O amor da fonoaudióloga bauruense Patrícia Alexandre por sua profissão fez nascer a Clínica CRIHAR (Centro de Referência Integrado nas Habilidades da Aprendizagem e Reabilitação). O local é especializado no acompanhamento e reabilitação de crianças com Autismo e outros transtornos de desenvolvimento.

Patrícia e seu marido, o também bauruense Bruno Alexandre, são responsáveis pelas três unidades da CRIHAR: duas em Bauru e uma em Lençóis Paulista. O espaço mais recente, localizado na rua Júlio Maringoni em Bauru e inaugurado em 2021, é exclusivo para o atendimento de crianças com TEA (Transtorno do Espectro do Autismo).

Apaixonada por “crihar”

Patrícia sempre foi uma profissional apaixonada pelo que faz e nutria o sonho de construir algo inovador.

Baseada em seus mais de 15 anos de experiência em processos de habilitação e reabilitação de pessoas com deficiência, Patrícia desenvolveu um atendimento personalizado, que prioriza a individualidade de cada criança, de acordo com suas necessidades e potencialidades, pensando no desenvolvimento de uma maneira global. “Eu queria lidar com vidas e ver a evolução das crianças”, comenta.

A bauruense buscava um formato e identidade próprios, algo que fosse realmente inovador e de acordo com o que ela considerava necessário e que poderia ser implementado. Essa foi a motivação que levou Patrícia a iniciar a Clínica CRIHAR em 2016, atendendo sozinha. 

Em 2019, ela se desligou da instituição anterior para se dedicar totalmente à sua nova iniciativa – desta vez, contando com uma equipe multidisciplinar em um local mais amplo.

Hoje, a primeira unidade da Clínica CRIHAR, localizada na Rua Aviador Gomes Ribeiro, conta com uma equipe especializada que realiza desde o diagnóstico diferencial até o processo de reabilitação.

Lá, são realizados atendimentos de fonoaudiologia, terapia ocupacional, psicologia, neuropsicologia, psicopedagogia e neuropsicopedagogia. São atendidas também crianças com dislexia, TDAH, apraxia de fala e outras patologias vinculadas ao processo de desenvolvimento.

A segunda unidade, em Lençóis Paulista, oferece os serviços de fonoaudiologia e psicologia.

O centro para Autismo

Considerando a grande demanda de casos do TEA, Patrícia achou necessário criar um terceiro espaço voltado exclusivamente para as necessidades desse público.

Outra questão que motivou a abertura da unidade foram os relatos das famílias em relação a tratamentos realizados indevidamente, impostos ou supervalorizados de maneira inadequada. 

Pensando nisso, o casal idealizou um modelo que fosse justo e de acordo com a necessidade da criança. “Eu via casos em que os profissionais usavam a dor da família para explorá-la financeiramente, porque infelizmente é uma terapia rentável”, lamenta Patrícia.

A Clínica CRIHAR tem como diferenciais o respeito à individualidade das crianças e a inserção das famílias no processo de reabilitação. Para o casal, a terapia que conta com o acompanhamento familiar tem resultados mais eficazes.

“Aqui, a família é um agente reabilitador e precisa estar dentro da terapia. Às vezes, você começa a investigar e percebe que a casa está doente. Melhorando esse ambiente, conseguimos melhorar tudo, principalmente o comportamento da criança”, explica Bruno.

As sessões de terapia são feitas individualmente e também com a participação dos familiares. “A criança tem um tempo individual com a terapeuta. No restante, a família vai entrar e a terapeuta vai falar o que foi trabalhado, porque foi trabalhado e o que precisa ser estimulado em casa”, descreve Patrícia.

Pensando nisso, um dos objetivos de ambos é a criação de um espaço exclusivo para os pais e responsáveis, que seja confortável e acolhedor. “Queremos um ambiente como esse, uma casa, um lugar amistoso, onde todos se sintam bem”, comenta o casal.

Outro núcleo valorizado pela clínica é o escolar. Os professores das crianças atendidas pela CRIHAR recebem treinamento e orientações para que a escola também faça parte da reabilitação.

Plano terapêutico

A partir do diagnóstico, feito através de um parecer multidisciplinar, a CRIHAR oferece às crianças atendidas o plano terapêutico. Após a avaliação de diversas áreas profissionais, são traçados objetivos que serão trabalhados nas sessões, sempre respeitando as necessidades dos pacientes e suas singularidades.

Existem várias abordagens e métodos. Dentre eles, o mais reconhecido mundialmente é o ABA (Análise do Comportamento Aplicada). Infelizmente, as pessoas estão generalizando, dizendo que todas as crianças precisam utilizar esse método. Mas existem as peculiaridades, e nós precisamos focar nelas. Eu vou trabalhar com o que é mais indicado para ela”, explica a fonoaudióloga.

No centro para autismo, a CRIHAR oferece acompanhamento com nutricionistas, fonoaudiólogas, psicólogas, psicopedagogas e terapeutas ocupacionais. Os pacientes também têm aulas de musicalização, além do suporte escolar e apoio familiar.

Semanalmente, as profissionais da clínica se reúnem para fazer a discussão dos casos atendidos. O round clínico tem como intuito realizar a troca de informações e aprimorar o atendimento.

Ao fim do ciclo, as crianças passam por uma reavaliação, que é realizada de acordo com a idade do paciente. As crianças menores são reavaliadas a cada três meses e as maiores, a cada seis meses. Assim, podem ser feitas alterações no plano terapêutico, caso haja necessidade.

Satisfação em fazer a diferença

Patrícia conta que ver a criança progredir não tem preço: “você vê uma criança que não falava nada e agora está falando. É uma coisa que quem tem um filho que faz tudo muitas vezes não valoriza. Ver essas conquistas é o que me motiva e o que me encanta todo dia”.

Apesar da clínica ter como foco o público infanto-juvenil, a CRIHAR atende também alguns pacientes adolescentes e adultos.

“Existe um limbo que são os autistas adolescentes, porque ninguém quer atender. Eles recebem alta da reabilitação porque os terapeutas dizem que eles chegaram ao platô, que é o “limite”. Nós acreditamos que precisamos pensar na qualidade de vida dessas pessoas, preparando-as para uma vida independente e funcional”, explica Patrícia.

A empatia como combustível

A fonoaudióloga conta que um marco de sua vida que influenciou positivamente em sua carreira profissional foi a maternidade. “Esse foi um diferencial, porque eu comecei a sentir mais a dor de uma mãe, e isso fez com que eu tivesse também mais empatia pela família. A chave virou quando me tornei mãe”, diz.

Programa social da CRIHAR

A clínica também disponibiliza um programa social que destina 10% das vagas para famílias mais carentes, que podem conseguir até 50% de desconto no atendimento. Atualmente, todas as vagas estão preenchidas.

publieditorial

Serviço
Clínica CRIHAR
Endereço:

  • Unidade I – Rua Aviador Gomes Ribeiro, 17-75 – Vila Perroca
  • Unidade II – Rua Júlio Maringoni, 15-75 – Vila Universitária (Centro para Autismo)
  • Unidade Lençóis Paulista – Rua Quinze de Novembro, 581 – 2º Andar / Salas 21 e 22 – Centro

Horário de funcionamento:

  • Unidade I – De segunda a sexta, das 8h às 20h
  • Unidade II (Centro para autismo) – De segunda a sexta, das 8h às 20h
  • Unidade Lençóis Paulista – Terça, quinta e sexta-feira, das 8h às 18h
    Contato: (14) 98133-0412
    Instagram: @clinica_crihar
    Facebook: /clinicacrihar
Compartilhe!
Carregar mais em Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Enfermeira assume missão de dar continuidade à loja feminina de Bauru fundada em 2009

Imagine só entrar em uma loja e sair de lá com um look completo? Este é o objetivo da Meni…