O período de quarentena tem trazido grandes mudanças na rotina de estudos dos alunos. Com as aulas presenciais canceladas, os estudantes têm se adaptado com o estudo em casa, utilizando ferramentas aliadas como a internet. Além disso, muitos professores têm encontrado, nas aulas online, uma forma de manter as lições, mesmo com o isolamento social.

Ainda que as aulas presenciais sejam o principal processo para a aprendizagem de um aluno, já que há o contato e interação com o professor e outros alunos em tempo real, a internet veio para dar uma forcinha nesse momento.

Com ela, foi possível criar apps de ensino, plataformas de educação e outras ferramentas digitais que complementam os estudos dos alunos. Segundo o professor e coordenador do D’Incao Vestibulares, Antônio Bottino, os estudantes devem se aproveitar dessas tecnologias para incrementar o aprendizado.

“Com certeza os alunos devem buscar novas formas de aprendizado, seja de maneira tradicional nos livros e cadernos, como também nos vários apps e sites da internet. Aproveitando o tempo para desenvolver várias atividades a eles atribuídas pelos seus respectivos professores como, por exemplo, leitura de livros, filmes, documentários e séries de tv. Sem contar os inúmeros aplicativos e programas de computador que envolvem jogos, robótica e etc”, explica.

E se você está em busca alguns sites para estudar, seguem algumas recomendações:

  • Descomplica
  • QG do ENEM
  • Plantão do Matemático
  • Química Nota Dez
  • bottinox.net
  • stoodi.com.br
  • Explica Mais

Ajuda de mestre

Com as aulas remotas, muitos professores têm usado aplicativos de bate-papo e outras plataformas para proporcionar uma ajuda remota aos seus alunos. Alguns mestres até liberam vídeoaulas em um canal aberto, como é o caso de Roberto Caliani, um dos idealizadores do DreamMed em Bauru.

Além de ser professor, Roberto já trabalhou com produção de conteúdos online há alguns anos, como exercícios, vídeoaulas, resoluções e planos de aprendizado. Durante a quarentena, ele tem usado sua página pessoal do Facebook para postar planos de estudos. A cada semana é englobado temas como gramática, literatura, leitura e redação, tudo com links de viedoaulas gratuitas do Youtube e páginas com exercícios para fixar o conteúdo.

“A ideia é tentar ajudar o máximo de pessoas que puder, fazendo o que sei e gosto de fazer, ensinar. Esse foi o modo que encontrei para isso, a internet ajuda a espalhar o plano de aula, a tecnologia se torna uma aliada no processo educativo e a aceitação dos alunos tem sido muito boa”, comenta Roberto.

Entretanto, para estudar em casa e pela internet é fundamental ter planejamento!

Programe-se

Segundo os professores Antonio e Roberto, estudar em casa requer muita disciplina. Isso, porque o aluno está suscetível a várias distrações: seja o celular, o computador, a televisão e outras coisas que podem roubar a atenção.

“A primeira dica é fazer um cronograma de estudos onde o aluno consiga vislumbrar todas as disciplinas de modo equilibrado para não valorizar uma em detrimento de outras. Assim, ele mantem a matéria em dia de forma equilibrada. Procurar um lugar que o acesso seja restrito na casa, tipo quarto ou escritório, para que não seja interrompido constantemente, atrapalhando assim a concentração e o rendimento”, afirma Antonio.

E completa:

“Outra dica importante é conversar com as pessoas residentes na casa para só chamar em caso de extrema necessidade. E por fim utilizar celulares, computadores e ferramentas para fins de estudo e deixar o lazer para o momento apropriado evitando assim distrações”.

Além disso, outro ponto fundamental para quem vai estudar em casa é ter um momento de descontração. Afinal, ter bons resultados é uma combinação de equilíbrio entre o bem-estar físico e psicológico.

Como é a rotina dos alunos bauruenses?

O aluno Otavio Capana tem aproveitado o período do isolamento para continuar focado nos estudos do vestibulinho do CTI. Ele estuda aproximadamente seis horas por dia, mantendo a carga horária que teria na escola.

“Acordo mais tarde que o habitual, para aproveitar o período do sono, quando acordo faço um planejamento de estudos para a tarde. Após o almoço, assisto videoaulas sobre os conteúdos da matéria que estudarei naquele dia. Depois resolvo exercícios de fixação através dos materiais enviados pelo colégio e da apostila do curso”, conta Otavio.

Durante seus estudos, o bauruense também utiliza plataformas como o Explica Mais, o Youtube, o Brainly e até o Instagram.

“Para me manter informado sobre o impacto da pandemia no Brasil e no mundo, possível tema de redação das provas no fim do ano, utilizo o Instagram. Mas sempre verifico a fonte da informação antes de considerá-la como verdadeira, formando assim, uma opinião consistente sobre o assunto”, completa.

O que vale é estudar, utilizando das plataformas disponíveis atualmente.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Gabriela Gomes
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Bauruenses contam o que mais sentem falta de aproveitar na cidade durante a quarentena

Você sente saudade de aproveitar o quê na cidade? Provavelmente alguma resposta vem à tona…