Quando começou a trabalhar em cozinha industrial, onde os pedidos são em maior quantidade e o mais importante é a organização para preparar tantos pratos, a empresária Valéria Nogueira parecia já se direcionar para um dia assumir um espaço amplo para preparar comida.

A experiência no ramo foi o início do gosto pela mistura entre gastronomia e organização. “Eu aprendi muita coisa com a parte da cozinha industrial, de conseguir entregar vários pratos. Meu patrão era muito experiente e me ensinou muito”, diz ela.

Agora, com o tempo na área ‘industrial’ somado aos dez anos à frente do restaurante Pimenta Rosa, ela lança, em parceria com o filho Rafael Nogueira, a Cozinha Digital, um espaço compartilhado para abrigar restaurantes diferentes. Serão seis marcas, cada uma especializada em um ramo da gastronomia, e que podem ser pedidas por delivery ou retiradas. 

O projeto é inspirado no conceito de ‘cloud kitchen’, estilo de cozinha ‘multiaplicativo’, ‘multiculinária’ e ‘multimarca’ criado na Índia e que tem conquistado adeptos pelo mundo.

A diferença é que, além do delivery, os pratos também podem ser retirados no local, na Rua Gustavo Maciel, e os pedidos são feitos por um único atendimento, pelo Whats App (no 98809-2744), nesse site ou no aplicativo, que estará disponível a partir dessa segunda-feira.

Com o apoio de quatro sócios, parceiros de longa data, e de familiares, Valéria chega ao objetivo de organizar um grande espaço de cozinha, sem esquecer da aposta na qualidade dos pratos.

Organização, logística e gastronomia

Desde o primeiro emprego, a vontade de Valéria era ter o próprio negócio, para dar mais liberdade às ideias. Após o tempo na cozinha industrial, o primeiro empreendimento foi o restaurante de refeições, o Pimenta Rosa, há dez anos e que funciona até hoje.

Na gastronomia, o prazer de empreender está no interesse em criar pratos, lançar comidas diferentes e coordenar a cozinha. Entretanto, ela também gosta da parte de organizar a empresa, calcular os custos e pensar a logística.

Portanto, implantar um sistema para produção de comida em pouco tempo sempre foi um objetivo. Ela fica alegre ao recordar o dia em que “conseguiu entregar 100 lanches em uma hora”. 

Eu me espelho muito no Mcdonald’s. A organização para preparar os lanches tão rápidos. Eu adoro aquilo, tenho paixão pela empresa. Então, nós tentamos usar os métodos de trabalho da lanchonete, com lanches que saem rápido”. 

Enquanto explica como chegou aos detalhes para a Cozinha Digital, Valéria cita pesquisas, buscas na internet, cursos, contatos profissionais e, principalmente, o desejo de inovar. Eu gosto do impacto, da pessoa olhar e falar que é diferente, afirma. 

A mente profissional dela é uma mistura de organização e planejamento de logístico, o respeito pela essência de cada especialidade, diferentes ideias e amor pela gastronomia. “Eu sou apaixonada pela minha profissão”, declara a empresária.

Cada um tem sua marca

Logo, a cozinha compartilhada fez todo sentido para Valéria. Por enquanto, a Cozinha Digital tem seis restaurantes. O ‘Chef Abu’ Esfiharia, ‘Meu Doce’ doceria artesanal, ‘Horne’ hamburgueria, ‘Pimenta Rosa’ delivery de refeições, ‘Grão de Bico’ comida caseira, vegetariana e vegana, e ‘Manzzolli’ pizzaria.

Portanto, cada especialidade tem sua própria marca. Uma separação que não fica restrita ao nome. Segundo Valéria, diferenciar a organização da cozinha e as formas de preparo é o único jeito de garantir a qualidade dos pratos. “Os espaços vão ser separados. Cada restaurante vai ter sua própria linha de trabalho”, explica a empresária.

Por isso, cada marca é pensada, estudada e gerenciada por um especialista para garantir qualidade. “A pizza, por exemplo, é uma massa que eu fiz um curso para aprender uma massa de longa fermentação. São 72h de fermentação”, conta Valéria. 

As esfirras serão feitas com apoio de um especialista no prato. O Pimenta Rosa tem os dez anos de experiência em refeições. O Meu Doce será comandado por uma parceria que já trabalha em confeitaria. A hamburgueria é responsabilidade do filho Rafael, que gosta do assunto, busca se especializar em blends e projetar novos sanduíches.

E cada um tem seu espaço

Como resume Valéria, a ideia é ser “como uma praça de alimentação, mas que você recebe em casa. Então, é como se fosse a um lugar e tivesse disponível diferentes restaurantes para cada gosto.

Para o cliente, é poder escolher entre as especialidades, mas com a confiança de qualidade e atendimento de um só lugar. Também está nos planos lançar programas de fidelidade e sorteios digitais. Além disso, o corte de custos para as empresas, por conta do espaço compartilhado, é repassado ao consumidor no preço dos pratos.

Nos planos para o delivery, está o aumento do número de marcas. Fora dele, o futuro é ser uma praça de alimentação, com espaço para crianças e música ao vivo. O local e a arquitetura já foram até pensadas. Como é perceptível, o que Valéria garante é lidar com aumento dos espaços. 

A pimenta rosa é fruto da aroeira, enverga mas não quebra. E essa é a nossa ideologia. O Pimenta Rosa que vem segurando tudo isso há dez anos. Agora, abrindo a Cozinha Digital, eu já penso em mais uns 20 anos de muita novidade”, encerra a empresária.

publieditorial

SERVIÇO
Cozinha Digital
Endereço: Rua Gustavo Maciel, 13-39. Centro, Bauru-SP
Horário de funcionamento: Todos os dias, das 8h às 24h (cada restaurante tem o seu próprio horário)
Telefone: (14) 3237-2647 | (14) 98809-2744
Site: https://cozinhadigitalbauru.com.br/
Para pedidos: https://deliverydireto.com.br/cozinhadigital
Instagram: @cozinhadigitalbauru
Facebook: /CozinhaDigital

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Raphael Bonini
Carregar mais em Gastronomia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Dois anos depois de abrir fábrica de cerveja artesanal, Dad’s Breja inaugura bar próprio

Em 2019, o bauruense Felipe Botura decidiu embarcar na paixão pela produção de cerveja art…