Anunciado nesta semana, em parceria com a Sony e a Apple Corps (empresa responsável por todo o material da banda) o cinebiografia, ou melhor, quatro cinebiografias da banda mais influente da história da música. Você pode gostar ou não, mas de longe é a banda mais importante da música.

A ideia do projeto é lançar tudo em 2027, um filme de cada integrante, focado em suas histórias particulares e que ao final de cada filme, culminar no evento: “Avengers assemble”.  Brincadeira à parte, a ideia é fechar a biografia de cada um com a formação clássica da banda. Mas a grande questão é: será que vai dar certo?!

Todos os filmes serão dirigidos e produzidos pelo excelente Sam Mendes, vencedor do Oscar, de Beleza Americana (1999), segundo noticiou o site do Deadline. O que é um ótimo sinal, Mendes coleciona em sua filmografia ótimos filmes, como: Estrada para Perdição, 007 – Operação Skyfall (um dos melhores filmes da franquia) e do grandioso 1917, se você nunca viu, pare o que está fazendo e vá assistir. Cinema com C Maiúsculo!

Esta será a primeira vez que a Apple Corps (selo fundado pelos Beatles para lançar seus discos), os membros sobreviventes do grupo, Paul McCartney e Ringo Starr, e as famílias de John Lennon e George Harrison concordaram em ceder os direitos de sua história e música para um filme roteirizado. 

A dúvida ainda é grande, particularmente acho que biografias são complicadas de adaptar para filmes. Temos ótimos exemplos de filmes que conseguiram retratar a vida e obra de forma digna e minimamente interessante, como Ray (2004), estrelado por Jamie Foxx o filme foi um sucesso de público e crítica. Trouxe uma atmosfera pesada e mágica sobre um dos maiores nomes do soul, do blues e do jazz. Gosto também de Johnny & June (Walk the Line, 2005), sobre a vida de Johnny Cash. Rocketman (2019) é mágico e Elvis (2023) é de longe um dos melhores filmes biográficos. Aqui no BR também temos bons nomes, como Tim Maia (2014) e Gonzaga: de Pai pra Filho que é emocionante. 

É claro que tem sempre o lado obscuro das adaptações de músicos/ bandas. De longe, o mais polêmico e premiado (pois é) é Bohemian Rhapsody, “adaptação” da banda Queen e do Freddie Mercury. Que é um Deus livre essa biografia… 

Enfim, esse projeto dos Beatles com Mendes parece algo inovador, do jeito que o legado dos Beatles merece.

Desde abril de 1970, seis meses após o lançamento do álbum “Abbey Road” e um mês antes de “Let It Be”, os Beatles anunciaram sua separação. Entre muitas teorias e “culpados” (Cof cof Yoko), a banda terminou e cada um seguiu seu caminho. Particularmente acho que a carreira solo do George Harrison é a mais interessante, John a mais famosa e a do Paul a mais bem sucedida. Já o Ringo (favorito de muita gente) foi a mais discreta. E até hoje, são influentes e geram grandes destaques, até com o recente lançamento da “Now and Then” que se tornou sucesso nas plataformas digitais.

Com os dez anos de trabalho e colaboração entre McCartney, Lennon, Harrison e Starr resultaram em 14 álbuns, quase um bilhão de discos vendidos e vários filmes, que cativam gerações até hoje.

Filmografia

Desde o fim, vários documentários e filmes se inspiraram na história da banda, separei alguns que valem a pena a nossa atenção. 

Filmes biográficos:

  • O Garoto de Liverpool (2009)

Trata-se da cinebiografia sobre a vida de John Lennon. O filme explora a adolescência do músico, sua relação com a tia Mimi, que o criou, e sua mãe, Julia, e a criação da banda Quarrymen, que deu origem aos Beatles. Aaron Taylor-Johnson foi o escolhido para viver John Lennon no longa e sua esposa, Sam Taylor-Wood, ficou responsável pela direção. Paul McCartney e George Harrison também dão as caras e são interpretados por Thomas Sangster e Sam Bell, respectivamente. Pode ser visto nos streamings Globoplay e Prime Video.

  • Os 5 Rapazes de Liverpool (1994)

Mais focado nos dias em que a banda ainda não havia alcançado o sucesso. Seu enredo se passa durante a época em que os Beatles se apresentavam na cidade alemã de Hamburgo. Ian Hart, que viveu John Lennon em “Horas e Momentos” (trazendo como enredo uma história fictícia envolvendo o músico e Brian Epstein), volta a interpretá-lo no longa. Já Gary Bakewell vive Paul McCartney e Chris O’Neill é George Harrison. Como o filme se passa antes de os Beatles alcançarem a fama, Ringo Starr não está presente, mas sim Pete Best, o baterista original da banda, papel do ator Scot Williams. A direção é de Ian Softley. O filme é bem B, e quase esquecido. Mas é interessante.

Outros que valem a pena assistir: Yesterday (2019) comédia romântica bem divertida; Across the Universe (2009); Imagine: John Lennon (1988); George Harrison: Living in the Material World (2011), dirigido pelo Martin Scorsese e Get Back (2022) dirigido pelo Peter Jackson, é uma coletânea editada de mais de 50 horas da gravação do álbum Let It Be. Está no Disney Plus.

Filmes protagonizados pelos próprios Beatles

  • Os Reis do Iê Iê Iê (1964) 

O ano é 1964 e a Beatlemania está no seu auge. Os quatro rapazes de Liverpool estão a ponto de mudar o mundo da música – se conseguirem deixar o quarto do hotel onde estão hospedados. Enfrentando produtores nervosos, fãs histéricos e parentes problemáticos, Paul, John, George e Ringo buscam de todas as maneiras se divertir e ao mesmo tempo cumprir seus compromissos firmados.

  • Help! (1965)

Uma aventura filmada em Londres, Bahamas e nos Alpes Suíços. Neste filme, os Beatles são perseguidos por membros de um culto indiano que querem o anel que Ringo está usando.

  • Magical Mystery Tour (1967)

Em 1967, seguindo o mesmo extraordinário impacto do álbum Sgt. Pepper Lonely Hearts Club Band e a transmissão mundial de All You Need Is Love, os Beatles criaram, escreveram e dirigiram seu terceiro filme, Magical Mystery Tour, uma história como em sonho de um dia de viagem de ônibus para o litoral.

  • Yellow Submarine (1968)

Era uma vez… ou quem sabe duas, existia um distante paraíso chamado Pepperland – um lugar onde a felicidade e a música reinavam totalmente. Mas tudo isso ficou ameaçado quando os terríveis Blue Meanies declararam guerra e enviaram um exército liderado pela ameaçadora Luva Voadora, para destruir tudo o que era bom. Mas John, Paul, George e Ringo apareceram para salvar o dia! Armados com pouco mais do que bom humor, canções e, é claro, seu Submarino Amarelo, o Quarteto Fabuloso enfrenta a fúria dos mares num esforço de derrotar as forças malignas.

A maioria dos filmes protagonizados pelos próprios Beatles, estão no Apple TV+ para alugar ou procurar mídias físicas para colecionar. No BR é bem complicado esses materiais de forma legal. 

Um projeto de quatro filmes individualizados sendo lançados simultaneamente é um projeto audacioso. Ainda é bem recente, mas tudo que saiu até agora, parece um projeto promissor, e isso é ótimo.

Confira mais textos do colunista: www.socialbauru.com.br/author/gabrielcandido

Compartilhe!
  • Monstros do Cinema

    Nunca imaginei que Godzilla e Kong: O Novo Império seria o sucesso comercial e segue de lo…
  • Noturno do Bauru

    Noite. Esta página em branco aqui é um clarão. Lua. Luz potente. Único foco em meu quarto.…
  • Duna e o universo de Frank Herbert

    Com a estreia e sucesso de Duna: Parte 2, o universo criado por Frank Herbert finalmente a…
Carregar mais em Colunistas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Monstros do Cinema

Nunca imaginei que Godzilla e Kong: O Novo Império seria o sucesso comercial e segue de lo…