facebook: /adrianarossetto
Youtube: /AdrianaRossetto

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Raphael Bonini
Carregar mais em Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Instituto de Câncer em Bauru projeta casa de apoio para oferecer acolhimento aos pacientes

O Naic – Instituto do Câncer de Bauru tem dado andamento ao projeto de sua Casa de A…