O designer Luís dos Santos Miguel sempre foi fascinado pela comunicação. Inclusive um dos motivos que o fez ingressar no curso de Design da Unesp-Bauru foi aprender novas formas de expressão.

Ao realizar a disciplina de fotografia, Luís se apaixonou pela área e decidiu utilizar o conhecimento adquirido para realizar um sonho: fazer seu próprio projeto audiovisual. E o tema escolhido foi, claro, a comunicação!

Assim nasceu o Projeto Códigos, uma websérie documental que tem como objetivo retratar as diferentes maneiras de se comunicar.

1ª temporada da websérie

Antes de idealizar o projeto, Luís teve a oportunidade de realizar um curso de Língua Brasileira de Sinais (Libras) no Senac de Bauru.

Nessa ocasião, ele adentrou no universo das pessoas com deficiência auditiva, aprendendo sobre a importância da acessibilidade.

Nesse curso, além da língua em si, aprendíamos também sobre a cultura e as vivências de pessoas surdas. Entendendo melhor sobre as barreiras que elas enfrentam e percebendo que muitos dos seus direitos básicos não são respeitados, eu concluí que era urgente tratar desse tema. Assim, o público que não tivesse contato com a comunidade surda também ficaria ciente dessas questões”, conta o designer

Desse modo, quando criou o projeto de sua websérie, em 2020, ele decidiu que a primeira temporada teria, como foco, Libras.

A história de Adilson

O episódio principal da temporada, um curta-metragem chamado “Movimento”, retrata a história do agudense Adilson Aparecido Andrade, um homem com deficiência auditiva.

Grande parte da trajetória de Adilson se passa em Bauru, pois foi na cidade que ele encontrou a oportunidade de aprender a língua de sinais e se apaixonou pelo ensino, tornando-se professor de Libras posteriormente.

Luís conheceu Adilson em 2018, na época da criação da Associação dos Surdos de Bauru (ASBA), da qual o professor foi presidente. O designer ficou sabendo da iniciativa por meio de um grupo da faculdade e propôs o desenvolvimento de uma identidade visual para a associação.

Depois de um tempo, a ASBA encerrou as atividades, mas em seu período de existência, desempenhou ações importantes para a comunidade surda em Bauru.

Quando teve a ideia de fazer um documentário sobre Libras, Luís procurou Adilson, que topou participar do projeto.

Desafio que trouxe aprendizado

Antes da pandemia começar, o designer gravou o curta-metragem, acompanhando a rotina de Adilson e se aprofundando na história do agudense.

Foi uma experiência muito gratificante poder acompanhar o dia a dia do Adilson com a família dele e entender a importância que ele tem para a comunidade surda da região. Também pude observar quais recursos ele utiliza para se comunicar com as pessoas que não aprenderam Libras. Conhecendo a história de vida dele, compreendi melhor as questões sociais que envolvem a surdez”, conta.

Com nível básico em Libras, o designer contou com a participação de intérpretes e tradutores no projeto, que tiveram papel fundamental na mediação da comunicação. Apesar dos desafios, Luís revela que a experiência foi repleta de aprendizado.

Foi imprescindível que eu tivesse um conhecimento da Língua Brasileira de Sinais para a realização do projeto. Eu aprendi o básico da Libras nos cursos que fiz e fui aprendendo também no processo de fazer o documentário. Em boa parte das gravações, estive acompanhado por intérpretes, mas nas ocasiões em que eles não estavam, eu mesmo fiz as entrevistas. Isso foi um grande desafio para mim. Comunicar através de uma língua da qual eu não tenho domínio foi um esforço que eu tive que fazer em momentos específicos, mas essa é uma situação que muitos surdos enfrentam diariamente”.

A importância da acessibilidade e inclusão

Com o projeto, Luís buscou dar visibilidade à comunidade surda de Bauru e região, retratando sua vivência e conscientizando a população ouvinte sobre os desafios de comunicação enfrentados pelas pessoas com deficiência auditiva.

De acordo com o designer, Bauru tem uma história marcante nesse aspecto, devido às instituições existentes na cidade que vêm realizando algum tipo de assistência ou atendimento aos surdos.

No entanto, é importante pensar que nem todas as cidades têm esse tipo de estrutura e que as experiências das pessoas surdas podem ser diferentes, dependendo da realidade em que estão inseridas.

Nesse sentido, Adilson reforça a importância da inclusão: “É importante ter interações entre ouvintes e surdos, para que ambos se auxiliem. Assim, é necessário promover encontros entre eles, em diferentes espaços. Porém, para haver inclusão de verdade, é preciso ter a presença de ouvintes que saibam Libras e façam a interpretação, e também de pessoas com outros tipos de deficiência”.

Próximas temporadas?

Futuramente, Luís gostaria de abordar sobre a escrita na websérie, retratando como funciona o sistema Braile. Além disso, deseja produzir temporadas abordando temas referentes à expressão cultural no âmbito do design e das artes.

Entretanto, como são muitos meses de dedicação para realizar produções desse gênero, ele conta que para a continuidade do projeto seria necessário algum tipo de apoio ou suporte.

Enquanto as próximas temporadas não são lançadas, você pode conferir como ficou a primeira, acessando o canal de Youtube do Projeto Códigos.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Anne Hernandes
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Sociedade Amigos da Cultura de Bauru oferece oficinas gratuitas para bandas

A Sociedade Amigos da Cultura (SAC) promove duas oficinas gratuitas e online no mês de abr…